Tiago, autor em Tiago Faria

All posts by Tiago

Como conseguir backlinks para o teu site em 2021

Como Conseguir Backlinks em 2021: 5 Passos para Criares Backlinks para o Teu Site Rápido

Neste artigo vou partilhar contigo a estratégia dos 5 simples passos para conseguires angariar e receber mais backlinks de qualidade para o teu site.

Seguindo estes passos consistentemente, vais conseguir aparecer na primeira página do Google, receber mais vistas orgânicas, receber mais cliques, receber mais subscrições da tua newsletter e, por consequência, aumentar as vendas do teu negócio online.

Esta é uma técnica completamente “white hat”, ou seja completamente legal e de acordo com os termos e condições do Google, pelo que não precisas de te preocupar com nada.

Como conseguir backlinks em 2021 - segue esta simples estratégia de 5 passos

É uma técnica que dá algum trabalho, demora algum tempo, é um jogo de números bastante complexo, mas que é possível fazer.

Se tiveres mais tempo do que dinheiro disponível, é algo que podes fazer sozinho, mas é preciso muito trabalho, muito contacto, e muito “outreach” de e-mails.

Se tiveres mais dinheiro que tempo disponível, esta é uma estratégia que é muito fácil fazer outsourcing para um assistente virtual, por exemplo, e pôr esta estratégia a funcionar a 100 %.

Se preferires ver este artigo em formato vídeo, clica na imagem abaixo:

Passo 1: Encontra um Artigo com Muitos Links

O primeiro passo é encontrares um conteúdo no teu nicho de mercado que já tenha muitos links a apontar para esse próprio artigo.

Isto dá-te um sinal que esse tópico funciona muito bem, atraiu muitos backlinks de outros sites e, por isso, vais querer focar-te nele.

E como encontras tais artigos?

Através de pesquisa de palavras-chave.

O teu objetivo é encontrar palavras-chave que tenham alto volume de pesquisa, mas também um alto grau de dificuldade e que sejam muito relevantes para o teu nicho de mercado.

Estes são os resultados que vão ter mais links, e tu queres focar-te exatamente nesses.

A Primeira Ferramenta que vais Precisar para Conseguir Backlinks de Qualidade

A primeira ferramenta que precisas é o maravilhoso KW Finder (link afiliado).

Se quiseres saber como utilizar esta ferramenta, consulta este artigo.

Como exemplo, fiz uma pesquisa por “perder barriga”, palavra-chave que será do interesse de alguém que tenha um blog ou um site sobre dietas, alimentação saudável, ou exercícios físicos.

backlinks - pesquisa de palavras-chave

Procurando por essa palavra-chave em Portugal, vejo que tem um volume de pesquisa de 3100 por mês, e que tem um grau de dificuldade de 31.

Não é impossível, mas é um pouco difícil para quem tem uma autoridade de domínio muito baixa.

Olhando para todos os outros resultados que aparecem na primeira página do Google, vês que quase todos têm um grau de dificuldade acima de 40.

O teu objetivo é ver nesta palavra-chave quais é que são os resultados que aparecem no canto inferior direito que têm o maior número de links.

Consegues ver essa informação na coluna que diz "Links", ou seja, o número de links externos a apontarem para um URL específico.

Isto dá-te um sinal que esse artigo teve bastante interesse, e que muitos outros sites inseriram um link a apontar para esse artigo.

O teu grande objetivo vai ser contactar todos esses sites que adicionaram um link para o artigo que vais analisar, e convencê-los a adicionarem link para o novo artigo que vais criar.

Olhando para os resultados acima, o artigo que irias escolher analisar era o primeiro "Minha Vida", uma vez que tem 86 backlinks no total.

Artigo para analisar backlinks

Reparas que é de facto um blog, que terá os seus produtos à venda.

É exatamente isto que queremos.

Se tivesses um site sobre alimentação saudável, dietas etc., e sentisses que sabias do assunto melhor do que ninguém, que o artigo está incompleto e que conseguias fazer algo ainda melhor... estava escolhido!

Usa o LinkMiner para Analisares os Backlinks do Artigo que Queres Ultrapassar

Copiavas o link da peça de conteúdo em questão e abrias uma outra ferramenta da mesma empresa do KW Finder (Mangools), mas desta vez selecionavas o LinkMiner para analisares os backlinks de cada um dos sites que tu queres superar.

Inserindo o URL do site, vais procurar os backlinks e vão aparecer todos os sites que estão a apontar para o artigo que vais analisar, que é o teu concorrente.

LinkMiner para encontrar os backlinks de um site

Ordenando os resultados por "Link Strength" (ou seja, o poder destes sites e a sua autoridade de domínio.

Se conseguisses que um desses links com autoridade de domínio de 30 apontasse para o teu site, já iria dar um grande boost na tua autoridade de domínio...

E, como tal, ajudar-te a subir nos resultados de pesquisa do Google.

O teu objetivo aqui seria então fazer uma lista de todos os backlinks que tenham uma autoridade de domínio interessante e que não sejam spam (tens de ter o cuidado de analisar e ver se são sites verídicos, e que estão de acordo com os termos e condições do Google).

Passo 2: Cria um Artigo Superior para Atraíres os Backlinks para Ti!

Cria um artigo superior para atraíres os backlinks para ti

Depois de analisares qual é o artigo que queres superar e de fazeres a lista de todos os sites que apontam para esse artigo concorrente...

O segundo passo é criares um artigo superior, com mais valor, com uma pesquisa e uma análise ainda mais completa, e com mais insights.

Mas não só: deves também bater o artigo concorrente em número de palavras totais, partilhar um maior número de técnicas, e mais multimédia (vídeos, imagens, áudios).

Basicamente, tornar o teu artigo 10 vezes melhor do que o teu concorrente.

Sim... acelerar o crescimento da tua autoridade de domínio vai dar trabalho!

Nada acontece por magia, nada acontece rapidamente, não há resultados mágicos...

O que há é o trabalho de analisar qual é o artigo que está bem posicionado no Google, criar um artigo ainda melhor...

E depois entrares em contacto com todos aqueles sites que têm um link a apontar para esse artigo.

Passo 3: Entra em Contacto com Cada um dos Sites que Desejas um Backlink

Entra em contacto com cada site que queres um backlink

O próximo passo é entrar em cada um dos sites e encontrar os e-mails de contacto.

Se não estiver no site, tenta encontrar a página de Facebook e procura na secção "Sobre".

Há uma maneira de automatizar este processo (não funciona para todos os sites), usando o site Hunter.io.

Ao colocares o site em questão, o Hunter.io varre a internet toda para ver toda a presença que esse site tem online e tenta encontrar um e-mail de contacto.

Toca a Enviar Emails como Se Não Houvesse Amanhã!

O outro passo será enviares um e-mail a cada um desses sites, dizendo que o seu artigo é excelente, e mostrando que tens um artigo superior ao que esse site está a apontar.

É importante mostrares em que medida é que o teu artigo vai beneficiar a audiência do site em questão.

Mostrares que, com base na tua análise, faltam algumas coisas no artigo que esse site criou um backlink...

E explicar que criaste um artigo muito mais completo, e que poderá ajudar a sua audiência a tomar uma decisão mais considerada e concreta.

Este vai ser o teu trabalho:

Entrar em contacto com todos estes sites, mostrar que criaste um artigo superior e que a audiência desse site irá beneficiar se alterar o link para o teu site e não para o site concorrente.

Sim, é um jogo de números.

Vais precisar de enviar muitos emails...

Mas principalmente tomares atenção ao passo seguinte:

Passo 4: O Poder Está no Seguimento do Contacto

Seguimento aos emails de contacto para obteres backlinks

O passo número 4 é o follow-up.

O grande poder de toda esta estratégia está no seguimento que dás aos contactos, uma vez que 99% dos sites que contactares vão ignorar o teu e-mail.

Se não obtiveres resposta depois do primeiro email, envia um novo email uns dias depois.

Muitas vezes, os sites não respondem à primeira, não respondem à segunda, mas depois, à terceira vez...

Pode muito bem acontecer por acaso verem o teu e-mail e resolverem dar atenção ao que tu tens para dizer.

Alguns sites vão responder “para isso, preciso que me pagues x”.

Não recomendo que aceites pagar para ter links, uma vez que isso vai contra os termos e condições do Google. Nunca faças isso.

O que realmente conta aqui é a escala do seguimento que fazes.

Enviar muitos e-mails e fazer muitos follow-ups.

Passo 5: Como Podes Escalar o Processo para Obteres Backlinks Mais Rápido

Como escalar o processo para obteres backlinks mais rápido

Isto leva-nos ao passo número 5.

Existe uma ferramenta que irá ajudar a escalar este processo quando tiveres já encontrado um assistente virtual que trate disto por ti.

Com a ferramenta MailShake consegues automatizar tudo.

Basta incluíres um ficheiro com todos os sites a contactar, e criar os templates de emails e follow-ups.

Depois, o MailShake envia todos os emails automaticamente e, quando alguém responde a algum desses e-mails, para essa automação.

Isto iria acelerar o processo e escalar de uma maneira incrivelmente poderosa.

Desta forma é possível aumentar a autoridade de domínio muito mais rapidamente do que o normal e, assim, subir no ranking do Google.

É uma ferramenta que não é muito barata, mas é algo que, na minha opinião, vale a pena quando se quiser investir em crescer a autoridade de domínio rapidamente e não esperar pelo crescimento seja orgânico.

No Entanto, Lembra-te:

Os artigos que criares têm de ser de facto MUITO superiores ao que já existe na internet porque, se o forem, terás toda a segurança que estas pessoas irão aceitar criar um link para o teu artigo...

Uma vez que o teu artigo tem muito mais qualidade e ajuda todos os sites que contactares a servirem as suas audiências de uma maneira mais concreta e eficaz.

Espero que tenhas gostado deste artigo.

Se tiveres alguma pergunta, deixa na caixa de comentários abaixo.

Um abraço,

Tiago "Ladrão dos Links" Faria

google search console, search console, sitemap xml, submeter site google, google search console o que é

Google Search Console: O que é e Como Garantir que o Teu Site Aparece nas Pesquisas

Neste artigo vou focar-me num passo importante para garantir que os seus esforços de criação de conteúdo são indexados nos resultados de pesquisa do Google.

No entanto, nota importante:

Este não é o passo mais importante da sua estratégia de marketing de conteúdo.

O seu foco principal deve estar sempre na criação do melhor conteúdo possível, focado nas necessidades e objetivos do seu público-alvo.

google search console, sitemap, yoast seo, webmaster tools

Se tudo o que fizer for optimizações para motores de busca, os resultados serão frustrantes.

Lembre-se que a sua audiência é constituída por duas partes: as pessoas que lêem o seu conteúdo e os motores de busca que indexam os seus links.

Com isto, avancemos.

Vou assumir que o seu site é feito em WordPress.

Se o seu site não é feito em WordPress.org, recomendo vivamente que considere esta opção versus sites feitos de raiz ou em plataformas tudo-em-um (como Wix.com).

O WordPress é conhecido por ser amigo dos motores de busca, sendo uma vantagem para o seu site obter mais visibilidade nos mesmos.

Depois de publicar o seu primeiro artigo de blog (optimizado para uma palavra-chave específica), o próximo passo será sinalizar ao Google sobre o seu conteúdo, para que este analise o seu site e comece a indexá-lo nos resultados de pesquisa.

Este processo é feito no Google Search Console.

E não se preocupe: não terá que repetir o processo sempre que publicar um artigo novo...

Assim que inclui o seu site no Google Search Console, os “spiders” (rastreadores) vão começar a rastrear o seu site diariamente.

Sempre que publicar um artigo novo, o mesmo será indexado automaticamente.

Comecemos então por ver o que é o Google Search Console.

Se preferires ver este artigo em formato vídeo, podes fazê-lo abaixo:

O que é o Google Search Console (ex Webmaster Tools)

google search console, o que é o google search console

Trata-se de uma ferramenta gratuita que ajuda a ter mais controlo sobre como o seu site é rastreado pelo Google.

No fundo é um meio de estabelecer uma relação de parceria com o motor de busca.

Permite-lhe verificar se o Google tem acesso ao seu conteúdo, entender melhor como o Google vê o seu website, perceber o seu desempenho nos resultados de pesquisa…

E melhor ainda: detetar erros de indexação a tempo e horas, para que possa corrigir rapidamente e não perder “impressões” de visualização e cliques.

Para além do mais, dá-lhe a hipótese de remover conteúdo que não quer que seja exibido nos resultados de pesquisa.

Com isto, avancemos para o próximo passo, que começa no painel WordPress do seu site.

Plugin WordPress para Comunicar com o Search Console: Yoast SEO

pesquisa palavras chave, palavras chave artigo

Todos os sites devem tirar vantagem do tráfego orgânico de motores de busca como o Google.

