Arquivo de marketing digital - Tiago Faria

Category Archives for marketing digital

Como Escolher um Nicho de Mercado Lucrativo

5 Passos para Escolher um Nicho De Mercado Lucrativo e Recheado de Compradores Compulsivos

Neste artigo vou partilhar contigo 5 passos para escolheres um nicho de mercado em Portugal que está recheado de compradores, e que está 100% alinhado contigo.

Tenho interagido com várias pessoas no meu grupo de Facebook que estão bloqueadas nesta fase de análise de “o que é que eu hei de escolher?”, “por onde é que devo começar?”

Ou, então, já começaram o seu próprio projeto ou  negócio online, mas ainda não definiram claramente o seu nicho de mercado e, como tal, estão com dificuldades em:

  1. 1
    Criar ofertas específicas;
  2. 2
    Criar conteúdo específico;
  3. 3
    Criar uma ligação forte e um rapport forte com o grupo de pessoas que querem ajudar.

Eu próprio também passei por isto.

É super comum quando começamos nestas andanças do online. As alternativas são milhares e é muito fácil ficares perdido nesta fase de análise.

Muitas vezes, até tens medo de escolher um mercado porque pensas que é uma solução permanente e vais ter de ficar sempre agarrado a isto.

Por exemplo, quando eu comecei, queria agradar a toda a gente e o meu objetivo era ajudar pequenas e médias empresas. 

Depois, passei para negócios locais, mas sem estar claramente definido. Agora, finalmente, estou a encontrar o meu nicho de mercado e estou a ter uma ligação mais forte com a minha audiência, estou a encontrar as melhores soluções para te ajudar a estares mais perto dos teus objetivos.

No fundo, estou a ajudar empreendedores e pessoas que têm o seu próprio negócio online ou que criaram o seu próprio projeto, ou que estão em fase de tentar criar o seu projeto enquanto têm um trabalho full-time. É neste tipo de pessoas que me estou a focar e a ajudar mais neste momento.

Antes de avançarmos, se preferires ver este artigo em formato vídeo ou ouvir em formato podcast, escolhe uma das opções abaixo:

Os Mitos Relacionados com Nichos de Mercado

A primeira coisa que eu quero que percebas é que não é preciso teres medo algum, isto não é uma decisão permanente. Podes sempre mudar de nicho, é uma coisa muito fácil de fazer se seguires os passos que eu vou partilhar.

É possível ir moldando e ajustando o teu nicho de mercado, mas o que interessa é encontrar uma audiência específica e começar (este é que é, na verdade, o grande segredo).

Outra coisa que eu te quero transmitir é que há uma mentira muito grande que se diz por aí que é: “segue a tua paixão que depois o dinheiro virá”.

Isto não é verdade, precisas de quatro coisas específicas para que isto funcione:

  • Tens de ter um gosto específico pela área, ou pelo menos uma grande curiosidade;
  • Tens de ter conhecimento dessa área e experiência;
  • Tem de haver um grupo de pessoas que esteja disposto a comprar para resolverem os seus problemas específicos sobre os quais tu vais criar conteúdo;
  • Tens de ter algo de valor para partilhar.

Se não houver uma conjugação destes fatores, vais ter dificuldade em encontrar um nicho rentável para ti e que te sustente durante muitos e longos anos.

Os 5 Passos Para Escolheres um Nicho de Mercado Rentável e Alinhado Contigo

Vamos, então, avançar para os 5 passos para decidires qual é que será o teu nicho de mercado – não é permanente, mas o nicho de mercado que tu vais tentar atacar - e decidires por onde começar.

Passo 1: Brainstorming

O primeiro passo é começares por criar uma lista e fazeres um brainstorming extensivo.

Sem te limitares, nem julgares qualquer que seja a tua resposta. O que interessa é pôr tudo cá para fora!

A primeira coisa que tens de refletir é sobre os desafios já ultrapassaste. Que problemas é que já resolveste na tua vida? Por exemplo, podes ter perdido 20 kg numa fase da tua vida. Algo que já tenhas ultrapassado e que saibas qual é a solução para resolver esse problema.

Depois, olha para a tua experiência de trabalho. Muita gente tem dez, quinze anos de experiência de trabalho e depois deita fora porque pensa que já não quer seguir aquilo e quer seguir um outro rumo qualquer na vida por conta própria. No entanto isso, na minha opinião, é um desperdício. 

Devemos aproveitar todos esses anos de experiência de trabalho para depois criar uma solução para quem está a trabalhar nessa área, ou criar uma solução que seja semelhante a essas competências que tu ganhaste, mas implementar noutra área.

Outra aspeto importante é pensar em todos os teus hobbies, no que gostas de fazer no teu tempo livre, nas tuas aptidões e gostos específicos que gostavas de ensinar a outras pessoas. Pensa nos tópicos que te fascinam, nos tópicos sobre os quais já leste 5 livros nos últimos meses ou nos últimos anos, naquilo que realmente tem despertado a tua atenção.

Pensa também nas competências que os teus amigos ou as pessoas que estão próximas de ti têm. Tu podes, por exemplo, não ter uma aptidão ou um gosto muito específico, mas imagina que tens um amigo que tem muito conhecimento de uma área, que já trabalhou muito nessa área e tem muito para partilhar. 

Essa pessoa pode ser, por exemplo, o produtor de conteúdo - marketing de conteúdo e conteúdo para o produto - se for um produto de informação digital, ou criar um produto físico. Podes fazer uma parceria com essa pessoa, 50/50, a pessoa recebe 50%, tu recebes outros 50%, e tu tratas de tudo relacionado com o marketing e a promoção.

Não tens de ser tu a fazer tudo, mas há sempre hipótese de começares a criar um negócio de diversas maneiras.

Este é o primeiro ponto, deitar tudo cá para fora, sem limites, sem julgar nada.

Passo 2: Especificidade

O passo número 2 é começar a ser mais específico, é a diferença entre um mercado grande e um nicho de mercado - e é aqui que tu queres começar a chegar.

Por exemplo, se no teu brainstorming incluíres “relações”, começa a pensar mais a fundo. Em vez de relações, pensa, por exemplo, em “casamentos”. Já é mais específico. 

Mas, se calhar, podes ir um passo mais além: escreve também algo como “evitar divórcios”, que já é uma área muito mais específica. Há muita gente que passa por este tipo de problema e que, muito provavelmente, estará disposta a pagar para obter uma solução.

Outro exemplo: ganhar dinheiro através do imobiliário. Talvez seja mais específico colocar um tópico como “investir em apartamentos”, se for uma coisa em que já tiveste experiência ou se tiveres gosto ou uma aptidão específica para isso.

Podes ainda pesquisar no Google pela palavra-chave geral do tópico em questão e ver as sugestões de pesquisa que aparecem. Se fores até ao fundo da página de resultados de pesquisa do Google, também vais encontrar pesquisas relacionadas. Copia e cola tudo o que te faça sentido e que seja relevante nas tuas notas.

Também podes pensar como é te podes especializar mais ainda. Pode ser através de um interesse teu, pode ser demografia (por exemplo: “eu ajudo mulheres com mais de 40 anos que querem perder peso”) ou pode ser uma indústria (ex: “faço Facebook Ads para dentistas”), ires-te especializando e, desta forma, arranjando um nicho de mercado mais específico.

Depois, não te preocupes com a concorrência. Ter concorrência até é uma coisa boa, significa que é um mercado onde há dinheiro e existem pessoas a comprar. Não olhes para a concorrência como “já existem muitos negócios neste nicho, se calhar, é melhor não ir por aí”.

Pelo contrário, é bom sinal haver concorrência e essa mesma concorrência até pode ser um potencial parceiro no futuro, por isso, não olhes com esse tipo de receios, não tens nada a perder.

Passo 3: Descoberta

O passo número 3 é partires à descoberta. Já tens uma lista muito grande do teu estudo, análise e brainstorming, agora está na altura de analisar o potencial de cada uma.

Uma excelente ideia é usar o Google Trends e começar a pôr em cada um dos tópicos que tu descobriste para ver qual é que tem sido o crescimento de interesse ao longo dos anos em termos de pesquisas no Google.

Também podes usar as Estatísticas do Público do Facebook para perceber que tipo de interesses existem já nesta rede social, e que tipo de interesse podes usar em anúncios. Podes pesquisar por blogs famosos, personalidades, ou marcas famosas.

Vais vendo o que é que no teu mercado faz sentido e que páginas têm um vasto número de pessoas a seguirem, e que poderás usar como no futuro como público-alvo dos teus anúncios.

Outra coisa que podes fazer e que é importante é ver dentro do Facebook que grupos é que existem sobre o teu nicho de mercado. O objetivo é ver se existem já grupos com milhares de pessoas, com muitas publicações diárias, ou se não existem de todo.

Podes ir vendo dessa maneira qual é o tipo de interesse que existe no tópico e descobrir se as pessoas estão muito engajadas e emocionalmente envolvidas com esse tópico ou não.

E, finalmente, podes também usar a Biblioteca de Anúncios do Facebook para veres se já existem anúncios dos teus concorrentes ou não. Se não existirem, quer dizer que ou é um mercado que não tem muitos compradores e, como tal, não te interessa.

Aqueles que tiverem anúncios, podes ver se eles já estão a correr há 2 meses ou mais. Se estiverem a correr anúncios há muito tempo, significa que esses anúncios estão a funcionar e que existem pessoas que estão nesse mercado a comprar: é exatamente esse o sinal que queres encontrar.

Passo 4: Pontuação

No passo número 4 vais dar uma pontuação específica a tudo o que analisaste nos passos anteriores.

 Vais dar 2 pontos se a resposta for “sim”, vais dar 1 ponto se a resposta for “talvez” e 0 pontos se a resposta for “não”. No final somas tudo e vês qual dos temas teve maior pontuação.

Eis as perguntas que deves responder:

  • Será que existe uma audiência para isto?
  • Será que existem grupos no Facebook com milhares de pessoas?
  • O Google Trends está a dizer-me que a audiência está a crescer ou não? Se as pessoas estão a pesquisar ativamente ou não?
  • Será que existem muitas páginas que eu posso fazer targeting no Facebook?
  • Será que os meus concorrentes estão a fazer anúncios ou não?
  • Será que eu tenho valor para partilhar?
  • Tenho experiência nesta área?
  • Tenho uma história de origem para partilhar que crie uma ligação emocional com as pessoas?
  • Será que sinto empatia com o meu público-alvo?
  • Será que me vejo a criar conteúdo durante 5 anos ou mais?

Portanto, é responder a todas a estas perguntas com base na análise que fizeste e, depois de somares a pontuação de cada ideia, vais chegar a uma conclusão.

Passo 5: Tomar Ação Imediata

Depois, o que tens de fazer é escolher, não vais mais ficar parado nesta paralisia da análise, vais começar a tomar a ação e testar o mercado. É muito importante começares a testar imediatamente e não ficares a pensar e a fazer perguntas em grupos de Facebook e a adiar constantemente a tua tomada de ação.

O que eu recomendo é, depois de teres escolhido o teu nicho de mercado, que cries uma peça de conteúdo. Pode ser um artigo de blog com 2500 palavras, podes criar um vídeo muito longo onde fales sobre o problema e sobre as soluções que tu criaste e sobre a tua história de origem. 

Ou, então, podes pedir a alguém para te entrevistar e fazer perguntas sobre a tua história de origem, como é que ultrapassaste os teus problemas, que erros é que cometeste para as pessoas não cometerem e, depois, como é que encontraste a solução. Desta maneira, crias uma entrevista que podes usar depois para o lead magnet.

Um lead magnet é um produto gratuito que vais oferecer em troca do contacto de e-mail da pessoa que está interessada no que tens para oferecer.

Desta forma, podes começar a aumentar a tua lista de e-mails rapidamente com o simples lead magnet que criaste, e veres se existe interesse ou não.

Se quiseres, podes mesmo investir 5 euros por dia ou menos em Facebook Ads. Pões esse lead magnet a correr e vês rapidamente se existe interesse. Vais aumentar a tua lista de e-mails e, ao mesmo tempo, vais começando a criar conteúdo específico sobre o tópico, quer seja de texto, vídeo ou áudio. 

Cria o teu canal de YouTube, cria o teu blog, cria um podcast específico, começa já a aumentar uma audiência e, ao mesmo tempo, vais começando já a pensar que infoproduto podes oferecer às pessoas que estão mais motivadas para resolverem o seu grande problema? 

Como tal, vais já começar a testar uma oferta, um produto específico para a tua audiência, e é desta maneira que vais provar rapidamente que escolheste um nicho de mercado que é rentável, que tu tens gosto, que te vês a criar muito conteúdo, e que tens experiência e competências nesta área.

E é assim que se escolhe um nicho de mercado recheado de pessoas que estão dispostas a comprar aquilo que tu vais oferecer.

Não te esqueças que não estás aqui para empurrar produtos para as pessoas. O grande foco do marketing digital tem de ser sempre “como é que eu posso servir este conjunto de pessoas da melhor maneira? Como é que eu posso ajudá-las a resolver os seus problemas?” e demonstrar que as consegues ajudar por antecipação, antes de pedires dinheiro em troca.

Só assim conseguirás crescer uma audiência de pessoas que gostam, confiam e já te conhecem bem e, como tal, depois vender vai ser muito supérfluo.

Um abraço,

Tiago "dispara, prepara, aponta" Faria

infoprodutos, infoprodutos mais vendidos, infoprodutos portugal, produtos digitais

Infoprodutos: A Melhor Maneira de Fazer Dinheiro Online em Portugal

Existem várias formas de fazeres dinheiro online, e é possível obter sucesso em todas elas.

Tudo o que é necessário é trabalho duro e inteligente, e disponibilidade para tentar, falhar, tentar de novo, falhar de novo (repetir várias vezes)...

Até que encontras algo que funciona para ti!

E assim que encontras algo que gera retorno, começa a fazer isso repetidamente, fazendo testes aqui e ali para aumentar a eficácia.

infoprodutos, infoprodutos mais vendidos, infoprodutos portugal, produtos digitais

Todas as pessoas são diferentes, e na verdade não existe um “comprimido mágico” para ter sucesso online...

Se pensares bem, fazer dinheiro online é bastante fácil.

Podes muito bem pegar em coisas de valor que tenhas na arrecadação da tua casa, ou comprar algo na feira da ladra por tuta e meia, e vender no Facebook Marketplace em menos de 24h (mais do que recomendado, já agora!)...

Mas por ser fácil, não significa que seja escalável ou um modelo de negócio sustentável no longo termo.