Existem ferramentas que ajudam a optimizar as suas páginas para os motores de busca e muitas vezes fazem com que o seu site tenha um aumento significativo de visitas.

A melhor ferramenta é o plugin “Yoast SEO”.

Apesar de o WordPress ser geralmente bem optimizado para SEO, o plugin Yoast SEO fornece opções extra que de outra forma só teria acesso através de código.

É também, de longe, o plugin mais popular do WordPress.

Vejamos as suas vantagens:

# Oferece análise a artigos e páginas em tempo real

# Você terá pré-visualização dos seus títulos e descrições em tempo real, que também são completamente editáveis

# Gere por si todos os aspectos mais técnicos (robots.txt, sitemaps, etc)

# Orienta-o para não se esquecer de aspectos importantes como fazer permalinks legíveis para os utilizadores

# Verifica se o seu conteúdo é “legível” tanto para os utilizadores como para os motores de busca

Se estiver interessado em saber mais sobre o Yoast SEO, este vídeo explica-lhe todo o seu potencial:

Assim que tiver instalado o plugin, vejamos qual o primeiro passo:

Gerar um Sitemap XML

Um sitemap é gerado exclusivamente para os motores de busca e não para os utilizadores.

Basicamente trata-se de um “mapa” do seu site, que indica aos motores de busca qual a estrutura do seu website e facilita a indexação (principalmente de sites mais complexos).

Portanto, no seu painel de WordPress encontre o plugin Yoast SEO, clique na opção “Geral”.

yoast seo, sitemap, sitemap xml, google search console

Depois, ative a opção de Sitemaps XML (clique em “Ligado”), e carregue no botão com ponto de interrogação.

Verá que aparecem mais opções, e de seguida clique em “Veja o sitemap XML”, que o levará para o seu sitemap:

sitemap, sitemap xml, yoast seo, google search console

Deixe esta janela aberta, pois vai precisar do URL mais à frente.

Com isto, estamos prontos para submeter o nosso sitemap no Google Search Console.

E vai ver que é super fácil de fazer.

Como Submeter o Seu Site no Google Search Console

incluir site no google search console, submeter site google search console

Com o seu sitemap gerado, o próximo passo é então fornecer essa informação ao Google para que saiba exatamente onde o encontrar.

Comece por aceder ao Google Search Console.

google search console, submeter site no google search console

Aqui vamos fazer 3 coisas.

1) Aderir à ferramenta

2) Autorizar o seu website

3) Submeter o sitemap do seu site

Comece então por clicar em “Iniciar agora”.

Na página seguinte vai ser pedido que insira o URL do seu site.

Importante: inclua o endereço exato do seu site, incluíndo http:// ou https://, dependendo do tipo de propriedade que tem (se tem certificado SSL ou não).

google search console, indexar website no google, submeter site no google

De seguida, vai ter que fazer download de um código de verificação (verification code) gerado pelo Search Console.

google search console, google search console verification code

Clique em “Download the file” para obter o código de autorização.

Numa janela nova, aceda ao painel WordPress do seu site, selecione de novo no plugin Yoast SEO e escolha a opção “Search Console”.

Aqui aparecerá um campo onde pode inserir o código de autorização que obteve no passo anterior.

google search console, google verification site

Clique em “Autenticar”.

O seu trabalho no painel WordPress está feito.

Como alternativa, pode também clicar no botão que diz “Obter o código de autorização do Google”, onde fará login da sua conta Google e poderá obter o código de imediato.

De volta ao Google Search Console, clique na opção “Verify” para verificar que o código de autorização foi inserido.

google search console, google search console verify site, verificar site google

E pronto, o seu site está ligado ao Search Console!

Avancemos então para a submissão do seu sitemap:

No painel de controlo do Search Console, verá na barra lateral a opção de “Sitemaps”.

Clique aí e insira o URL do sitemap XML gerado no Yoast SEO.

Basta inserir a parte do URL que normalmente é a seguinte: “sitemap_index.xml”, e clicar em “Submit”:

google search console, sitemap xml, inserir sitemap

Esta ação vai fazer upload do seu sitemap no Google Search Console, indicando ao Google exatamente onde está o sitemap do seu site.

Os “spiders” vão então ler primeiro a sua página inicial, e a partir daí vai procurar por links adicionais para indexar nos resultados de pesquisa.

Nota: por esta razão é importante ter um “blog roll” (uma lista de artigos de blog) na sua página de início, para facilitar a leitura das suas páginas mais importantes - os seus artigos de blog.

Como Indexar uma Página Importante no Google Search Console

google search console, indexar página google search console

Imagine que não cria conteúdo muito regularmente, como por exemplo uma vez por mês...

Nota:

Publicar com pouca frequência não é tão eficaz. Recomendo que publique conteúdo pelo menos todas as semanas para dar um sinal aos motores de busca que você é um verdadeiro parceiro como criador de conteúdo regular e de qualidade

Nesse caso, sempre que publicar um artigo e quiser obter visibilidade imediata, a melhor estratégia é fazer um pedido de indexação no Search Console.

No menu principal, clique em “URL inspection” e insira o URL do seu novo artigo.

Verá que aparece uma mensagem a dizer que o URL não está de momento indexado no Google.

google search console, indexing google search console, indexar site no google

Para fazer o pedido, clique em “Request Indexing”.

O Search Console vai testar se o URL pode ser indexado (pode demorar alguns minutos).

Depois de completo o teste, vai receber a mensagem que a indexação foi pedida, e que a página está em lista de espera.

No entanto, que fique claro que não precisa de fazer este exercício sempre que publicar um artigo novo (aliás existe até um limite de pedidos de indexação manual).

Se publicar regularmente, o Search Console vai indexando as suas páginas automaticamente (normalmente no espaço de um dia).

Dedique-se mais à criação de conteúdo relevante para o seu público-alvo - o segredo está na consistência por longos períodos de tempo.

E pronto.

Parabéns, o seu site está agora indexado nos resultados de pesquisa do Google!

Identifique Problemas de Indexação no Google Search Console

Se o seu site estiver a correr na perfeição, o Google irá encontrar as suas páginas e rapidamente indexar nos resultados de pesquisa.

No entanto, por vezes alguma coisa pode correr mal.

Pode haver por exemplo algum conflito com “plugins” que tenha instalado no seu site WordPress que estejam a criar…

Ou por exemplo o seu servidor pode estar em baixo no momento em que os “spiders” tentam entrar no seu site para ler o conteúdo.

Nesse caso, o Search Console vai identificar automaticamente esses problemas para que você tome uma ação específica.

Esses problemas aparecem no relatório “Coverage".

google search console, google search console coverage

Este relatório mostra-lhe que páginas do seu site estão indexadas no Google.

Permite-lhe também saber se existem alguns erros técnicos que previnam certas páginas de ser indexadas.

Se clicar em “Error”, verá listado abaixo que erros foram identificados.

Para simplificar um pouco a sua vida (este relatório não é muito intuitivo), deixo abaixo definições de erros mais comuns:

Server errors (5xx)

Os “spiders” do Google não conseguiram aceder ao servidor do seu site. Isto pode acontecer por exemplo quando o seu site está em baixo no momento em que os “spiders” tentam entrar no seu site

Submitted URL not found (404)

A página não foi encontrada e o seu servidor enviou o código de estado HTTP (404) e a página está “partida”.

Redirect error

A página tem um “redirect” activado mas não está a funcionar.

Submitted URL seems to be a Soft 404

A página foi marcada como “não encontrada”, mas devolveu o código de estado errado no título da página

Submitted URL has crawl issue

Este erro não é muito específico, e exige que você visita a página para tentar descortinar o que está a bloquear.

Identificados os erros…

Pode também selecionar a página em questão e fazer diferentes testes que o podem ajudar a resolver o problema:

1) “Inspect URL” para verificar se os dados de indexação da página no Google (sitemap, datas, últimos “crawls”, etc)

2) “Fetch as Google” para verificar se o Google tem mesmo acesso à página

3) “Test Robots.txt Blocking” para ver se o URL está a ser bloqueado por “robots.txt”

4) “View as a Google Result” para ver como o Google está a indexar a sua página nos resultados de pesquisa

Google Search Console e a Sua Estratégia de Marketing de Conteúdo

marketing de conteúdo, google search console

Para concluir, se fizer apenas o trabalho inicial de adicionar o seu site ao Google Search Console e incluir o sitemap…

Você está basicamente pronto para seguir!

Continuar a investir na produção de conteúdo de qualidade deve ser o seu foco principal - aquele que mais retorno trará ao seu tempo e energia despendidos.

Utilizar o Google Search Console é basicamente uma tarefa de “ligar e esquecer”, garantindo o essencial da indexação.

A partir daí, encorajo-o a começar um desafio 90 dias de criação de conteúdo para se tornar num parceiro importante para o Google.

Assim que terminar a sua maratona de 90 dias, pode então dar uma olhada no Search Console para ver se existem erros de indexação e corrigir aquilo que for preciso.

Nada que possa fazer dentro da plataforma é tão importante como criar conteúdo de qualidade, optimizado para palavras-chave relevantes de forma consistente e persistente.

Pronto para começar um desafio 90 dias?

Diga-me o que pensa nos comentários abaixo!

Conta de anúncios facebook desativada - e agora

A Minha Conta de Anúncios de Facebook foi Desativada: O que Fazer?

Neste artigo vais aprender duas coisas:

Primeiro, como evitar que a tua conta de
anúncios seja desativada pelo Facebook, muitas vezes, sem razões óbvias.

A segunda coisa é o que fazer se, de facto, a tua conta for desativada para que o teu negócio não seja prejudicado durante muitas semanas ou, às vezes, meses.

Já me aconteceu ter a conta bloqueada e desativada duas vezes, e tenho ouvido imensas histórias de pessoas que veem as suas contas a serem desativadas por causa da reincidência de anúncios reprovados.

A minha conta de anúncios Facebook foi desativada - o que devo fazer

O grande problema é que as pessoas não sabem exatamente qual é que é a política, nem a razão pela qual um anúncio é desativado.

O Facebook nunca diz exatamente porque é que isso aconteceu, portanto, vamos explorar este tópico aqui hoje.

Se preferires ver este artigo em formato vídeo, clica na imagem abaixo:

Como Evitar que o Facebook Desative a Tua Conta de Anúncios

Como evitar que o facebook desative a tua conta de anúncios

Ultimamente, o Facebook tem estado a rejeitar anúncios a torto e a direito, muitas vezes sem qualquer razão aparente.

Principalmente, devido às restrições de mensagens políticas, ou mensagens relacionadas com a questão da pandemia de 2020.

Mas não só: o Facebook tem estado a desativar bastantes anúncios sem qualquer razão aparente.

Muitas pessoas criam uma conta pela primeira vez e veem o seu anúncio ser reprovado imediatamente, facto que cria frustração...

E pior ainda: o processo de pedir para que os anúncios sejam revistos e para que a conta seja reativada novamente pode ser um pouco complexo.

Primeiro Percebe Qual é o Objetivo do Facebook

Então, como é que podemos evitar que isto aconteça?

O primeiro passo é evitarmos que isto acabe por acontecer porque, se fizermos o nosso trabalho de casa, a probabilidade de termos os nossos anúncios rejeitados é muito menor e, por consequência, também a conta não será desativada assim tão facilmente.

Primeiro, temos de perceber o que é que o Facebook realmente quer.

O que é que o Facebook exige de nós como anunciantes, e quem são os seus utilizadores.

O Facebook quer proteger a sua audiência a todo o custo, e exige ter uma experiência positiva para todos os seus utilizadores.

Quer que exista um ambiente saudável e seguro para os seus utilizadores, e estes não se podem sentir de maneira alguma lesados com os nossos anúncios.

Existe também uma lista enorme de nichos de mercado que são proibidos. 

O que é que o Facebook Analisa nos Teus Anúncios?

O Facebook olha para o texto dos teus anúncios, o texto das páginas de destino, qual é que é o feedback que os utilizadores estão a ter dos nossos anúncios.

Estão a pôr muito daquelas reações zangadas? Qual é que é o sentimento geral dos teus anúncios? Tens a política de privacidade ativa na tua página de aterro? Qual é que é o IP que estás a utilizar quando crias anúncios?

Portanto, o teu trabalho de casa é estudar a fundo a política de anúncios do Facebook.

Tens mesmo que o fazer, não há volta a dar.

Visita agora a página de políticas publicidade do Facebook.

Recomendo que leias o documento por completo. Não é assim tão longo, é possível ler em menos de uma hora, mas lê realmente com atenção porque vais ver que há três áreas comuns que são proibidas.

O Facebook deteta-as como sendo as áreas que mais comumente são desrespeitadas e, como tal, os anúncios são desativados automaticamente. 