Qual é então a melhor maneira de fazer dinheiro online?

Já lá vamos. Mas antes, se preferires ver este artigo em formato vídeo ou ouvir em formato podcast, clica nos links abaixo:

Vender Infoprodutos Online em Portugal

infoprodutos, infoprodutos mais vendidos, infoprodutos portugal, produtos digitais

Com infoprodutos é possível gerar margens de lucro elevadas, muitas vezes superior a 90% no caso de produtos digitais.

O custo de completar a transação e entregar uns ficheiros .pdf ou .mp3 é ridiculamente baixo, quando comparado com qualquer outro tipo de produto.

É possível vender milhares de cópias sem qualquer esforço adicional após a sua criação.

No lado inverso, os produtos tradicionais requerem matéria prima, manufatura, logística, armazenamento, etc…

E tudo isto aumenta os custos e limita o número de produtos que pode vender.

No caso dos infoprodutos, tudo isto é irrelevante. Os únicos custos serão o alojamento do teu website e as ferramentas/software que precisas para criar, alojar, e distribuir os teus produtos digitais (custos esses diluídos ao longo do tempo).

Por outro lado, é possível abrires uma rede de afiliados para o teu produto e dividir o lucro 50-50…

O que significa que podes construir uma equipa de marketing gratuitamente, que irá promover os teus produtos, sendo que só lhes pagas quando estes conseguirem uma venda.

Isto é não só uma maneira incrivelmente poderosa de alavancar o esforço de outras pessoas, como também incrivelmente económica.

Outra das grandes vantagens dos infoprodutos é o seu valor percebido:

Muitos cursos online custam centenas, ou mesmo milhares de euros…

E tudo o que incluem são elementos como .pdfs, videos e áudio!

Agora acrescenta a isto as margens de lucro elevadas, e tens uma mistura explosiva.

Existe ainda um outro benefício incrível: os teus concorrentes podem tornar-se em parceiros extremamente valiosos!

Isto porque a maior parte das pessoas não compra apenas um infoproduto digital (ebook, curso, programa de membros, etc).

Quando têm uma paixão ou uma necessidade forte, as pessoas compram irracionalmente de vários autores/profissionais...

Pelo que as parcerias são uma maneira incrivelmente abundante de criar negócio adicional, em que toda a gente sai a ganhar.

Por fim, criar os seus próprios infoprodutos (vs apenas vender produtos afiliados de outras empresas) abre oportunidades de venda, tais como upsells, ofertas limitadas e outras para o teu funil de vendas.

É muito mais fácil vender produtos a clientes que já tenham tomado a decisão de comprar os teus produtos anteriormente…

E se criares uma relação próxima com a tua audiência (através do email e das tuas newsletters) e entregares “experiências” agradáveis, vais criar uma legião de fãs que comprarão repetidamente os teus produtos!

Mesmo que o teu modelo de negócio não se limite a vendas online, considera adicionar este tipo de produtos na tua escada de valor.

Lembra-te que os teus potenciais clientes estão em diferentes fases do teu funil de vendas

E que idealmente deves ter uma oferta para cada uma dessas fases.

O que achas? Vais criar hoje o teu primeiro infoproduto?

Um abraço,

-Tiago “margem de lucro” Faria

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Como Obter Testemunhos que Convencem Visitantes a Tornar-se Clientes

Neste artigo irá aprender tudo o que precisa para obter testemunhos que irão convencer os visitantes do seu site a tomar decisões rentáveis para si.

Especificamente, vou mostrar-lhe como obter testemunhos que contam histórias de transformação.

Como discutido no artigo sobre o poder das histórias, estas são extremamente eficazes uma vez que tocam no lado emocional das pessoas, versus apenas no lado racional…

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

...e como tenho dito no meu blog, as pessoas tomam decisões com base na emoção, justificando depois a sua compra com base na razão.

Esta simples alteração irá ter um impacto considerável nas suas conversões, em qualquer que seja a landing page que use (seja para obter leads, para obter marcações, reservas, ou vendas).

Se preferir ver este artigo em formato vídeo ou ouvir em formato podcast, escolha uma das opções abaixo:

O que é Um Testemunho?

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Quando o seu produto ou serviço ajuda alguém a resolver um problema específico ou a alcançar um objetivo desejado…

...é absolutamente crucial criar um sistema para captar a experiência dessa pessoa.

As suas palavras e explicações sobre como você a ajudou a resolver o seu problema.

Este tipo de conteúdo será uma arma de persuasão incrivelmente eficaz, uma vez que se trata de uma validação de terceiros sobre aquilo que você diz na sua mensagem de marketing.

No entanto, existe a maneira correta de captar testemunhos (veja abaixo), e existe a maneira errada (passivamente aguardar por emails/comentários).

Lembre-se que as pessoas adoram histórias de transformação...

Histórias de pessoas que passaram de "zero a herói":

E quando você usa a fórmula específica que aprenderá neste artigo, irá obter testemunhos que trazem esse poder de histórias de transformação.

Quando os visitantes do seu site lêem essas histórias de outros clientes que transformaram a sua vida para melhor através do seu produto/serviço…

Dá-se o clique!

A confiança aumenta exponencialmente, fazendo com que seja muito mais provável tomarem a decisão de comprar.

O Poder das Histórias como Testemunhos

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Aprendi pela primeira vez esta ideia através do livro “Building a Story Brand” da autoria do Donald Miller (livro mais do que recomendado!).

O livro tem ideias geniais sobre como criar uma marca com base em histórias, mas uma das ideias que mais me chamou a atenção foi a dos testemunhos.

Para se captar testemunhos com histórias transformação, existe uma fórmula de 5 simples perguntas que deve enviar aos seus clientes satisfeitos.

Estas podem ser enviadas por email em formato de questionário, mas recomendo vivamente que dedique tempo a entrevistar os seus melhores clientes cara-a-cara.

Se os testemunhos em texto são extremamente eficazes, os testemunhos em vídeo são 10X mais eficazes!

Imagine ter uma página de “histórias de amor”, com dezenas de vídeos de clientes satisfeitos a dizer que transformaram as suas vidas por causa do seu produto/serviço…

Basicamente não precisava de fazer mais nada para convencer novos clientes! Todo o seu marketing seria criado pelos seus melhores clientes.

Mas voltando ao questionário…

Assim que obtiver as respostas, pode facilmente juntá-las num só testemunho, criando uma história de transformação verdadeiramente impactante.

Mas quais são então essas 5 perguntas mágicas?

Como Obter Testemunhos em Formato de Histórias de Transformação

testemunhos, como obter testemunhos, testemunhos de clientes, depoimentos de clientes, depoimentos

Verá que muitas pessoas terão todo o gosto em oferecer testemunhos, pelo simples facto de se sentirem úteis e valorizadas…

E se o seu produto/serviço tiver verdadeiramente transformado as suas vidas para melhor, será ainda mais simples, pois no seu subconsciente sentirão que lhe devem algo de volta.

No entanto, para aumentar a probabilidade de receber respostas, pode usar incentivos tais como ofertas gratuitas ou descontos.

Para criar o mínimo de fricção possível (uma vez que as pessoas têm os seus dias ocupados), enviar um questionário simples de preencher, com 5 perguntas claras e exemplos de respostas ajudará bastante.

Vejamos então as 5 perguntas que deve enviar (ou perguntar em direto) aos seus clientes mais felizes:

1) Qual era o problema que tinha antes de descobrir o nosso produto/serviço?

Aqui o objetivo é preparar para o que aí vem, e contextualizar a situação anterior.

Com esta resposta, os leitores do testemunho irão sentir-se identificados (uma vez que será a sua situação atual), e a ligação emocional começará a ser criada.

2) Como se sentia quando tentava resolver esse problema sem sucesso?

Esta questão é uma das mais poderosas, uma vez que toca no lado emocional.

E como dito atrás, as emoções guiam e controlam as nossas decisões de compra…

Portanto, quando o visitante lê uma história que transmite uma mensagem emocional e se sente identificado com essa emoção (ex. frustração, depressão, querer desistir, etc)...

....essa pessoa pensará para si mesma “wow, eu sinto isso mesmo!”.

Este simples facto irá criar rapport imediato entre o visitante e a pessoa que conta a sua história, ligando-as emocionalmente.

3) O que achou de diferente em relação ao nosso produto/serviço?

Provavelmente já ouviu falar sobre unique selling proposition (USP), aquilo que faz o seu produto/serviço diferente da concorrência ou de outras alternativas.

E muitas vezes uma das melhores maneiras de saber exatamente o que nos torna únicos é… perguntar aos nossos clientes satisfeitos!

Estes dirão exatamente aquilo que nos diferencia de tudo o resto que experimentaram anteriormente, que nem sequer tínhamos pensado antes.

Como tal, a resposta a esta pergunta pode muito bem ser uma ferramenta poderosa para a sua mensagem de marketing, e ser usada em anúncios, landing pages, emails, etc.

4) Descreva o momento em que percebeu que o nosso produto/serviço estava de facto a resolver o seu problema

Até aqui cobrimos tudo o que aconteceu antes da resolução do problema (problema, obstáculos, emoções negativas), e agora chegámos ao momento do “clique”.

O objetivo desta pergunta é fazer com que o cliente satisfeito partilhe o momento exato em que percebeu que esta era a solução que estava à procura.

E os leitores do testemunho, ao lerem essa mensagem, irão visualizar-se a si mesmos a sentir esse momento de transformação…

...que é exatamente aquilo que desejam nas suas vidas!

Importante: esta ligação apenas acontecerá se o leitor tiver passado por todas as emoções anteriores. Apenas assim criará rapport, e fará com que momento do “clique” tenha o impacto desejado.

5) Descreva-nos como é a sua vida agora que resolveu o seu problema

Esta pergunta tem como objetivo mostrar a nova vida do cliente satisfeito, dando ao leitor do testemunho a experiência de se projetar mentalmente para o futuro…

Um “novo futuro”, onde o seu problema já não existe, e onde a sua vida é melhor do que é hoje.

Esta parte é também bastante impactante, pois descreve e materializa a vida ideal que os seus potenciais clientes desejam, levando a ligação emocional ao pico.

Esta fórmula de 5 perguntas é absolutamente brilhante.

A maneira como transporta o potencial cliente numa jornada de A a B através de histórias de clientes satisfeitos, cria uma ligação emocional que jamais seria possível criar através de simples factos, benefícios ou promessas.

Adapte as perguntas para o seu negócio específico e para a sua audiência, e comece hoje a enviar para a sua lista de emails!

Se possível, marque entrevistas com os seus melhores clientes e visite-os para filmar uma entrevista, uma vez que os testemunhos em vídeo são 10X mais impactantes!

O facto de se disponibilizar a visitar os seus clientes, e a dar-lhes importância irá fazer com que se sintam ainda mais ligados a si e à sua marca…

Contribuindo para a sua missão de ser visto como a única solução viável.

Comece hoje a criar a equipa de marketing mais eficaz do mundo: os seus clientes satisfeitos!

Verá que irão vender mais produtos seus do que o melhor copywriter do mundo.

Um abraço,

-Tiago “contador de histórias” Faria

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Como Escolher um Nome de Domínio para o Seu Website

Sente-se a postos para escolher o nome de domínio para o seu site?

Pode já ter um negócio montado, já saber quem é a sua audiência, que produto vender, e o seu funil de vendas mapeado…

Ou pode já ter um website ativo e querer criar uma sub-marca…

Seja como for, escolher um nome de domínio pode ser uma tarefa morosa (a tal tendência para o perfeccionismo, tão humana…).

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Por isso, neste artigo gostava de lhe mostrar algumas técnicas que facilitarão na sua escolha de nome.

Antes de mais: não se precipite.

Lá porque um domínio está disponível, não quer dizer que fique indisponível de um dia para o outro...

E depois, pense em qual é o objetivo para o seu novo domínio.

Será para uma marca pessoal ou empresarial? Como vai gerar tráfego? Será orgânico ou pago? Vai querer fazer marketing offline? Vai ser puramente um blog?

Estas perguntas são importantes, uma vez que um domínio deverá ser diferente consoante o seu objetivo.

Se quiser ver a versão vídeo deste artigo, ou ouvir a versão podcast, clique nos leitores abaixo:

Nome de Domínio Focado em Palavras-Chave

Se o seu grande foco for a optimização para motores de busca e o marketing de conteúdo, é importante escolher palavras-chave para o seu nome de domínio.

No entanto, a relevância para o utilizador que pesquisa é mais importante do que as palavras-chave no seu domínio.

Longe vão os tempos em que bastava ter um URL igual à palavra-chave para aparecer no 1º lugar dos resultados de pesquisa…

Faça uma pesquisa de palavras-chave para descobrir quantas pesquisas existem por uma frase específica relacionada com o seu nicho de mercado.

Se não encontrar uma frase com 2 ou 3 palavras que esteja disponível como domínio .pt, não se admire. Muitos nomes focados em SEO já estão tomados…

Use uma ferramenta como o keywordtoo.io para gerar mais variações dessas palavras-chave (esta ferramenta é baseada nas pesquisas “autocomplete” do Google).

Crie uma lista de potenciais nomes de domínios (não se limite a um ou dois).

Relevância para os Utilizadores

Se um utilizador pesquisar por “como escolher um nome de domínio” e encontrar um resultado cujo URL é “guianomesdedominio.pt”, este sentirá que esse link tem relevância para aquilo que procura.

Está escrito no nome. No seu subconsciente, sentirá que está no sítio correto para encontrar a solução para a sua pergunta.

E terá mais razões para clicar no seu link, uma vez que estavam a pesquisar pelo tópico e o seu site pareceu bastante relevante por ter palavras-chave relevantes no URL.

Escolha um Nome de Domínio Curto Se as Pessoas Precisarem de Se Lembrar

Se fizer marketing offline (rádio, publicidade exterior, TV, etc), vai querer manter o nome do seu domínio curto e simples.

Algo que seja fácil para as pessoas se lembrarem.

Pense bem na fonética, e não use palavras que as pessoas normalmente cometem erros, ou que dependem do acordo ortográfico (como “acção”)

Se quer criar o melhor nome para o seu website, tem que pensar em todos estes pequenos pormenores.

Pense no objetivo e propósito do seu site, e só depois decida o nome do seu domínio.

Domínio de Marca ou Domínio Pessoal?

A não ser que o seu nome seja extremamente comum como João Silva, o mais provável é o seu nome estar disponível para registar como domínio.

Mesmo que não esteja a pensar seguir o caminho do marketing pessoal, recomendo que compre o seu domínio mesmo assim.