Políticas de Publicidade do Facebook: O que Não Podes de Todo Fazer

Políticas de Publicidade do Facebook

Primeiramente, falar sobre características pessoais.

Fazer anúncios a dizer “você sente-se assim?”, “você sente-se inseguro?”, “você está a querer perder peso?”, “não está contente com o que quer que seja da sua vida pessoal?”, é uma razão super-rápida para o Facebook reprovar imediatamente o anúncio.

Basicamente, tudo o que faça com que as pessoas se sintam um pouco mal consigo mesmas, com a sua situação atual, é uma razão muito forte para o Facebook desativar os teus anúncios e, se o fizeres repetidamente, corres o risco de ver a tua conta banida.

A segunda área comum é o conteúdo sexualmente agressivo, que obviamente não é tolerável nos anúncios do Facebook.

Depois, o terceiro ponto é usar marcas do Facebook nos anúncios, como por exemplo logótipos, falar sobre o Facebook em si (por exemplo, agências a tentarem anunciar sobre gestão de anúncios de Facebook etc.).

Portanto, são três áreas que são proibidas e que saltam logo à vista e que nós não devemos, de todo, incluir nos nossos anúncios.

Mas o Conteúdo Proibido pelas Políticas de Publicidade do Facebook Não Fica por Aqui...

Se leres as políticas de publicidade do Facebook vais ver que no total existem 43 tipos de conteúdo que é proibido ou restrito.

Alguns são mais óbvios do que outros. Vais ver coisas como armas, conteúdo sexualmente agressivo ou de agressões, ou tabaco.

No entanto, existem conteúdos um pouco subjetivos, facto que dá azo a que a nossa interpretação possa não ser a mais correta e, como tal, devemos evitar de todo correr qualquer risco.

Se criarmos uma conta nova e começarmos a incluir anúncios com conteúdo que possa ser subjetivo ou que esteja nesta área cinzenta que o Facebook descreve na sua política de anúncios, nós vamos ser banidos.

Assim, antes de anunciarmos o que quer que seja, devemos ler completamente todas as políticas de anúncios do Facebook e evitar falar sobre aquilo que está ali descrito.

Portanto, o Facebook está a dizer o que é que não quer que se escreva, e qual é que é o conteúdo que é restrito (que precisa de ser pré-aprovado antes de se anunciar).

O meu conselho é evitar por completo tudo o que está descrito naquele documento porque, dessa maneira, corremos muito menos riscos e teremos uma conta de anúncios muito mais saudável.

O Facebook Não quer que Faças os Seus Utilizadores Sentirem-se Mal Consigo Mesmos

Outro ponto importante: tudo o que seja comunicar com o nosso público-alvo, usando formas de tratamento como “você”, “você sente-se assim”, “você tem estes problemas”, é uma razão muito forte para o Facebook olhar para o anúncio e reprová-lo.

Nós temos de tentar ser o menos diretos possível, falar mais sobre “eu”, sobre “nós” e menos sobre “você”. Isto é possível contando histórias pessoais ou contando casos de sucesso de outras pessoas.

Uma dica: estuda os anúncios da concorrência que já estão a correr há algum tempo (usa a Biblioteca de Anúncios do Facebook).

O facto desses anúncios ainda estarem a correr significa que o Facebook aprovou e que utilizam uma linguagem segura.

Portanto, devemos analisar qual é a linguagem que está a ser utilizada, os termos que estão a ser utilizados, e assim mantemo-nos mais seguros sobre aquilo que estamos a querer anunciar.

O que Fazer Então se a Minha Conta de Anúncios Facebook for Desativada?

O que fazer se a minha conta de anúncios Facebook for desativada

O que fazer, então, se, por acaso, a conta for desativada por causa de alguma infração que tenhas cometido?

Em primeiro lugar, temos de descobrir qual é que foi a regra que nós quebrámos. O Facebook não vai dizer diretamente “quebrou a alínea x”.

Nunca.

Temos de ir ler as políticas de publicidade, identificar qual é que é a frase que achamos que nós devemos estar a infringir e, quando estamos a comunicar com o Facebook, sermos claros:

"Assumo que cometi este erro, já fiz uma alteração no anúncio e creio que agora já está correto. Por favor, revejam o meu anúncio.”

Temos de explicar sempre que estamos conscientes das regras e que queremos cumpri-las, porque o Facebook nunca vai dizer qual é que é a regra que quebrámos.

Temos que ser nós a fazer este trabalho de casa.

E depois, então, pedir a revisão de porque é que a conta foi bloqueada ou porque é que o anúncio foi banido e explicar o nosso caso. 

A Melhor Maneira de Pedir Revisão dos Teus Anúncios Desaprovados ou Conta de Anúncios Facebook Bloqueada

A melhor maneira de o fazer é através do chat do suporte de anúncios Facebook.

O Facebook tem um canal chat para suporte que, no fundo, é o veículo mais rápido para nós entrarmos em contacto e tentar resolver os nossos problemas.

Acede ao a Centro de Ajuda para Negócios do Facebook, e sensivelmente no meio da página clica em "Começar" na secção "Encontra as respostas ou contacta a equipa de suporte":

Centro de Ajuda do Facebook Business - Chat

Preenche o formulário de conta desativada Facebook, e segue as instruções.

É importante ser persistente nesta comunicação.

Vai haver muita pergunta e resposta e pode levar mesmo alguns dias ou, às vezes, até semanas para termos a nossa conta de volta.

No entanto, devemos manter a persistência, sermos sempre amigáveis, e termos sempre com uma abordagem abundante e positiva.

Mostrar sempre que queremos resolver o problema, que estamos conscientes das regras e que queremos cumpri-las.

Ou seja, estamos a fazer os possíveis para estar dentro do jogo e daquilo que o Facebook tanto deseja. 

Se não obtivermos uma resposta ao nosso pedido de revisão numa semana, vamos pedir outro.

Há sempre essa opção de pedir mais uma revisão e continuando a comunicação através do chat.

Como Manter o Teu Gestor de Anúncios Facebook Sempre Saudável

Se mantivermos esta atitude positiva, simpática, amigável e de alguém que quer realmente cumprir as regras, temos tudo para garantir que o nosso anúncio vai ser aprovado ou que a nossa conta vai ser reativada.

Mas, antes de mais, temos de fazer o trabalho de casa: ler as políticas de publicidade de cima a baixo, e garantir que não estamos a quebrar nenhuma das regras que lá estão.

Quando há regras que são um pouco subjetivas e dúbias, o melhor é não fazer sequer o anúncio que aborda essa temática ou esse conteúdo e, dessa maneira, será muito mais fácil.

Espero que este artigo tenha sido útil, e que a partir de agora os Facebook Ads não sejam mais uma dor de cabeça para ti!

Um abraço,

Tiago "relação distante mas saudável com o Facebook" Faria

Como usar a garantia de satisfação e vender mais

Como Usar a Garantia de Satisfação Total para Vender Mais

Hoje vamos falar de um tópico que acho que é muito pouco utilizado pela vasta maioria dos negócios que operam no nosso país.

Quando feito da maneira correta e implementado da maneira correta, vai fazer com que seja mais difícil aos clientes teus clientes dizerem que não do que comprarem.

Vou partilhar aqui uma história contigo e falar um pouco sobre o que é que é isto da reversão de risco e porque é que é tão importante.

Como usar a garantia de satisfação para vender mais

Se preferires ver este artigo em formato vídeo, ou ouvir em formato áudio, escolhe uma das opções abaixo:

Esta história vai ajudar a ilustrar o ponto a que eu quero chegar: a história da menina e do pónei.

Ouvi esta história através do Jay Abraham, o criador da filosofia que sigo à risca "Estratégia de Preeminência":

O pai de uma menina queria oferecer um pónei à sua filha no seu aniversário e, na vila onde eles moravam, existiam dois póneis disponíveis.

Ambos tinham características semelhantes, e nada que os diferenciasse.

O primeiro senhor vendia um pónei por 500 euros, pegar ou largar: “está aqui, se quiser o pónei, leve, 500 euros. Se não quiser, pode seguir para outra.”

O outro senhor vendia um pónei por 750 euros, mas havia aqui uma diferença: este segundo homem dizia:

“Você pode levar o pónei para a sua filha experimentar durante 30 dias e eu, ainda por cima, vou transportar o pónei até à sua propriedade para não ter problemas. Levo ainda fardos de palha para alimentar o pónei durante esses 30 dias em que a sua filha vai experimentar o pónei e, mais ainda, uma vez por semana, o meu assistente vai ter à sua propriedade para ajudar a menina a cuidar do pónei, a montar o pónei e a divertir-se de maneira correta com o pónei.”

No final, este senhor ainda dizia: “No final dos 30 dias vou voltar à sua propriedade e das duas, uma: ou limpo tudo para deixar como estava e trago o pónei de volta, se vocês não o quiserem... ou se vocês adorarem o póneu cobro então os 750 euros.”

Qual é que achas que seria o pónei que o pai da menina iria escolher?

Obviamente que era a última opção.

Uma opção mais cara, 750 euros, mas como o senhor fez tudo para reduzir o risco ao máximo e aumentar a confiança que as pessoas tinham no seu serviço...

E, além do mais, ofereceu bónus, serviços adicionais, que mais ninguém o fazia na vila, tornou-se a única solução viável aos olhos dos potenciais clientes.

A Garantia de Satisfação Total é Uma Das Tuas Maiores Vantagens Competitivas

Isto é, de facto, uma das maiores vantagens competitivas que podem existir:

Pôr o risco todo do nosso lado, do lado dos vendedores, e retirar o risco todo a quem está a tentar tomar uma decisão de compra.

Normalmente, a maior parte dos negócios faz o oposto: põe o risco todo do lado do comprador porque ele vai comprar um produto que não sabe se funciona, não sabe se vai funcionar no seu caso ou não e, portanto, se correr mal, vai perder o dinheiro que tanto lhe custou a ganhar durante o mês.

É um risco que correu e, como tal, foi uma compra assim meio ansiosa e insegura. 

Portanto, isto é uma grande vantagem competitiva que, se for usada da maneira correta, vai fazer com que seja mais difícil à pessoa que está do outro lado dizer que não do que avançar e dizer “ok, vamos avançar, se eu não tenho risco algum do meu lado, se eu puder ver o meu dinheiro devolvido ou se eu puder nem sequer pagar, experimentar durante 30 dias e só depois é que posso pagar ou não, não tenho risco nenhum, portanto, não há problema nenhum em eu avançar.”

Como tal, vai depois experienciar o produto ou serviço, vai experienciar o contacto com esta empresa e, depois, vai ser muito mais fácil dizer que sim no final dos 30 dias (ou qualquer que seja o período).

Isto é muito importante porque, quando eliminamos este risco inicial, eliminamos o principal obstáculo à compra.

Lá está, é o risco que as pessoas sentem em tomar uma decisão de compra e que, normalmente, está sempre do seu lado.

Mas se nós formos a única negócio a assumir totalmente todo o risco e retirar todo o risco do outro lado, as pessoas vão começar a tomar muito mais decisões favoráveis para nós. 

Diferentes Tipos de Garantias de Satisfação

Podemos assumir o risco de diversas maneiras, e oferecer diferentes tipos de garantias.

Pode ser devolver o dinheiro, no caso da pessoa não tiver gostado do serviço...

Ou então, fazer como o senhor do pónei fez: dar o pónei durante 30 dias para a menina experimentar a qualidade do serviço, ensiná-la a utilizar o produto - o pónei, neste caso – e no final desses 30 dias, a pessoa terá, então, a opção de comprar ou não, sem problema algum.

Outro tipo de garantia que também se pode dar é refazer o trabalho. Se achares que é demasiado oferecer o dinheiro de volta, também se pode refazer o trabalho diversas vezes, até o cliente ficar satisfeito.

Será que Vou Perder Dinheiro Se Oferecer uma Garantia de Satisfação?

Será que vou perder dinheiro se usar uma garantia de satisfação

Existem então aqui diferentes alternativas e eu sei que uma questão que existe muito em mente é:

Será que vou perder muito dinheiro se começar a oferecer este tipo de garantias?

A melhor resposta para isso é: não há nada como experimentar.

Porque não experimentar com 10 clientes, oferecendo uma garantia extraordinária como estas de “tem 90 dias para usar, se não gostar, eu devolvo o dinheiro, sem problema algum, sem perguntas algumas” e experimentar com outros 10 clientes sem garantia e ver qual é que é a diferença?

Será que eu tive mais conversão deste lado do que deste?

Será que as devoluções deste lado não compensam estar a fazer esse esforço para angariar novos cientes?

Mas acredita que com este tipo de garantias a quantidade de pessoas que trará e atrairá, será muito superior àquela percentagem pequena de pessoas que irão pedir o dinheiro de volta ou pedir que refaças o trabalho.