Se tiver nos seus planos fazer palestras, entrevistas, criar infoprodutos, escrever ou livros (ou seja, criar autoridade no seu nicho de mercado), deve absolutamente usar o seu nome como domínio para branding pessoal.

Ao usar o seu nome no domínio, estará a construir a sua marca pessoal. Mesmo que não saiba o que fazer com esse domínio, compre-o na mesma.

Nunca sabe se no futuro vai precisar ou querer!

E se o marketing pessoal for o seu caminho agora, compre já o seu “nome” e converta-se ao marketing de conteúdo, em vez de perder tempo a pensar num domínio.

Como Escolher Um Nome de Domínio

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Agora que já sabe qual o objetivo e propósito do seu website, chegou a altura de passar para o próximo passo.

Vejamos quais os passos que deve seguir para escolher o nome ideal para o seu projeto:

Escolha URLs .Pt

A não ser que tenha planos de expandir internacionalmente, escolha um domínio .pt.

É o URL mais popular em Portugal, e transmite autoridade e legitimidade.

O seu domínio será a primeira impressão que os visitantes terão do seu site.

Mostre relevância para com a localização da sua empresa, e evite seguir a moda do .IO (que na verdade quer dizer “Indian Ocean”...).

Escolha URLs Curtos

Não escolha um domínio muito longo.

Melhorsitesobredietacetonia.pt…

Com este tipo de URLs, irá simplesmente assustar as pessoas.

Evite usar mais do que 3 palavras, a não ser que sejam palavras muito curtas (como por exemplo “dietaumdoistres.pt”).

No fundo, trata-se mais do número de caracteres no seu URL…

Mantenha o domínio curto, sucinto e simples, para que seja fácil de memorizar e não seja demasiado complicado escrever no browser.

Faça Uma Pesquisa para Garantir Que Não Existe Marca Registada

Outro passo importante, no caso de não optar por marca pessoal, é fazer uma pesquisa rápida por marcas registadas.

Compare a lista de domínios que reuniu da sua pesquisa e veja uma a uma.

Pode usar o site do Instituto Nacional de Propriedade Industrial para verificar se não existe já uma marca registada.

Bom, agora que já reduziu a sua lista inicial de nomes de domínios, está na hora de passar pelo filtro final: 

Coisas a Evitar Quando Escolhe um Nome de Domínio

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Até agora vimos os passos essenciais para escolher um nome de domínio para o seu website.

Mas existe um par de fatores críticos que deve evitar ao máximo para que possa sentir orgulho do domínio escolhido:

Evite Nomes Complicados ou Soletradas em Calão

Não use palavras que dependam do acordo ortográfico, como “acção”. Este tipo de palavras podem ser facilmente confundidas.

Ao dar o URL do seu site a pessoas, não vai querer que estas não encontrem o seu site mais tarde por erros de soletração.

Outra coisa a evitar, é usar palavras soletradas em calão.

Um bom exemplo é o site uzo.pt. Apesar de ser uma marca reconhecida já há muitos anos, com certeza centenas ou milhares de pessoas puseram a soletração errada no browser, causando atrito desnecessário…

Se puder evite, por mais tentador que seja.

Não Use 2 Letras Iguais de Seguida Entre Palavras

Dê uma olhada na sua lista de nomes, e veja aqueles que tenham 2 letras iguais de seguida entre duas palavras.

Por exemplo, Expressooriente.pt ou Dietaalcalina.pt.

Vê as letras iguais de seguida? “oo” e “aa” não é bonito visualmente, para além de poder ser confuso para quem estiver a escrever no browser.

Escolha Um Nome de Domínio para o Seu Negócio

nome de domínio, como escolher um nome de domínio, sistema de nomes de domínio, nomes de domínios

Escolher um nome de domínio pode ser um processo chato e complicado…

Mas não se precipite. Não precisa de escolher hoje!

É essencial garantir que o nome do seu domínio passa todos os testes acima descritos.

O pior que pode acontecer é descobrir que o nome tem algum problema depois de comprado e de ter o site construído à volta do nome…

Escolha um nome, e foque-se no que é mais importante: conhecer o seu segmento de mercado melhor que ninguém, dominar o marketing de conteúdo, crescer uma lista de emails e criar um funil de vendas para crescer o seu negócio.

Dedique-se a 100% de forma consistente, e por longos períodos de tempo... o sucesso chegará inevitavelmente.

Espero que este artigo seja útil para si, e que possa escolher um domínio que faça com que sinta orgulho.

Se tiver alguma pergunta, deixe um comentário abaixo. Terei todo o gosto em ajudar!

Um abraço,

-Tiago “domina domínios” Faria

Melhor Alternativa ao Mailchimp: Por que razão mudei para o Aweber

O segredo não está na sua lista de emails. O segredo está na relação que tem com a sua lista de emails.

Como tal, faz todo o sentido escolher o melhor serviço de email marketing para o ajudar a crescer e alimentar essa relação.

Mas será que o Mailchimp é mesmo a melhor escolha?

Apesar de ser talvez o serviço de email marketing mais popular do mundo, quando comparado com outras alternativas o MailChimp deixa muito a desejar.

Alternativa ao Mailchimp - Por que razão mudei para o Aweber

Neste artigo vou também revelar por que razão deixei o Mailchimp e qual o melhor serviço de email marketing para si.

Spoiler: Escolhi o Aweber por causa do custo, apoio ao cliente e “taxa de entregabilidade” de emails (pode criar aqui a sua conta gratuita no Aweber).

Se preferir ver a versão vídeo ou ouvir a versão áudio deste artigo, clique nos leitores abaixo:

O que São Serviços de Email Marketing, e Por que Precisa de Um?

O que são serviços de email marketing e por que precisa de um

Como referi no início, crescer a sua lista de emails deve ser a prioridade número 1 do seu negócio.

Ao crescer a sua lista, irá também criar uma relação próxima com a sua audiência.

A palavra-chave aqui é de facto a relação. O seu grande objetivo deve ser sempre o de se posicionar como o conselheiro de confiança que está sempre disponível para resolver os problemas da sua audiência e ajudar a alcançar os seus objetivos.

E a melhor maneira de o fazer é enviando emails pessoais, úteis, e recheados de valor. São estes os emails que as pessoas vão querer receber com frequência na sua caixa de entrada.

No entanto, também precisa de ser eficiente nesse processo!

A sua estratégia de email marketing também passa pela seleção de um serviço que torne o processo o mais simples possível.

E como não é possível enviar emails em massa através do Gmail… é aí que entram as ferramentas de email marketing.

O que as Melhores Ferramentas de Email Marketing Podem Fazer Pelo Seu Negócio

Como estão as suas taxas de abertura, taxas de clique, taxas de entregabilidade, e taxa de retenção de subscritores?

Se não tem ideia de qual a performance dos seus emails assim que chegam aos seus subscritores, então está a perder tempo precioso!

Você precisa de saber se está a fazer algum progresso. É a única maneira de saber se está no bom caminho com os seus esforços de email marketing.

Bem sei que a ideia de “medir” e “rastrear” dados pode não ser algo que lhe interesse muito…

Mas não tem que fazer tudo sozinho.

É aqui que uma plataforma de email marketing pode ajudar mais.