Portanto, é uma questão mesmo de experimentar, não há nada como testar.

Ninguém nasce ensinado, ninguém sabe tudo, isto não é uma ciência exata, nós temos que, dependendo da nossa audiência, perceber “ok, esta audiência reage bem a isto ou reage mal a isto”. 

Temos de testar para perceber como é que funciona e ir ajustando, no fundo, a nossa oferta para sabermos o que é que nos dá o melhor retorno e fornece o melhor serviço a quem está do outro lado.

Como Criar uma Garantia de Satisfação que Aumenta as Vendas

Como criar uma garantia de satisfação que aumenta as vendas

Outra dica importante é tornar bastante claro e detalhado o total compromisso que nós temos com a satisfação do cliente. 

Existem algumas empresas que dizem “garantia total de 30 dias”, mas põem assim muito escondidinho em letras pequenas.

Não querem dar muita atenção a esse aspeto por causa de pensamentos limitantes como “ah, a ver se as pessoas não pedem o dinheiro de volta”

Mas o que eu te proponho a experimentar é pores essa garantia no topo da tua mensagem de marketing.

Ou seja, fazer da tua garantia o principal diferencial que tu tens versus toda a tua concorrência porque mais ninguém o vai fazer.

A maior parte das empresas tem até um pouco de receio até disso. Pensam que vai ser uma dor de cabeça, e não querem que as pessoas peçam o dinheiro de volta.

No entanto, se invertermos essa mentalidade de escassez para uma mentalidade de abundância (ou seja, reduzir o risco ao máximo da audiência que estamos a servir pois, no fundo, estamos neste mundo para servir este grupo de pessoas da melhor maneira possível)...

E formos os únicos que retiramos o risco todo da pessoa que está do outro lado, nós vamos quase automaticamente posicionar-nos como a única solução viável para essa pessoa.

E, como tal, estamos basicamente a tornar a concorrência irrelevante, porque mais ninguém toma este cuidado.

Espero que tenhas gostado e achado este artigo relevante e, experimenta incluir uma garantia de satisfação total no topo da tua mensagem de marketing.

Garanto que vais começar a ver resultados muito mais rapidamente porque, removendo este obstáculo principal que é o risco que as pessoas sentem a tomar uma decisão de compra, a compra acaba por se desbloquear muito mais facilmente.

Um abraço,

Tiago "reversão de risco" Faria

pesquisa de palavras chave, palavras chave, palavras chave artigo, ferramenta palavras chave, palavras chave google

Como Fazer Pesquisa de Palavras Chave em 3 Simples Passos

Como criador de conteúdo para os motores de busca, a pesquisa de palavras-chave é um dos factores mais importantes do seu trabalho.

A pesquisa de palavras-chave permite-lhe criar conteúdo que os motores de busca como o Google ou Bing podem encontrar e mostrar a quem pesquisa.

Permite-lhe também perceber exatamente o que as pessoas estão interessadas em aprender.

Se fizer uma boa pesquisa de palavras-chave, garantirá que não está a escrever conteúdo que nunca vai ser lido…

tornar-se-á num criador de conteúdo de qualidade que tem na sua mente o retorno do seu investimento de tempo e energia.

pesquisa de palavras chave, palavras chave artigo, ferramenta palavras chave, palavras chave google

De Amador para Profissional



É a diferença entre um amador e um profissional.

Mas não basta ir atrás das palavras-chave com mais pesquisas nos motores de busca…

Tem também que garantir que bate a concorrência!

Em média, os primeiros 4 resultados de pesquisa orgânicos são os que recebem ⅔ do tráfego.

Isto significa que você deve escolher as palavras-chave que realisticamente tem hipótese de aparecer nos resultados de pesquisa dos motores de busca.

Ou Melhor Ainda...

Aparecer no topo dos resultados de pesquisa.

E como obter essa informação?

Felizmente existem várias opções de ferramentas de pesquisa de palavras-chave no mercado que combinam a análise de tráfego com a análise de concorrência (neste artigo vamos focar-nos na mais simples e rápida: KWfinder).

Se quer tirar o melhor proveito dos seus esforços de criação de conteúdo em motores de busca…

Vamos a isto!

A Importância da Pesquisa de Palavras-Chave

importancia palavras chave, analise de palavras chave, pesquisa palavras chave, palavras chave artigo

No mundo da optimização para motores de busca, as palavras-chave são a base de tudo.

As palavras-chave são as frases e palavras que as pessoas estão a inserir nos motores de busca para obterem respostas para os seus problemas, procurar soluções, ou apenas informação.

A pesquisa de palavras-chave vai permitir-lhe identificar a maneira como as pessoas pesquisam por informação relacionada com o seu nicho de mercado.

O seu objetivo será portanto incluir essas mesmas palavras-chave nos seus artigos de blog, nos títulos, no URL, meta-description, etc. (veja como no meu curso SEO gratuito).

No entanto, lembre-se do seguinte:

A sua Estratégia de Marketing de Conteúdo tem Duas Audiências...

Os motores de busca e o seu público-alvo (quem clica nos links e lê o conteúdo).

Se descurar da sua audiência principal - as pessoas - nada daquilo que vamos falar hoje funcionará.

O segredo está em criar conteúdo de qualidade, que capte a atenção do seu público-alvo, que de facto responda às perguntas das pessoas e que ajude a resolver um problema ou atingir um objetivo.

Se o seu foco principal for esse, as mudanças de algoritmos dos motores de busca não terão impacto no seu sucesso.

Pense no seguinte:

Você é um parceiro dos motores de busca.

Os motores de busca precisam de parceiros que criem conteúdo que responda às perguntas dos utilizadores e que faça com que os utilizadores voltem sempre que precisarem de informação.

Se o seu foco principal for esse e não encher o seu site de palavras-chave ou outras estratégias black-hat, o seu negócio irá ter sucesso.

Bom, com isto esclarecido, avancemos com a pesquisa de palavras-chave:

Ferramenta de pesquisa de palavras-chave: KWfinder

pesquisa palavras chave, ferramenta palavras chave

[Atualização 2019: o KWFinder está neste momento a limitar as pesquisas gratuitas. Como alternativa, utilize o Ubersuggest]

Existem ferramentas para pesquisa e análise de palavras-chave pagas, freemium e gratuitas.

A que utilizo todos os dias é o KWfinder.

O KWfinder é uma ferramenta freemium que permite fazer 5 pesquisas gratuitas por dia, fornece 50 sugestões de palavras-chave por cada pesquisa por dia, para além de lhe mostrar 100 backlinks por dia gratuitamente.

Isto é mais do que suficiente para começar uma estratégia potente para o seu marketing de conteúdo.

Por outro lado, o KWfinder dá-lhe toda a informação mais relevante sobre qualquer palavra-chave numa página apenas.

O interface é simples, claro e intuitivo, fazendo a pesquisa por palavras-chave algo até divertido.

Mas melhor ainda: o KWfinder é rápido!

Num instante, você tem acesso ao volume de pesquisas, ao grau de dificuldade das palavras-chave, sugestões de palavras-chave adicionais, assim como a lista de páginas concorrentes.

A versão paga (básica) é neste momento €25.90 por mês (se escolher o plano anual), permitindo-lhe fazer 100 pesquisas por mês, sendo mais barato que outras ferramentas populares como o Ahrefs, SEMrush ou MOZ.

Veja no vídeo abaixo como uso o KW Finder para encontrar palavras-chave fáceis de indexar no Google:

Como Fazer Pesquisa de Palavras-Chave Utilizando o KWfinder

O primeiro passo é fazer um “brainstorming” sobre os temas que vai desenvolver no blog.

Escrever uma lista exaustiva por tópicos, pensando em todo o tipo de variações possíveis.

Ponha-se no lugar do seu “cliente ideal” e tente perceber qual em que fase da “pirâmide de consciência” está:

Inconsciente? Consciente do problema? Consciente da Solução? Consciente do Produto?

Isto dar-lhe-á uma indicação sobre que tipo de palavras-chave explorar:

“O que é X”, “como fazer X”, “qual o melhor X”, etc.

Inclua mais variações utilizando as “sugestões” da Google e analise o volume de pesquisas geral (usando o Keyword Planner), para chegar a uma lista de duas ou três palavras-chave sobre um tópico específico.

Neste artigo poderá ver como gerar ideias e tópicos para criação de conteúdo.

O KWfinder é o Seu Melhor Amigo

Assim que tiver um tópico em mente, comece por inserir no KWfinder as duas ou três palavras-chave que melhor o definem (com base na sua pré-análise referida acima).

Permita-me que explique como o fazer, usando o exemplo simplificado deste artigo que estou a escrever.

Este artigo é sobre “palavras-chave” e o objetivo é ajudar o leitor a saber exatamente como pesquisar palavras-chave relevantes para o seu website.

Os utilizadores vão inserir diferentes tipos de palavras e frases nos motores de busca para obterem a informação que querem.

Neste caso vamos analisar simplesmente o termo “palavras chave” para ver exatamente como as pessoas procuram por informação sobre este tópico.

No KWfinder começo então por inserir “palavras chave” e o resultado é o seguinte.

kwfinder, pesquisa palavras chave, ferramenta palavras chave

Neste caso a palavra genérica “palavras chave” tem um volume de pesquisas relativamente alto (cerca de 480 por mês).

No entanto, não se preocupe demasiado com este número. Trata-se apenas de uma estimativa do KWfinder e não é 100% certa (apenas os motores de busca têm acesso a esses dados).

Serve mais de indicativo, mas todas as palavras-chave que aparecem aqui são palavras que foram de facto usadas por pessoas.

Se ordenar por volume de pesquisas o resultado é o seguinte:

kwfinder, kw finder, palavras chave, ferramenta palavras chave

Na lista acima vai ver palavras-chave como “adwords” ou “marketing digital” com volume de pesquisa muito alto, mas que são irrelevantes para o tópico que quero escrever.

Este artigo não vai responder a perguntas que os pesquisadores destas palavras-chave genéricas procuram, portanto não as vou incluir na minha análise,

Portanto, analisando a lista vou querer focar-me nas palavras-chave relevantes para o meu tópico:

“Palavras chave” - 480 pesquisas por mês

“Ferramenta de palavras chave” - 10 pesquisas por mês

“Pesquisa palavras chave” - 10 pesquisas por mês

“Palavras chave artigo” - 20 pesquisas por mês

Lembre-se, o número de pesquisas não é o mais importante. Trata-se apenas de estimativas.

Analisando a Dificuldade da Palavra Chave

O passo mais importante, especialmente se o seu site ainda não tiver um domain authority suficientemente alto, ou se apenas agora estiver a começar…

É a análise da dificuldade da palavra-chave.

O KWfinder faz esta análise por si de maneira bastante simples e intuitiva:

Keyword SEO Difficulty” é uma funcionalidade que calcula o grau de dificuldade para que o seu link entre na primeira página dos resultados de pesquisa (com base no LPS “Link Profile Strength” dos links concorrentes).

O grau de dificuldade varia entre:

Easy (fácil): 0-14

Still Easy (ainda é fácil): 15-29

Possible (possível): 30-49

Hard (difícil): 50-69

Very Hard (muito difícil): 70-84

Don’t do it (não tente): 85-100

De preferência você deverá apontar para o máximo de 30 em termos de grau de dificuldade.

O que Realmente Importa

Produzindo conteúdo de qualidade (melhor qualidade que a concorrência), com frequência (mais frequência que a concorrência), e optimizando o seu conteúdo para os motores de busca…

Será fácil de subir aos primeiros lugares, fazendo com que o seu site ganhe ímpeto e autoridade.

Assim que tiver uma vasta quantidade e qualidade de conteúdo no seu blog, poderá então “atacar” as palavras-chave com mais volume de tráfego e concorrência…

Fazendo uso dos seus artigos já publicados e criando links internos para os seus novos artigos.

Esta rede de links internos vai criar “silos” de conteúdo, que em conjunto com todos os seus esforços de SEO vão aumentar a autoridade do seu site e páginas (e por consequência, subir para o topo de resultados de pesquisa).

Mas, voltemos ao meu exemplo.

Analisando por exemplo a palavra-chave “palavra chave artigo” (passo a redundância), vejo o seguinte resultado:

kwfinder, kw finder, dificuldade palavra chave, palavras chave ferramenta

Como vê, o grau de dificuldade é de 18, o que significa que esta palavra chave tem um grau de dificuldade baixo para entrar na primeira página dos resultados de pesquisa.

Olhando para a lista de concorrência “Google SERP”, pode ver que tem bastantes links com “LPS” abaixo de 30.

Para além disso, muitos dos artigos têm poucas palavras ou conteúdo incompleto, o que me dá um indicativo forte que é possível subir o meu ranking se criar conteúdo relevante, de qualidade e exaustivo.

Utilize a Informação que a Google Fornece Sobre Palavras-Chave

palavras chave google, pesquisa palavras chave, palavras chave artigo

A relevância dos resultados de pesquisa dos motores de busca é uma das suas grandes prioridades.

Por isso, quando escolher as suas palavras-chave vai querer incluir variações que significam exatamente o mesmo, mas dito de maneiras diferentes.

Tendo essas variações incluídas no seu conteúdo dão um sinal aos motores de busca que o tema do seu artigo é mesmo o mais relevante para o utilizador.

Não se limite apenas a 2 ou 3 que escolheu no passo anterior.

Pode usar dezenas de palavras-chave adicionais relacionadas com o tema específico, que significam basicamente o mesmo.

Faça uma pesquisa na Google usando uma janela “incognito” (“incognito” porque não quer que o seu perfil de conta altere os resultados) e verá frases adicionais para incluir no seu artigo.

Nas sugestões de palavras-chave:

palavras chave google, google sugestões, palavras chave pesquisa

Dica: usando a mesma pesquisa, adicione um espaço antes da sua palavra-chave para ver sugestões adicionais:

sugestoes palavras chave google

Pode também encontrar sugestões adicionais nos resultados de pesquisa (em negrito):

palavras chave google, palavras chave pesquisa

No fundo dos resultados de pesquisa (pesquisas relacionadas):

palavras chave google, palavras chave relacionadas, pesquisa palavras chave

Tudo isto são sinais que a Google considera estas palavras-chave como relevantes e são variações utilizadas frequentemente pelos utilizadores.

Utilize estas variações quando estiver a fazer um check final no seu artigo.

Veja o vídeo abaixo onde o Brian Dean fala sobre estas e mais técnicas para fazer análise de palavras-chave detalhada:

Inclua Todas as Variações de Palavras-Chave no Seu Artigo

pesquisa palavras chave, palavras chave artigo

Com toda esta informação inclua as palavras-chave principais (que identificou no KWfinder) no título, headings, meta descrições, meta tags, URL e imagens.

Dê prioridade à colocação das palavras-chave com mais volume de pesquisa.

Por exemplo, no meu caso não vou querer dar prioridade à palavra chave “ferramenta de palavras chave”, uma vez que estaria a perder algum do alcance do termo “palavras chave artigo”.

Quero que as palavras-chave com mais volume estejam no título e URL do artigo, mas sem esquecer de incluir as restantes no meu conteúdo e “headings”.

O objetivo é incluir a maior variação possível de palavras-chave relacionadas com o seu tema e que refletem a maneira como as pessoas pesquisam nos motores de busca.

Saiba os detalhes de como optimizar para os motores de busca neste mini curso SEO.

Mas de novo, toco nesta tecla importante:

O Foco Principal do Seu Marketing de Conteúdo Deve Estar nas Pessoas

São os utilizadores que vão ver o seu link e vão decidir se querem clicar ou não.

São os utilizadores que vão ler o seu conteúdo e decidir se querem continuar no seu site, ou se voltam imediatamente para os resultados de pesquisa para procurar links que de facto respondam à sua pergunta.

Estas ações dos utilizadores enviam sinais para os motores de busca.

Se o seu conteúdo não despertar interesse, não for relevante ou se não tiver qualidade…

O seu link sairá das primeiras página dos resultados de pesquisa e será substituído por outro que ajude mais os utilizadores.

Foque-se no utilizador, seja um parceiro para os motores de busca, e mais tarde ou mais cedo será recompensado!

Vamos rever: Pesquisa de Palavras Chave

  • A pesquisa de palavras-chave é extremamente importante para o sucesso do seu negócio
  • Utilize uma ferramenta de pesquisa de palavras chave simples e eficaz. O KWfinder junta estas duas componentes
  • Pesquise no KWfinder por palavras-chave relacionadas com o tópico que quer cobrir e veja quais têm mais tráfego e um grau de dificuldade menor
  • Utilize as sugestões da Google para incluir mais variações das palavras-chave e aumentar o seu alcance e relevância
  • Inclua todas as palavras-chave que identificou no título, URL, headings, meta tags e imagens do seu artigo
  • Foque-se no utilizador! Se o seu conteúdo não for útil e relevante para os utilizadores, nada disto conta para o seu sucesso

Agora Está do Seu Lado

O que acha deste método?

Se tiver alguma pergunta ou sugestão, por favor deixe um comentário abaixo.

Terei todo o gosto em responder!

Um abraço,

-Tiago "analisar é ganhar" Faria

assistente virtual, assistentes virtuais, assistente pessoal virtual, assistente virtual online, assistente pessoal remoto, assistente virtual preços, como encontrar assistente virtual, como contratar assistente virtual

3 Dicas para Encontrar um Assistente Virtual Bom e Barato

Se procuras um assistente virtual bom e barato, provavelmente estás a fazer a tua primeira pesquisa e não queres cometer erros…

Ou então estás a tentar uma vez mais, mas queres evitar erros e fazer as coisas da melhor maneira desta vez.

Estás a chegar a um ponto no teu negócio em que já não tens tempo para fazer tudo, ou não queres mais fazer tarefas repetitivas…

Queres ter finalmente os fins-de-semana para relaxar com a família e amigos, e teres um grupo de assistentes virtuais que te deixem descansado e seguro.

assistente virtual, assistentes virtuais, assistente pessoal virtual, assistente virtual online, assistente pessoal remoto, assistente virtual preços, como encontrar assistente virtual, como contratar assistente virtual

Se quiseres ver a versão vídeo ou ouvir a versão podcast deste artigo, escolhe uma das opções abaixo:

Este artigo vai ajudar-te a chegar a esse ponto, mas antes gostava de esclarecer algo importante:

Focares-te Apenas em Assistentes Virtuais Baratos Sai Caro

assistente virtual, assistentes virtuais, assistente pessoal virtual, assistente virtual online, assistente pessoal remoto, assistente virtual preços, como encontrar assistente virtual, como contratar assistente virtual

Por agora, esquece a palavra “barato”.

Assistentes virtuais baratos trazem muitas vezes problemas que acabam por te custar mais caro.

Sim, é possível encontrar assistentes virtuais por bons preços, mas se o teu foco estiver apenas no custo por hora…

Sem teres em consideração como será trabalhar com essa pessoa…

O mais provável será encontrares mais problemas do que soluções.

Em vez disso, deves procurar assistentes virtuais que te podem trazer um retorno em termos de valor acrescentado, mesmo que acabes por pagar um pouco mais.

Ou seja, encontrar um assistente virtual bom e barato.

Quando o fazes, o retorno para o teu negócio será:

  • Deixares de fazer as tarefas que não gostas ou que não tens especial aptidão
  • Teres mais tempo para fazeres aquilo que mais gostas
  • Focares-te naquilo que realmente importa para o teu negócio, e que realmente o faz crescer

No entanto, se te focares apenas em contratar barato, o resultado mais provável será:

  • Gastares demasiado tempo a comunicar com o teu assistente virtual
  • Desperdiçares dinheiro em trabalho que não será útil para o teu negócio
  • A tua frustração aumentará por não veres resultados e por estares a perder mais tempo do que antes

Portanto, para evitares os aspetos negativos e aproveitares apenas os aspetos positivos de assistência virtual, o teu foco deve estar em encontrar a pessoa certa.

Contratar alguém é um processo complicado e vão sempre existir sempre “erros de casting”...

No entanto, mais à frente irei revelar 3 dicas que vão aumentar exponencialmente a probabilidade de acertares à primeira.

Por agora, vejamos um outro aspeto importante:

Contratar Assistentes Virtuais a Tempo Inteiro ou Part-time?

assistente virtual, assistentes virtuais, assistente pessoal virtual, assistente virtual online, assistente pessoal remoto, assistente virtual preços, como encontrar assistente virtual, como contratar assistente virtual

A questão que deves colocar a ti mesmo é:

Queres criar uma equipa de freelancers, ou queres uma equipa de pessoas que se sentem identificadas e comprometidas com o teu negócio?

Contratar a tempo inteiro tem a grande vantagem de fazer com que as pessoas se sintam como parte da equipa.

Enquanto que se contratares alguém em part-time, essa pessoa sentir-se-á como um freelancer…

O que significa que dará sempre prioridade a incentivos para fazer mais dinheiro…

E se aparecer outro cliente que pague um pouco mais, pode muito bem dar prioridade a esse cliente.

No fundo, contratar um assistente virtual a tempo inteiro é muito mais eficaz, uma vez que faz com que essa pessoa sinta muito mais compromisso para com o sucesso do teu negócio…

E te poupe tempo precioso a procurar assistentes novos sempre que precisares de completar uma tarefa.

Vejamos então as 3 dicas para encontrares um assistente virtual que faça realmente a diferença no teu negócio:

Como Contratar Bons Assistentes Virtuais

assistente virtual, assistentes virtuais, assistente pessoal virtual, assistente virtual online, assistente pessoal remoto, assistente virtual preços, como encontrar assistente virtual, como contratar assistente virtual

Existem vários sites onde podes encontrar bons assistentes virtuais por preços baixos.

O Fiverr.com é o ideal para tarefas simples e de curta duração, mas não é o indicado se quiseres contratar um assistente virtual a tempo inteiro.

Por outro lado, o UpWork.com ou o Freelancer.pt permitem-te publicar um projeto, e receber ofertas de assistentes virtuais ou freelancers interessados.

Com estes dois últimos sites podes escolher pagar à hora, o que será o ideal para contratos a tempo inteiro.

No entanto, tenho obtido excelentes resultados em grupos de Facebook como o Trabalho Remoto & Nomadismo Digital. Existe muita gente com qualidade e que procura ativamente por oportunidades aqui.

Comecemos então por ver quais as melhores práticas para publicar um projeto:

Antes de mais, é essencial seres super específico na tua descrição, ou seja, partilhares o tipo de resultados que pretendes e o tipo de qualificações ou skills necessários.

No entanto, existem 3 dicas secretas que te vão ajudar a encontrar o melhor dos melhores entre as candidaturas que receberes (aponta para pelo menos 10 candidaturas):

Dica 1: Usa Uma Frase Secreta

Usar uma frase secreta na descrição do teu projeto é uma das melhores maneiras de assegurares que encontras assistentes que se preocupam com o detalhe.

Trata-se de um truque extremamente simples, mas ao mesmo tempo extremamente eficaz:

Insera uma frase no meio da tua descrição que diga algo como:

“No início da sua candidatura, inclua a frase “eu sou a pessoa indicada para este trabalho” se quiser ser a pessoa escolhida para este trabalho”

Insere a frase naturalmente no teu texto, sem a esconderes ou fazer sobressair demais.

Depois, quando estiveres a rever todas as candidaturas será muito fácil veres se têm a frase secreta ou não.

E os candidatos que não tiverem incluído, simplesmente descarta-os!

Se uma pessoa não consegue seguir as instruções numa candidatura, por que razão o faria quando estivesse a trabalhar contigo?

Filtra os candidatos que fazem “copy-paste” de candidaturas e que não se importem com o detalhe.

Dica 2: Dá Tarefas Simples na Tua Descrição de Projeto

Pedir aos teus candidatos que façam tarefas simples é uma maneira extra de separar os melhores assistentes dos medíocres.

Por exemplo, na descrição do teu projeto podes pedir que façam um teste de personalidade como o 16personalities.com (que já agora, é fantástico. Recomendo que o faças também!).

O objetivo principal deste exercício é verificar se os candidatos realmente fazem as tarefas simples que lhes são pedidas…

Mas também ver COMO as fazem.

Por exemplo, quando completam o teste de personalidade, será que enviam apenas o resultado? Ou também o link para o seu relatório completo?

Tudo isto são sinais do estilo de trabalho e da atenção ao detalhe.

Dica 3: Pede que Façam uma Apresentação Pessoal em Vídeo

Pedir uma candidatura em vídeo é incrivelmente eficaz se de facto quiseres receber candidatos sérios.

Tudo o que precisas de fazer é pedir que os candidatos filmem um vídeo curto usando o seu telemóvel ou câmara do computador.

Pede que falem um pouco sobre si, que te digam por que querem o trabalho, e que mostrem o seu espaço de trabalho.

Isto será útil por várias razões:

1) Vais saber se realmente estão comprometidos com o teu projeto. A maioria não se dará ao trabalho de enviar vídeo (os tais candidatos copy-paste), mas os que o fizerem serão sérios candidatos.

2) Vais ver na “vida real” o teu candidato e avaliar a sua motivação

3) Potencialmente vais ver o seu espaço de trabalho e avaliar por exemplo o quão organizados são ou se têm o material necessário (como por exemplo ecrãs para desenho gráfico).

Concluindo…

Se realmente quiseres contratar de forma inteligente, tenta contratar a tempo inteiro.