Ao usar os relatórios e analytics destas ferramentas, você consegue determinar se as suas iniciativas estão a dar resultados, ao mesmo tempo que coleciona dados importantes sobre o comportamento da sua audiência.

Assim que descobre o que a sua audiência realmente quer, você pode começar a apontar as suas campanhas nessa direção… e é aí que as coisas começam a ficar engraçadas.

De repente, as suas hipóteses de sucesso sobem exponencialmente!

Mailchimp VS Aweber: Visão Geral

Mailchimp vs Aweber - Visão Geral

Ok. Agora que cobrimos alguns detalhes, está na hora de falar sobre aquilo que realmente interessa.

Quando está a trabalhar no seu negócio, o foco deve estar sempre no futuro.

Imagine que você já tem algumas dezenas ou centenas de subscritores agora.

Pode estar a usar o MailChimp como uma ferramenta temporária, apenas porque tem a versão gratuita até 2000 subscritores.

Tal como eu, pode estar a pensar “bom, quando lá chegar depois penso em encontrar uma plataforma melhor”.

No entanto, há mais do que uma razão para não fazer isso...

A verdade é que você precisa de olhar para o futuro e pensar onde é que o seu negócio pode estar daqui a uns anos.

De que maneira é que pode garantir que os objetivos do seu negócio são alcançados da maneira mais eficaz, eficiente, e “indolor”?

De momento, o plano gratuito do Mailchimp pode parecer de facto tentador. Mas se apenas o utilizar por ser grátis, pode chegar a um ponto no futuro em que tem que migrar a sua lista para uma plataforma melhor… e isso pode ser problemático.

A melhor altura para decidir é agora quando ainda está a começar. Quanto mais cedo tomar esta decisão, melhor para o seu negócio!

Mas então, qual escolher: Mailchimp ou Aweber?

Bom, primeiramente o Aweber está no mercado já desde 1998.

É considerado o “avô” dos serviços de email marketing.

Existem cerca de 120,000 utilizadores em todo o mundo que confiam no Aweber, entre os quais empreendedores, bloggers e pequenos negócios.

Por outro lado, o Mailchimp está no mercado desde 2001, e tem mais de 7 milhões de utilizadores em todo o mundo… o que é realmente impressionante.

Mas será que o maior é sempre o melhor?

Vejamos mais em detalhe as maiores diferenças entre o Mailchimp e o Aweber:

O Sistema de Apoio ao Cliente do Mailchimp

Acredite, vai acabar por acontecer.

Vai encontrar problemas a gerir a sua lista de emails, e vai precisar de ajuda.

E vai precisar de ajuda já, hoje, e não amanhã.

Se não tiver um agente de apoio ao cliente que possa contactar facilmente, que seja prestável, competente e responsivo… terá problemas!

Por isso vejamos como se comparam as duas plataformas:

O Mailchimp tem vários recursos e FAQs que pode usar para encontrar a resposta que precisa.

Mas se quiser falar com alguém, pode fazê-lo… mas não é fácil encontrar a opção.

Para além disso, a versão gratuita não lhe dá acesso a apoio por email ou chat. Você fica por sua conta, até escolher um plano pago (e bem pago, como já vamos ver daqui a pouco).

Por sua vez, o Aweber faz as coisas de forma um pouco diferente...

O apoio ao cliente do Aweber faz parte da cultura da empresa.

Não fazem outsourcing desta parte do seu negócio em países como as Filipinas ou Índia (a estratégia normalmente seguida pelas maiores empresas). Toda a sua equipa de suporte está baseada na sua sede em Pennsylvania, EUA.

Sempre que precisa de algo, eles estão sempre disponíveis e prontos a responder 24h por dia, 7 dias por semana. Pode optar por chat, email ou telefone (este apenas entre as 8h e as 20h - Zona de Tempo Oriental, +5h em Portugal continental).

Já utilizei o suporte por chat diversas vezes, e sempre me resolveram cada problema ou dúvida na hora. Inclusive criaram-me relatórios personalizados, e ajudaram-me na transição da minha lista. 5 estrelas!

Neste campo, o Aweber não dá qualquer hipótese a ninguém.

E o melhor de tudo? Você terá direito a todas estas opções de apoio desde o 1º dia, mesmo que opte apenas pela versão grátis!

Mailchimp ou Aweber: Qual é Mais Intuitivo?

Mailchimp vs Aweber - Qual é o mais intuitivo

Independentemente de qual serviço escolher, existe sempre uma curva de aprendizagem e vai encontrar obstáculos e problemas.

O Mailchimp gaba-se de ser intuitivo… mas durante o ano que usei, achei tudo menos intuitivo!

Sim, pode ter um design bonito, e parece estar bem organizado. Mas há algumas funções que não são fáceis de nos familiarizarmos. Então agora desde que o menu principal mudou para a esquerda, ficou ainda mais confuso!

Por outro lado, o Aweber é extremamente simples.

Poucas opções que estão organizadas de forma lógica.

Vantagem de ser uma ferramenta da “velha guarda”, que se foca mais na eficácia e simplicidade do que em designs bonitos.

Criar Automações de Email

Prefere um serviço de email marketing que é fácil de usar ou que é mais poderoso?

A sua resposta a esta pergunta pode influenciar a sua escolha entre o Mailchimp e o Aweber.

No que concerne a automações poderosas, o Mailchimp leva alguma vantagem.

Por exemplo, pode criar diferentes grupos de subscritores e lançar campanhas específicas para esses subscritores. Pode enviar mensagens diretamente a utilizadores com base no seu comportamento, etc.

No entanto, há um senão:

Editar é complicado e confuso.

O editor visual é pouco intuitivo e as opções são difíceis de encontrar.

E é aí que o Aweber entra a pés juntos.

Criar automações é uma experiência suave e indolor com o Aweber. Pode adicionar “tags” aos subscritores, enviar mensagens personalizadas, e todo o tipo de automações necessárias.

Se não precisar de automações robustas e complexas (como por exemplo para uma loja ecommerce), nem precisa de pensar duas vezes: a escolha é o Aweber.

Single Opt-in e Double Opt-in

Quando adiciona subscritores à sua lista de emails, pode escolher se quer um processo de single ou double opt-in.

O processo de single opt-in significa que quando alguém subscreve, entra imediatamente na sua lista.

Por outro lado, o processo de double opt-in significa que quando alguém subscreve, recebe um link de confirmação por email. Apenas se a pessoa clicar nesse link é que se tornará subscritor.

Tanto o Mailchimp como o Aweber permitem-lhe escolher o tipo de opt-in que quer para a sua lista.

O double opt-in pode ser mais lento, mas ajuda a filtrar spam e emails falsos ou pouco utilizados (algo frequente quando as pessoas apenas querem receber o seu freebie).

A única diferença é que o Mailchimp permite-lhe desativar o double opt-in facilmente, enquanto que no Aweber você precisa de entrar em contacto com o apoio ao cliente para o fazer.

Um passo adicional, mas nada complicado: rapidamente o agente de apoio ao cliente faz a alteração por si.

Pode ser um pouco chato para si, mas a verdade é que o Aweber tem um objetivo claro com isto: fazer o máximo possível para evitar que os seus emails sejam filtrados como spam.

Por isso é que os emails enviados pelo Mailchimp acabam na categoria de Promoções do Gmail (e demasiadas vezes no spam), enquanto que os emails enviados pelo Aweber entram diretamente na caixa de entrada dos subscritores.