Vais passar por alguns contratempos normais, mas se usares as dicas acima a tua experiência será infinitamente mais fácil.

Contratar assistentes virtuais de qualidade e a bons preços vai permitir escalar o teu negócio muito para além dos teus esforços e do teu tempo…

Fazendo com que te possas dedicar ao que realmente faz crescer a tua empresa: o teu pensamento estratégico e de longo termo.

Um abraço,

-Tiago “barato sai caro” Faria

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Como Obter Testemunhos que Convencem Visitantes a Tornar-se Clientes

Neste artigo irá aprender tudo o que precisa para obter testemunhos que irão convencer os visitantes do seu site a tomar decisões rentáveis para si.

Especificamente, vou mostrar-lhe como obter testemunhos que contam histórias de transformação.

Como discutido no artigo sobre o poder das histórias, estas são extremamente eficazes uma vez que tocam no lado emocional das pessoas, versus apenas no lado racional…

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

...e como tenho dito no meu blog, as pessoas tomam decisões com base na emoção, justificando depois a sua compra com base na razão.

Esta simples alteração irá ter um impacto considerável nas suas conversões, em qualquer que seja a landing page que use (seja para obter leads, para obter marcações, reservas, ou vendas).

Se preferir ver este artigo em formato vídeo ou ouvir em formato podcast, escolha uma das opções abaixo:

O que é Um Testemunho?

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Quando o seu produto ou serviço ajuda alguém a resolver um problema específico ou a alcançar um objetivo desejado…

...é absolutamente crucial criar um sistema para captar a experiência dessa pessoa.

As suas palavras e explicações sobre como você a ajudou a resolver o seu problema.

Este tipo de conteúdo será uma arma de persuasão incrivelmente eficaz, uma vez que se trata de uma validação de terceiros sobre aquilo que você diz na sua mensagem de marketing.

No entanto, existe a maneira correta de captar testemunhos (veja abaixo), e existe a maneira errada (passivamente aguardar por emails/comentários).

Lembre-se que as pessoas adoram histórias de transformação...

Histórias de pessoas que passaram de "zero a herói":

E quando você usa a fórmula específica que aprenderá neste artigo, irá obter testemunhos que trazem esse poder de histórias de transformação.

Quando os visitantes do seu site lêem essas histórias de outros clientes que transformaram a sua vida para melhor através do seu produto/serviço…

Dá-se o clique!

A confiança aumenta exponencialmente, fazendo com que seja muito mais provável tomarem a decisão de comprar.

O Poder das Histórias como Testemunhos

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Aprendi pela primeira vez esta ideia através do livro “Building a Story Brand” da autoria do Donald Miller (livro mais do que recomendado!).

O livro tem ideias geniais sobre como criar uma marca com base em histórias, mas uma das ideias que mais me chamou a atenção foi a dos testemunhos.

Para se captar testemunhos com histórias transformação, existe uma fórmula de 5 simples perguntas que deve enviar aos seus clientes satisfeitos.

Estas podem ser enviadas por email em formato de questionário, mas recomendo vivamente que dedique tempo a entrevistar os seus melhores clientes cara-a-cara.

Se os testemunhos em texto são extremamente eficazes, os testemunhos em vídeo são 10X mais eficazes!

Imagine ter uma página de “histórias de amor”, com dezenas de vídeos de clientes satisfeitos a dizer que transformaram as suas vidas por causa do seu produto/serviço…

Basicamente não precisava de fazer mais nada para convencer novos clientes! Todo o seu marketing seria criado pelos seus melhores clientes.

Mas voltando ao questionário…

Assim que obtiver as respostas, pode facilmente juntá-las num só testemunho, criando uma história de transformação verdadeiramente impactante.

Mas quais são então essas 5 perguntas mágicas?

Como Obter Testemunhos em Formato de Histórias de Transformação

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Verá que muitas pessoas terão todo o gosto em oferecer testemunhos, pelo simples facto de se sentirem úteis e valorizadas…

E se o seu produto/serviço tiver verdadeiramente transformado as suas vidas para melhor, será ainda mais simples, pois no seu subconsciente sentirão que lhe devem algo de volta.

No entanto, para aumentar a probabilidade de receber respostas, pode usar incentivos tais como ofertas gratuitas ou descontos.

Para criar o mínimo de fricção possível (uma vez que as pessoas têm os seus dias ocupados), enviar um questionário simples de preencher, com 5 perguntas claras e exemplos de respostas ajudará bastante.

Vejamos então as 5 perguntas que deve enviar (ou perguntar em direto) aos seus clientes mais felizes:

1) Qual era o problema que tinha antes de descobrir o nosso produto/serviço?

Aqui o objetivo é preparar para o que aí vem, e contextualizar a situação anterior.

Com esta resposta, os leitores do testemunho irão sentir-se identificados (uma vez que será a sua situação atual), e a ligação emocional começará a ser criada.

2) Como se sentia quando tentava resolver esse problema sem sucesso?

Esta questão é uma das mais poderosas, uma vez que toca no lado emocional.

E como dito atrás, as emoções guiam e controlam as nossas decisões de compra…

Portanto, quando o visitante lê uma história que transmite uma mensagem emocional e se sente identificado com essa emoção (ex. frustração, depressão, querer desistir, etc)...

....essa pessoa pensará para si mesma “wow, eu sinto isso mesmo!”.

Este simples facto irá criar rapport imediato entre o visitante e a pessoa que conta a sua história, ligando-as emocionalmente.

3) O que achou de diferente em relação ao nosso produto/serviço?

Provavelmente já ouviu falar sobre unique selling proposition (USP), aquilo que faz o seu produto/serviço diferente da concorrência ou de outras alternativas.

E muitas vezes uma das melhores maneiras de saber exatamente o que nos torna únicos é… perguntar aos nossos clientes satisfeitos!

Estes dirão exatamente aquilo que nos diferencia de tudo o resto que experimentaram anteriormente, que nem sequer tínhamos pensado antes.

Como tal, a resposta a esta pergunta pode muito bem ser uma ferramenta poderosa para a sua mensagem de marketing, e ser usada em anúncios, landing pages, emails, etc.

4) Descreva o momento em que percebeu que o nosso produto/serviço estava de facto a resolver o seu problema

Até aqui cobrimos tudo o que aconteceu antes da resolução do problema (problema, obstáculos, emoções negativas), e agora chegámos ao momento do “clique”.

O objetivo desta pergunta é fazer com que o cliente satisfeito partilhe o momento exato em que percebeu que esta era a solução que estava à procura.

E os leitores do testemunho, ao lerem essa mensagem, irão visualizar-se a si mesmos a sentir esse momento de transformação…

...que é exatamente aquilo que desejam nas suas vidas!

Importante: esta ligação apenas acontecerá se o leitor tiver passado por todas as emoções anteriores. Apenas assim criará rapport, e fará com que momento do “clique” tenha o impacto desejado.

5) Descreva-nos como é a sua vida agora que resolveu o seu problema

Esta pergunta tem como objetivo mostrar a nova vida do cliente satisfeito, dando ao leitor do testemunho a experiência de se projetar mentalmente para o futuro…

Um “novo futuro”, onde o seu problema já não existe, e onde a sua vida é melhor do que é hoje.

Esta parte é também bastante impactante, pois descreve e materializa a vida ideal que os seus potenciais clientes desejam, levando a ligação emocional ao pico.

Esta fórmula de 5 perguntas é absolutamente brilhante.

A maneira como transporta o potencial cliente numa jornada de A a B através de histórias de clientes satisfeitos, cria uma ligação emocional que jamais seria possível criar através de simples factos, benefícios ou promessas.

Adapte as perguntas para o seu negócio específico e para a sua audiência, e comece hoje a enviar para a sua lista de emails!

Se possível, marque entrevistas com os seus melhores clientes e visite-os para filmar uma entrevista, uma vez que os testemunhos em vídeo são 10X mais impactantes!

O facto de se disponibilizar a visitar os seus clientes, e a dar-lhes importância irá fazer com que se sintam ainda mais ligados a si e à sua marca…

Contribuindo para a sua missão de ser visto como a única solução viável.

Comece hoje a criar a equipa de marketing mais eficaz do mundo: os seus clientes satisfeitos!

Verá que irão vender mais produtos seus do que o melhor copywriter do mundo.

Um abraço,

-Tiago “contador de histórias” Faria

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Como Escolher um Nome de Domínio para o Seu Website

Sente-se a postos para escolher o nome de domínio para o seu site?

Pode já ter um negócio montado, já saber quem é a sua audiência, que produto vender, e o seu funil de vendas mapeado…

Ou pode já ter um website ativo e querer criar uma sub-marca…

Seja como for, escolher um nome de domínio pode ser uma tarefa morosa (a tal tendência para o perfeccionismo, tão humana…).

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Por isso, neste artigo gostava de lhe mostrar algumas técnicas que facilitarão na sua escolha de nome.

Antes de mais: não se precipite.

Lá porque um domínio está disponível, não quer dizer que fique indisponível de um dia para o outro...

E depois, pense em qual é o objetivo para o seu novo domínio.

Será para uma marca pessoal ou empresarial? Como vai gerar tráfego? Será orgânico ou pago? Vai querer fazer marketing offline? Vai ser puramente um blog?

Estas perguntas são importantes, uma vez que um domínio deverá ser diferente consoante o seu objetivo.

Se quiser ver a versão vídeo deste artigo, ou ouvir a versão podcast, clique nos leitores abaixo:

Nome de Domínio Focado em Palavras-Chave

Se o seu grande foco for a optimização para motores de busca e o marketing de conteúdo, é importante escolher palavras-chave para o seu nome de domínio.

No entanto, a relevância para o utilizador que pesquisa é mais importante do que as palavras-chave no seu domínio.

Longe vão os tempos em que bastava ter um URL igual à palavra-chave para aparecer no 1º lugar dos resultados de pesquisa…

Faça uma pesquisa de palavras-chave para descobrir quantas pesquisas existem por uma frase específica relacionada com o seu nicho de mercado.

Se não encontrar uma frase com 2 ou 3 palavras que esteja disponível como domínio .pt, não se admire. Muitos nomes focados em SEO já estão tomados…

Use uma ferramenta como o keywordtoo.io para gerar mais variações dessas palavras-chave (esta ferramenta é baseada nas pesquisas “autocomplete” do Google).

Crie uma lista de potenciais nomes de domínios (não se limite a um ou dois).

Relevância para os Utilizadores

Se um utilizador pesquisar por “como escolher um nome de domínio” e encontrar um resultado cujo URL é “guianomesdedominio.pt”, este sentirá que esse link tem relevância para aquilo que procura.

Está escrito no nome. No seu subconsciente, sentirá que está no sítio correto para encontrar a solução para a sua pergunta.

E terá mais razões para clicar no seu link, uma vez que estavam a pesquisar pelo tópico e o seu site pareceu bastante relevante por ter palavras-chave relevantes no URL.

Escolha um Nome de Domínio Curto Se as Pessoas Precisarem de Se Lembrar

Se fizer marketing offline (rádio, publicidade exterior, TV, etc), vai querer manter o nome do seu domínio curto e simples.

Algo que seja fácil para as pessoas se lembrarem.

Pense bem na fonética, e não use palavras que as pessoas normalmente cometem erros, ou que dependem do acordo ortográfico (como “acção”)

Se quer criar o melhor nome para o seu website, tem que pensar em todos estes pequenos pormenores.

Pense no objetivo e propósito do seu site, e só depois decida o nome do seu domínio.

Domínio de Marca ou Domínio Pessoal?

A não ser que o seu nome seja extremamente comum como João Silva, o mais provável é o seu nome estar disponível para registar como domínio.

Mesmo que não esteja a pensar seguir o caminho do marketing pessoal, recomendo que compre o seu domínio mesmo assim.

Se tiver nos seus planos fazer palestras, entrevistas, criar infoprodutos, escrever ou livros (ou seja, criar autoridade no seu nicho de mercado), deve absolutamente usar o seu nome como domínio para branding pessoal.

Ao usar o seu nome no domínio, estará a construir a sua marca pessoal. Mesmo que não saiba o que fazer com esse domínio, compre-o na mesma.

Nunca sabe se no futuro vai precisar ou querer!

E se o marketing pessoal for o seu caminho agora, compre já o seu “nome” e converta-se ao marketing de conteúdo, em vez de perder tempo a pensar num domínio.

Como Escolher Um Nome de Domínio

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Agora que já sabe qual o objetivo e propósito do seu website, chegou a altura de passar para o próximo passo.

Vejamos quais os passos que deve seguir para escolher o nome ideal para o seu projeto:

Escolha URLs .Pt

A não ser que tenha planos de expandir internacionalmente, escolha um domínio .pt.

É o URL mais popular em Portugal, e transmite autoridade e legitimidade.

O seu domínio será a primeira impressão que os visitantes terão do seu site.

Mostre relevância para com a localização da sua empresa, e evite seguir a moda do .IO (que na verdade quer dizer “Indian Ocean”...).

Escolha URLs Curtos

Não escolha um domínio muito longo.

Melhorsitesobredietacetonia.pt…

Com este tipo de URLs, irá simplesmente assustar as pessoas.

Evite usar mais do que 3 palavras, a não ser que sejam palavras muito curtas (como por exemplo “dietaumdoistres.pt”).

No fundo, trata-se mais do número de caracteres no seu URL…

Mantenha o domínio curto, sucinto e simples, para que seja fácil de memorizar e não seja demasiado complicado escrever no browser.

Faça Uma Pesquisa para Garantir Que Não Existe Marca Registada

Outro passo importante, no caso de não optar por marca pessoal, é fazer uma pesquisa rápida por marcas registadas.

Compare a lista de domínios que reuniu da sua pesquisa e veja uma a uma.

Pode usar o site do Instituto Nacional de Propriedade Industrial para verificar se não existe já uma marca registada.

Bom, agora que já reduziu a sua lista inicial de nomes de domínios, está na hora de passar pelo filtro final: 

Coisas a Evitar Quando Escolhe um Nome de Domínio

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Até agora vimos os passos essenciais para escolher um nome de domínio para o seu website.

Mas existe um par de fatores críticos que deve evitar ao máximo para que possa sentir orgulho do domínio escolhido:

Evite Nomes Complicados ou Soletradas em Calão

Não use palavras que dependam do acordo ortográfico, como “acção”. Este tipo de palavras podem ser facilmente confundidas.

Ao dar o URL do seu site a pessoas, não vai querer que estas não encontrem o seu site mais tarde por erros de soletração.

Outra coisa a evitar, é usar palavras soletradas em calão.

Um bom exemplo é o site uzo.pt. Apesar de ser uma marca reconhecida já há muitos anos, com certeza centenas ou milhares de pessoas puseram a soletração errada no browser, causando atrito desnecessário…

Se puder evite, por mais tentador que seja.

Não Use 2 Letras Iguais de Seguida Entre Palavras

Dê uma olhada na sua lista de nomes, e veja aqueles que tenham 2 letras iguais de seguida entre duas palavras.

Por exemplo, Expressooriente.pt ou Dietaalcalina.pt.

Vê as letras iguais de seguida? “oo” e “aa” não é bonito visualmente, para além de poder ser confuso para quem estiver a escrever no browser.

Escolha Um Nome de Domínio para o Seu Negócio

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Escolher um nome de domínio pode ser um processo chato e complicado…

Mas não se precipite. Não precisa de escolher hoje!

É essencial garantir que o nome do seu domínio passa todos os testes acima descritos.

O pior que pode acontecer é descobrir que o nome tem algum problema depois de comprado e de ter o site construído à volta do nome…

Escolha um nome, e foque-se no que é mais importante: conhecer o seu segmento de mercado melhor que ninguém, dominar o marketing de conteúdo, crescer uma lista de emails e criar um funil de vendas para crescer o seu negócio.

Dedique-se a 100% de forma consistente, e por longos períodos de tempo... o sucesso chegará inevitavelmente.

Espero que este artigo seja útil para si, e que possa escolher um domínio que faça com que sinta orgulho.

Se tiver alguma pergunta, deixe um comentário abaixo. Terei todo o gosto em ajudar!

Um abraço,

-Tiago “domina domínios” Faria

Melhor Alternativa ao Mailchimp: Por que razão mudei para o Aweber

O segredo não está na sua lista de emails. O segredo está na relação que tem com a sua lista de emails.

Como tal, faz todo o sentido escolher o melhor serviço de email marketing para o ajudar a crescer e alimentar essa relação.

Mas será que o Mailchimp é mesmo a melhor escolha?

Apesar de ser talvez o serviço de email marketing mais popular do mundo, quando comparado com outras alternativas o MailChimp deixa muito a desejar.

Alternativa ao Mailchimp - Por que razão mudei para o Aweber

Neste artigo vou também revelar por que razão deixei o Mailchimp e qual o melhor serviço de email marketing para si.

Spoiler: Escolhi o Aweber por causa do custo, apoio ao cliente e “taxa de entregabilidade” de emails (pode criar aqui a sua conta gratuita no Aweber).

Se preferir ver a versão vídeo ou ouvir a versão áudio deste artigo, clique nos leitores abaixo:

O que São Serviços de Email Marketing, e Por que Precisa de Um?

O que são serviços de email marketing e por que precisa de um

Como referi no início, crescer a sua lista de emails deve ser a prioridade número 1 do seu negócio.

Ao crescer a sua lista, irá também criar uma relação próxima com a sua audiência.

A palavra-chave aqui é de facto a relação. O seu grande objetivo deve ser sempre o de se posicionar como o conselheiro de confiança que está sempre disponível para resolver os problemas da sua audiência e ajudar a alcançar os seus objetivos.

E a melhor maneira de o fazer é enviando emails pessoais, úteis, e recheados de valor. São estes os emails que as pessoas vão querer receber com frequência na sua caixa de entrada.

No entanto, também precisa de ser eficiente nesse processo!

A sua estratégia de email marketing também passa pela seleção de um serviço que torne o processo o mais simples possível.

E como não é possível enviar emails em massa através do Gmail… é aí que entram as ferramentas de email marketing.

O que as Melhores Ferramentas de Email Marketing Podem Fazer Pelo Seu Negócio

Como estão as suas taxas de abertura, taxas de clique, taxas de entregabilidade, e taxa de retenção de subscritores?

Se não tem ideia de qual a performance dos seus emails assim que chegam aos seus subscritores, então está a perder tempo precioso!

Você precisa de saber se está a fazer algum progresso. É a única maneira de saber se está no bom caminho com os seus esforços de email marketing.

Bem sei que a ideia de “medir” e “rastrear” dados pode não ser algo que lhe interesse muito…

Mas não tem que fazer tudo sozinho.

É aqui que uma plataforma de email marketing pode ajudar mais.

Ao usar os relatórios e analytics destas ferramentas, você consegue determinar se as suas iniciativas estão a dar resultados, ao mesmo tempo que coleciona dados importantes sobre o comportamento da sua audiência.

Assim que descobre o que a sua audiência realmente quer, você pode começar a apontar as suas campanhas nessa direção… e é aí que as coisas começam a ficar engraçadas.

De repente, as suas hipóteses de sucesso sobem exponencialmente!

Mailchimp VS Aweber: Visão Geral

Mailchimp vs Aweber - Visão Geral

Ok. Agora que cobrimos alguns detalhes, está na hora de falar sobre aquilo que realmente interessa.

Quando está a trabalhar no seu negócio, o foco deve estar sempre no futuro.

Imagine que você já tem algumas dezenas ou centenas de subscritores agora.

Pode estar a usar o MailChimp como uma ferramenta temporária, apenas porque tem a versão gratuita até 2000 subscritores.

Tal como eu, pode estar a pensar “bom, quando lá chegar depois penso em encontrar uma plataforma melhor”.

No entanto, há mais do que uma razão para não fazer isso...

A verdade é que você precisa de olhar para o futuro e pensar onde é que o seu negócio pode estar daqui a uns anos.

De que maneira é que pode garantir que os objetivos do seu negócio são alcançados da maneira mais eficaz, eficiente, e “indolor”?

De momento, o plano gratuito do Mailchimp pode parecer de facto tentador. Mas se apenas o utilizar por ser grátis, pode chegar a um ponto no futuro em que tem que migrar a sua lista para uma plataforma melhor… e isso pode ser problemático.

A melhor altura para decidir é agora quando ainda está a começar. Quanto mais cedo tomar esta decisão, melhor para o seu negócio!

Mas então, qual escolher: Mailchimp ou Aweber?

Bom, primeiramente o Aweber está no mercado já desde 1998.

É considerado o “avô” dos serviços de email marketing.

Existem cerca de 120,000 utilizadores em todo o mundo que confiam no Aweber, entre os quais empreendedores, bloggers e pequenos negócios.

Por outro lado, o Mailchimp está no mercado desde 2001, e tem mais de 7 milhões de utilizadores em todo o mundo… o que é realmente impressionante.

Mas será que o maior é sempre o melhor?

Vejamos mais em detalhe as maiores diferenças entre o Mailchimp e o Aweber:

O Sistema de Apoio ao Cliente do Mailchimp

Acredite, vai acabar por acontecer.

Vai encontrar problemas a gerir a sua lista de emails, e vai precisar de ajuda.

E vai precisar de ajuda já, hoje, e não amanhã.

Se não tiver um agente de apoio ao cliente que possa contactar facilmente, que seja prestável, competente e responsivo… terá problemas!

Por isso vejamos como se comparam as duas plataformas:

O Mailchimp tem vários recursos e FAQs que pode usar para encontrar a resposta que precisa.

Mas se quiser falar com alguém, pode fazê-lo… mas não é fácil encontrar a opção.

Para além disso, a versão gratuita não lhe dá acesso a apoio por email ou chat. Você fica por sua conta, até escolher um plano pago (e bem pago, como já vamos ver daqui a pouco).

Por sua vez, o Aweber faz as coisas de forma um pouco diferente...

O apoio ao cliente do Aweber faz parte da cultura da empresa.

Não fazem outsourcing desta parte do seu negócio em países como as Filipinas ou Índia (a estratégia normalmente seguida pelas maiores empresas). Toda a sua equipa de suporte está baseada na sua sede em Pennsylvania, EUA.

Sempre que precisa de algo, eles estão sempre disponíveis e prontos a responder 24h por dia, 7 dias por semana. Pode optar por chat, email ou telefone (este apenas entre as 8h e as 20h - Zona de Tempo Oriental, +5h em Portugal continental).

Já utilizei o suporte por chat diversas vezes, e sempre me resolveram cada problema ou dúvida na hora. Inclusive criaram-me relatórios personalizados, e ajudaram-me na transição da minha lista. 5 estrelas!

Neste campo, o Aweber não dá qualquer hipótese a ninguém.

E o melhor de tudo? Você terá direito a todas estas opções de apoio desde o 1º dia, mesmo que opte apenas pela versão grátis!

Mailchimp ou Aweber: Qual é Mais Intuitivo?

Mailchimp vs Aweber - Qual é o mais intuitivo

Independentemente de qual serviço escolher, existe sempre uma curva de aprendizagem e vai encontrar obstáculos e problemas.

O Mailchimp gaba-se de ser intuitivo… mas durante o ano que usei, achei tudo menos intuitivo!

Sim, pode ter um design bonito, e parece estar bem organizado. Mas há algumas funções que não são fáceis de nos familiarizarmos. Então agora desde que o menu principal mudou para a esquerda, ficou ainda mais confuso!

Por outro lado, o Aweber é extremamente simples.

Poucas opções que estão organizadas de forma lógica.

Vantagem de ser uma ferramenta da “velha guarda”, que se foca mais na eficácia e simplicidade do que em designs bonitos.

Criar Automações de Email

Prefere um serviço de email marketing que é fácil de usar ou que é mais poderoso?

A sua resposta a esta pergunta pode influenciar a sua escolha entre o Mailchimp e o Aweber.

No que concerne a automações poderosas, o Mailchimp leva alguma vantagem.

Por exemplo, pode criar diferentes grupos de subscritores e lançar campanhas específicas para esses subscritores. Pode enviar mensagens diretamente a utilizadores com base no seu comportamento, etc.

No entanto, há um senão:

Editar é complicado e confuso.

O editor visual é pouco intuitivo e as opções são difíceis de encontrar.

E é aí que o Aweber entra a pés juntos.

Criar automações é uma experiência suave e indolor com o Aweber. Pode adicionar “tags” aos subscritores, enviar mensagens personalizadas, e todo o tipo de automações necessárias.

Se não precisar de automações robustas e complexas (como por exemplo para uma loja ecommerce), nem precisa de pensar duas vezes: a escolha é o Aweber.

Single Opt-in e Double Opt-in

Quando adiciona subscritores à sua lista de emails, pode escolher se quer um processo de single ou double opt-in.

O processo de single opt-in significa que quando alguém subscreve, entra imediatamente na sua lista.

Por outro lado, o processo de double opt-in significa que quando alguém subscreve, recebe um link de confirmação por email. Apenas se a pessoa clicar nesse link é que se tornará subscritor.

Tanto o Mailchimp como o Aweber permitem-lhe escolher o tipo de opt-in que quer para a sua lista.

O double opt-in pode ser mais lento, mas ajuda a filtrar spam e emails falsos ou pouco utilizados (algo frequente quando as pessoas apenas querem receber o seu freebie).

A única diferença é que o Mailchimp permite-lhe desativar o double opt-in facilmente, enquanto que no Aweber você precisa de entrar em contacto com o apoio ao cliente para o fazer.