Não existe serviço de email marketing no mundo com uma taxa de "entregabilidade" melhor do que o Aweber. Simplesmente, funciona!

Quanto Custa cada Um? Preços do Mailchimp vs Aweber

Preço Mailchimp e Aweber

Falemos então da questão mais importante: o dinheiro.

Os planos do Aweber são incrivelmente simples.

Existe o Free (grátis) e o Pro (pago).

O plano Free permite-lhe ter até 500 subscritores e enviar até 3000 emails por mês.

Nada de extraordinário, mas com um detalhe: terá acesso a quase todas as funcionalidades desde o 1º dia! (excepto testes A/B, automações com base em comportamento, e segmentos personalizados).

E o melhor de tudo?

Terá direito a ajuda gratuita para migrar a sua lista para o Aweber, e terá acesso ao famoso apoio ao cliente 24h por dia, 7 dias por semana, por email, chat, ou telefone!

Quanto ao plano Pro, existem 5 níveis, dependendo do número de subscritores.

Abaixo os preços do Aweber por cada nível:

  • $19/mês (~€16) = 1 - 500 subscritores
  • $29/mês (~€24) = 501 - 2.500 subscritores
  • $49/mês (~€41) = 2.501 - 5.000 subscritores
  • $69/mês (~€58) = 5.001 - 10.000 subscritores
  • $149/mês (~€125) = 10.001 - 25.000 subscritores

Se (ou quando?) superar os 25.000 subscritores, terá que entrar em contacto para receber um orçamento personalizado.

O Preço do Mailchimp é Mais Complicado

O Mailchimp gosta de complicar as coisas.

Pode escolher entre 4 planos diferentes: Free (grátis), Essentials, Standard, e Premium.

No entanto, estes planos não são fixos. Há muitas variáveis.

Cada plano vem com diferentes números de subscritores, limites de envio de emails, etc.

Se começar com o plano Free (gratuito), estará limitado a 2.000 subscritores e 10.000 envios de emails por mês.

À primeira vista, nada mau para uma ferramenta gratuita…

No entanto, estará bastante limitado tanto nas opções de envio como no suporte.

Apenas pode enviar um email automático (esqueça as sequências de emails de boas vindas), e apenas terá direito a 30 dias de apoio por email (nada de chat ou telefone).

Abaixo o preço mínimo por cada plano pago do Mailchimp:

  • Essentials (até 500 subscritores) = €8,52/mês
  • Standard (até 500 subscritores) = €12,79/mês
  • Premium = (até 10.000 subscritores) = €255,05/mês

Para comparar com os planos do Aweber, vejamos como seria o plano básico Essentials com limites de subscritores semelhantes:

  • €8,52/mês = até 500 subscritores 
  • €17,90/mês = até 2.500 subscritores
  • €45,20/mês = até 5.000 subscritores
  • €67,38/mês = até 10.000 subscritores
  • €170,60/mês = até 25,000 subscritores

Até 2.500 subscritores parece que o Mailchimp é mais barato que o Aweber. Mas falta olhar para mais um detalhe:

No plano Essentials existe um limite de envios mensais de 10x o número máximo de subscritores.

Isto significa que se tiver 2.500 subscritores, só pode enviar 10 emails por mês, ou seja, cerca de 1.5 emails por semana… e isto se não tiver nenhuma automação a correr!

Se quiser realmente criar uma relação forte com a sua audiência, e não se preocupar com o limite de envios dos seus autoresponders, terá que optar pelo plano Standard ou Premium…

E para além disso, não terá acesso à linha de apoio por telefone.

Demasiadas limitações que não existem no Aweber!

Com o Aweber terá acesso a tudo, sem quaisquer limites de envios, qualquer que seja o plano da sua escolha.

Para além disso, a partir dos 2.501 subscritores o preço do Aweber começa a ser mais barato do que o plano Essentials do Mailchimp (o mais básico e barato).

Sem comparação.

Qual é Afinal o Melhor? Mailchimp ou Aweber?

Chegámos então ao momento da verdade - Mailchimp ou Aweber?

Como já deve ter percebido, a minha escolha óbvia é o Aweber.

Eis as razões da minha escolha:

  • Criar autoresponders (sequências automáticas de emails para novos subscritores) é extremamente fácil e intuitivo
  • Interface “da velha guarda” torna as coisas muito fáceis de encontrar e navegar
  • Provavelmente, o melhor apoio ao cliente do mundo
  • Criador de newsletters é extremamente fácil de usar
  • O interface é leve e carrega rapidamente… mesmo quando usa a versão mobile
  • É extremamente fácil de remover subscritores inativos, que cancelaram a subscrição, ou que usaram emails falsos… enquanto que o Mailchimp não o permite (ou torna as coisas demasiado complicadas)
  • Os emails enviados pelo Aweber vão direitinhos às caixas de correio dos subscritores… enquanto que os emails do Mailchimp vão parar à categoria das Promoções (ou pior… à caixa de spam)

O Aweber já existe no mercado há muito tempo. A ferramenta de design e edição de emails é mais fácil e intuitiva. A criação de automações é intuitiva e lógica, e o processo de opt-in é mais seguro.

Nem sequer penso duas vezes sobre continuar a usar o Aweber por muitos e longos anos.

Clique aqui para criar a sua conta grátis no Aweber.

Espero que este artigo tenha sido útil e que o tenha ajudado a encontrar a melhor opção no mercado para o Mailchimp.

Deixe um comentário abaixo e diga-me o que acha. Já usou o Mailchimp? O que achou?

Um abraço,

Tiago “aweberado” Faria

agencia marketing digital, como escolher agencia de marketing digital, empresas de marketing digital, agencia de marketing digital preços

Faça Isto e Encontre a Melhor Agência de Marketing Digital para Si

Existem várias agências de marketing digital espalhadas pelo país (e com a facilidade de comunicação, a sua escolha pode estar em qualquer parte do mundo).

Por outro lado, com a propagação do freelancing e assistência virtual, também já é possível contratar profissionais por projeto a um custo muito baixo.

No entanto, existe uma questão que acho essencial desmistificar na altura de escolher uma agência de marketing digital (ou qualquer tipo de agência para a sua empresa):

agencia marketing digital, como escolher agencia de marketing digital, empresas de marketing digital, agencia de marketing digital preços

A de que quanto mais barato, melhor.

Esta abordagem pode parecer benéfica para quem contrata, uma vez que cortará os custos…

Mas será que lhe trará o maior retorno possível?

Será que a solução apresentada é a melhor para os seus clientes?

Será que trará resultados de todo?

Por Que Razão As Empresas Escolhem as Agências de Marketing Digital Mais Baratas

agencia marketing digital, como escolher agencia de marketing digital, empresas de marketing digital, agencia de marketing digital preços

A grande razão pela qual as empresas têm a tendência para pedir vários orçamentos e escolher a mais barata resume-se a isto:

Redução do risco.

Têm medo de investir demasiado e depois não obter o retorno desejado.

Ou seja, não confiam nas aptidões e capacidades das agências para darem resultados, e como tal não querem investir demasiado.

O que acontece aqui são duas coisas:

1) Você estará a escolher apenas com base numa variável (o preço), não levando em conta a real capacidade da agência de fazer a diferença na sua empresa

2) Estará a criar uma “guerra de preços” entre as agências, que puxarão os seus preços o mais baixo possível e, consequentemente, os seus custos, dedicação e tempo. Com isto, o resultado final nunca poderá ser o ideal.