Um passo adicional, mas nada complicado: rapidamente o agente de apoio ao cliente faz a alteração por si.

Pode ser um pouco chato para si, mas a verdade é que o Aweber tem um objetivo claro com isto: fazer o máximo possível para evitar que os seus emails sejam filtrados como spam.

Por isso é que os emails enviados pelo Mailchimp acabam na categoria de Promoções do Gmail (e demasiadas vezes no spam), enquanto que os emails enviados pelo Aweber entram diretamente na caixa de entrada dos subscritores.

Não existe serviço de email marketing no mundo com uma taxa de "entregabilidade" melhor do que o Aweber. Simplesmente, funciona!

Quanto Custa cada Um? Preços do Mailchimp vs Aweber

Preço Mailchimp e Aweber

Falemos então da questão mais importante: o dinheiro.

Os planos do Aweber são incrivelmente simples.

Existe o Free (grátis) e o Pro (pago).

O plano Free permite-lhe ter até 500 subscritores e enviar até 3000 emails por mês.

Nada de extraordinário, mas com um detalhe: terá acesso a quase todas as funcionalidades desde o 1º dia! (excepto testes A/B, automações com base em comportamento, e segmentos personalizados).

E o melhor de tudo?

Terá direito a ajuda gratuita para migrar a sua lista para o Aweber, e terá acesso ao famoso apoio ao cliente 24h por dia, 7 dias por semana, por email, chat, ou telefone!

Quanto ao plano Pro, existem 5 níveis, dependendo do número de subscritores.

Abaixo os preços do Aweber por cada nível:

  • $19/mês (~€16) = 1 - 500 subscritores
  • $29/mês (~€24) = 501 - 2.500 subscritores
  • $49/mês (~€41) = 2.501 - 5.000 subscritores
  • $69/mês (~€58) = 5.001 - 10.000 subscritores
  • $149/mês (~€125) = 10.001 - 25.000 subscritores

Se (ou quando?) superar os 25.000 subscritores, terá que entrar em contacto para receber um orçamento personalizado.

O Preço do Mailchimp é Mais Complicado

O Mailchimp gosta de complicar as coisas.

Pode escolher entre 4 planos diferentes: Free (grátis), Essentials, Standard, e Premium.

No entanto, estes planos não são fixos. Há muitas variáveis.

Cada plano vem com diferentes números de subscritores, limites de envio de emails, etc.

Se começar com o plano Free (gratuito), estará limitado a 2.000 subscritores e 10.000 envios de emails por mês.

À primeira vista, nada mau para uma ferramenta gratuita…

No entanto, estará bastante limitado tanto nas opções de envio como no suporte.

Apenas pode enviar um email automático (esqueça as sequências de emails de boas vindas), e apenas terá direito a 30 dias de apoio por email (nada de chat ou telefone).

Abaixo o preço mínimo por cada plano pago do Mailchimp:

  • Essentials (até 500 subscritores) = €8,52/mês
  • Standard (até 500 subscritores) = €12,79/mês
  • Premium = (até 10.000 subscritores) = €255,05/mês

Para comparar com os planos do Aweber, vejamos como seria o plano básico Essentials com limites de subscritores semelhantes:

  • €8,52/mês = até 500 subscritores 
  • €17,90/mês = até 2.500 subscritores
  • €45,20/mês = até 5.000 subscritores
  • €67,38/mês = até 10.000 subscritores
  • €170,60/mês = até 25,000 subscritores

Até 2.500 subscritores parece que o Mailchimp é mais barato que o Aweber. Mas falta olhar para mais um detalhe:

No plano Essentials existe um limite de envios mensais de 10x o número máximo de subscritores.

Isto significa que se tiver 2.500 subscritores, só pode enviar 10 emails por mês, ou seja, cerca de 1.5 emails por semana… e isto se não tiver nenhuma automação a correr!

Se quiser realmente criar uma relação forte com a sua audiência, e não se preocupar com o limite de envios dos seus autoresponders, terá que optar pelo plano Standard ou Premium…

E para além disso, não terá acesso à linha de apoio por telefone.

Demasiadas limitações que não existem no Aweber!

Com o Aweber terá acesso a tudo, sem quaisquer limites de envios, qualquer que seja o plano da sua escolha.

Para além disso, a partir dos 2.501 subscritores o preço do Aweber começa a ser mais barato do que o plano Essentials do Mailchimp (o mais básico e barato).

Sem comparação.

Qual é Afinal o Melhor? Mailchimp ou Aweber?

Chegámos então ao momento da verdade - Mailchimp ou Aweber?

Como já deve ter percebido, a minha escolha óbvia é o Aweber.

Eis as razões da minha escolha:

  • Criar autoresponders (sequências automáticas de emails para novos subscritores) é extremamente fácil e intuitivo
  • Interface “da velha guarda” torna as coisas muito fáceis de encontrar e navegar
  • Provavelmente, o melhor apoio ao cliente do mundo
  • Criador de newsletters é extremamente fácil de usar
  • O interface é leve e carrega rapidamente… mesmo quando usa a versão mobile
  • É extremamente fácil de remover subscritores inativos, que cancelaram a subscrição, ou que usaram emails falsos… enquanto que o Mailchimp não o permite (ou torna as coisas demasiado complicadas)
  • Os emails enviados pelo Aweber vão direitinhos às caixas de correio dos subscritores… enquanto que os emails do Mailchimp vão parar à categoria das Promoções (ou pior… à caixa de spam)

O Aweber já existe no mercado há muito tempo. A ferramenta de design e edição de emails é mais fácil e intuitiva. A criação de automações é intuitiva e lógica, e o processo de opt-in é mais seguro.

Nem sequer penso duas vezes sobre continuar a usar o Aweber por muitos e longos anos.

Clique aqui para criar a sua conta grátis no Aweber.

Espero que este artigo tenha sido útil e que o tenha ajudado a encontrar a melhor opção no mercado para o Mailchimp.

Deixe um comentário abaixo e diga-me o que acha. Já usou o Mailchimp? O que achou?

Um abraço,

Tiago “aweberado” Faria

wix vs wordpress, melhor site para criar blog, criar blog wordpress, wordpress vs wix, onde criar um blog, sites para criar blogs, squarespace vs wordpress, melhores plataformas para criar blogs

Qual o Melhor Site para Criar um Blog em 2021?

Neste artigo vou mostrar-lhe qual a melhor plataforma para criar um blog e porque razão você deve focar-se “ativos” online.

Mas antes disso, gostava que imaginasse o seguinte cenário:

Você mora num apartamento num condomínio fechado que adora e a sua família também.

Durante anos, foi decorando o apartamento ao seu gosto e a fazer obras de melhoramento…

wix vs wordpress, melhor site para criar blog, criar blog wordpress, wordpress vs wix, onde criar um blog, sites para criar blogs, squarespace vs wordpress, melhores plataformas para criar blogs

Com muito suor e dores de costas, mas com muito orgulho no resultado final.

Os seus amigos e família visitam a sua casa e ficam sempre impressionados…

Você não podia estar mais feliz com a sua casa.

No entanto, você não é o proprietário desse apartamento - apenas tem um contrato de aluguer de longa duração com o atual proprietário.

Esse proprietário decide vender a casa.

Um dia, alguém toca à porta do seu apartamento.

Um senhor desconhecido diz-lhe que o apartamento agora é propriedade sua, e que o contrato de arrendamento vai ser cancelado.

Todo o seu esforço e dinheiro despendidos no apartamento vão por água abaixo

E você tem que sair imediatamente.

Nesta metáfora você é o inquilino e o apartamento é o site para criar um blog.

O seu marketing de conteúdo é o seu tempo, esforço e dinheiro gastos a melhorar o apartamento.

E tal como alguém que quer construir a sua casa de sonho, o marketing de conteúdo é um jogo a longo prazo.

Se escolher a plataforma errada, corre o risco de perder todo o trabalho feito por depender de uma empresa que só pensa em lucro.

Você precisa da melhor solução a longo prazo para manter o seu conteúdo seguro.

Se preferir ver este artigo em formato vídeo ou ouvir em formato áudio, pode fazê-lo nos leitores abaixo:

Vejamos então qual é a melhor solução:

Squarespace e Wix VS WordPress

wix vs wordpress, melhor site para criar blog, criar blog wordpress, wordpress vs wix, onde criar um blog, sites para criar blogs, squarespace vs wordpress, melhores plataformas para criar blogs

Serviços como o Squarespace e o Wix são de facto plataformas muito simples de usar.

Tudo está pré-criado para si, e basta escolher um tema para arrancar.

No entanto, podem não ser a melhor opção para si.

Por uma simples razão: você NÃO É PROPRIETÁRIO destes sites. Estes são geridos por empresas.

E a maioria das grandes empresas só quer saber de uma coisa: LUCRO.

Não do sucesso do seu negócio, não da sua satisfação como cliente, ou do seu ranking nos motores de busca.

Para além do mais, milhares de empresas vão à falência todos os dias.

Portanto, se você ficar dependente de sites como o Squarespace ou Wix para o alojamento do seu negócio… está essencialmente a dizer:

“Ufa, espero que esta empresa não feche. Porque se isso acontecer, o meu blog vai pró boneco!”

Por outro lado, existe outra desvantagem:

Se escolher estas plataformas está essencialmente a trocar o seu dinheiro e “propriedade” do seu conteúdo por uma plataforma fácil de usar…

E o trade-off disso é o facto de ficar limitado aos “templates” e não ter muita liberdade para customizar o seu blog.

Ou seja, se precisar de fazer um ajuste ao seu blog e o editor da plataforma não o permitir… não terá outra hipótese que não aceitar o status quo.

Por isso, a minha recomendação só podia ser uma:

WordPress.org

wix vs wordpress, melhor site para criar blog, criar blog wordpress, wordpress vs wix, onde criar um blog, sites para criar blogs, squarespace vs wordpress, melhores plataformas para criar blogs

A grande diferença entre o WordPress e as plataformas como o Squarespace ou Wix é que o WordPress não é propriedade de ninguém. Não pode ser.

Trata-se de um software open-source, o que significa que qualquer pessoa no mundo pode editar o código do WordPress e melhorá-lo.

Ninguém poderá “fechar” o WordPress uma vez que não é uma empresa - é uma plataforma aberta para toda a gente usar.

O WordPress é também o sistema de gestão de conteúdo mais popular do mundo, sendo usado por 35% dos top 10.000 websites no mundo. Por exemplo, a Forbes ou a TechCrunch são geridas em WordPress.

Outro grande benefício é o facto de ser “amigo dos motores de busca”, sendo que a sua estrutura é optimizada para os motores de busca de forma nativa.

Faça o exercício você mesmo: faça uma pesquisa qualquer no Google, abra os primeiros sites que aparecem, clique no botão direito do seu rato e selecione “View Page Source”...

Tenho quase a certeza que conseguirá encontrar a palavra “WordPress” no código!

Para além do mais, você terá acesso a milhares de plugins e temas, que lhe permitirão customizar totalmente o seu blog ao seu gosto.

O WordPress.org é Difícil de Usar?

Há uns anos atrás, o WordPress era de facto mais complexo.

Mas hoje em dia é tão fácil como as plataformas como o Squarespace ou Wix, pelo menos no que diz respeito a escrever e publicar conteúdo.

Existem milhares de temas gratuitos para todos os gostos e com uma variedade de customizações possíveis.

No entanto, exige um passo extra:

Você tem que encontrar alojamento para o seu próprio blog.

Apesar de ser um passo extra, você consegue encontrar plataformas de alojamento de qualidade a preços acessíveis como o A2Hosting (que tem, já agora, um serviço ao cliente espectacular!).

O que é outra vantagem: você tem liberdade de escolher o alojamento que quiser e mudar de empresa as vezes que quiser.

Veja o vídeo abaixo, que explica passo a passo como criar o seu blog em WordPress.org, incluíndo compra de domínio, alojamento, instalação e criação de site:

Continuo a Achar Isso Demasiado Complicado...

Se tudo isto lhe parecer ainda complicado, sugiro o seguinte:

Comece por criar uma conta gratuita com o WordPress.com, que é a versão do WordPress simplificada e que trata do alojamento por si gratuitamente.

Experimente criar agora uma conta! Verá que é incrivelmente fácil e demora 3 minutos.

Assim que se habituar e começar a precisar de mais customização e liberdade visual, pode facilmente transferir o seu conteúdo para o WordPress.org.

No fundo, o que interessa é começar!

A criação de conteúdo é um dos ativos mais preciosos que pode ter.

Comece hoje um desafio 90 dias para “fletir” o seu músculo de criação de conteúdo e começar a ver resultados tangíveis!

Vai ver que vai valer a pena.

Um abraço,

Tiago "wordpress sempre" Faria

1 2 3 15