Por isso muitas vezes existe a ideia de que o “marketing digital não funciona”.

Sem ovos não se consegue fazer omeletes.

Mas atenção: com isto não estou a dizer que você deve escolher a agência mais cara.

Isso seria de novo depender apenas de uma variável.

O que estou a dizer é que deve ter em conta outras variáveis que não o preço.

Recomendações de outros clientes, portfólios, e testemunhos são todos elementos interessantes para consultar…

Mas existe uma outra variável que é infinitamente mais importante do que todas as outras:

Pensamento estratégico.

Contratar um Parceiro Estratégico VS Um Fazedor de Tarefas

agencia marketing digital, como escolher agencia de marketing digital, empresas de marketing digital, agencia de marketing digital preços

Imagine o seguinte:

Você tem uma clínica dentária e chega à conclusão de que precisa de um site, porque acha que dará mais visibilidade à sua empresa e porque toda a sua concorrência tem sites.

Faz uma pesquisa na Google para encontrar agências que façam websites.

Envia pedidos de proposta a 5 agências.

4 delas enviam imediatamente propostas muito parecidas para criação de um site simples (na maior parte das vezes com base em templates…), sem qualquer contexto adicional…

Mas uma delas pede para marcar uma reunião para perceber um pouco melhor a sua empresa.

Você inicialmente pensa para si mesmo “mas eu só quero um site”... mas como gostou da abordagem, aceita agendar reunião.

Nessa reunião, a consultora da agência mostra-se verdadeiramente curiosa, e faz imensas perguntas sobre a sua empresa, os seus objetivos, e os seus obstáculos.

Pergunta também o que tem feito até agora para atingir estes objetivos e ultrapassar estes obstáculos.

Anota todas as suas respostas, e repete de volta aquilo que está a ouvir para garantir que estão em sintonia.

Em nenhum momento menciona as características do novo site, ou das soluções fantásticas que a agência tem para oferecer.

Com base nas suas respostas, chegam ambos à conclusão que:

  • A sua clínica está totalmente dependente dos clientes que já estão consigo há muitos anos
  • Esses clientes habituais voltam em média 1x por ano, pois você tem que se lembrar sempre de lhes ligar
  • Tem dificuldade em angariar novos clientes por que é difícil encontrar a sua clínica online, perdendo clientes para a concorrência
  • Atualmente fatura 100.000€/ano, e o seu objetivo é atingir os 200.000€/ano (ou seja, duplicar a faturação no próximo ano)

Com base nestas conclusões, a consultora elabora um plano de ação, mostrando que a clínica precisa de:

  • Não apenas um site, mas um funil de vendas que torne visitantes em leads qualificadas, e que incentive as pessoas a visitarem a sua clínica
  • Geração de tráfego online para atrair potenciais clientes para o seu site (marketing de conteúdo e Facebook Ads)
  • Um sistema de CRM e Automação de Email para comunicar regularmente com os seus potenciais clientes, e relembrar clientes para visitas de rotina de 6 em 6 meses
  • Optimizar a sua presença no Google Maps, criando uma conta Google My Business, para captar pessoas que façam pesquisas locais
  • Uma sessão de estratégia de 3 horas com a sua equipa, para analisar a fundo o seu segmento de mercado e público-alvo (para que todo o material de marketing seja relevante para a sua audiência), a sua clínica e oferta (para criar uma escada de valor e aumentar a sua oferta), e a sua concorrência (para saber onde podemos obter vantagem competitiva)

No final, a consultora diz que normalmente para se resolver este tipo de problema, cobra-se 10% pelo primeiro ano de receitas geradas pelo site…

E pergunta se estaria confortável em investir cerca de 8.000€ e 12.000€ neste projecto.

Neste ponto, dois cenários poderiam acontecer:

1) Você diz que é demasiado caro do que aquilo que estava a pensar gastar, e diz que recebeu propostas por 1.000€

Neste caso, a consultora diz que adorava trabalhar consigo, mas que por esse valor é impossível criar um projeto desta dimensão e trazer estes resultados.

No entanto, diz que se tudo o que precisa é um site simples, tem um contato de um freelancer da sua confiança que pratica preços semelhantes, e que teria todo o gosto em dar a sua referência.

2) Você diz que pode ser possível, mas que precisa de ver uma proposta com tudo discriminado, para discutir e decidir com os seus sócios.

A consultora diz que ao final do dia irá enviar um email a resumir tudo o que foi discutido, e no dia seguinte uma proposta detalhada.

Factores a Considerar na Escolha de Uma Agência de Marketing Digital

agencia marketing digital, como escolher agencia de marketing digital, empresas de marketing digital, agencia de marketing digital preços

O que é que a consultora fez nesta primeira reunião?

Posicionou-se como uma expert na área.

Como alguém que quer ajudar a resolver os seus problemas, e não a vender soluções que não acrescentam qualquer valor para a sua empresa.

Posicionou-se como uma verdadeira parceira de negócio, VS uma mera “fazedora de tarefas” paga à hora.

Posicionou-se como alguém que realmente quer ajudar a alcançar os seus objetivos e que sabe o que é preciso para os alcançar.

E que não se limita a apenas uma solução para todos os problemas (como muitas agências de marketing digital)...

Como viu no caso acima, a ideia inicial era criar um website para aumentar a visibilidade…

No entanto, depois da exploração inicial, viu-se que um simples site não resolveria os verdadeiros problemas da clínica.

Portanto, quando escolher uma agência de marketing digital, considere sempre os seguintes pontos:

  • Mostra verdadeiro interesse em descobrir os meus problemas e objetivos?
  • Faz mais perguntas do que fala, e chega a conclusões em conjunto consigo? (não existem soluções genéricas, cada caso é diferente)
  • Demonstra curiosidade e é bom ouvinte? Mostra empatia e cria rapport consigo?
  • Pratica preços baseados em valor criado em vez de preços por hora?
  • Oferece soluções para problemas (mesmo que saiam do seu escopo de trabalho) em vez de impingir serviços pré-definidos?
  • Inclui uma sessão de estratégia completa (paga) para analisar a fundo o seu público-alvo, a sua empresa, e a sua concorrência?
  • Mostra profissionalismo em cada interação consigo e “faz aquilo que diz”? (em pormenores como por exemplo enviar um email logo após a primeira reunião)

Como conclusão final…

Evite agências que vêm com um pitch sobre o quão maravilhosas são.

Escolha agências que querem encontrar a solução ideal para si, mesmo que isso signifique trabalhar com outras agências.

Contrate pensamento estratégico, não contrate fazedores de tarefas.

Para crescer o seu negócio tem que se rodear de pessoas que realmente acrescentem valor em áreas que você não domina (ou não tem tempo para dominar).

Um abraço,

-Tiago “estratega” Faria

o detalhe que faz com que perca clientes todos os dias

O Detalhe que Faz com que Perca Potenciais Clientes Todos os Dias

Durante 8 anos morei em Dublin, República da Irlanda.

Metade deles com a minha mulher, a Natasha.

Uma das coisas que mais gostávamos de fazer, era almoçar e jantar fora em restaurantes coreanos.

(A oferta de restaurantes asiáticos em Dublin é incrível!)

Há qualquer coisa naquela comida que nos fascina... (será o picante?)

O detalhe que faz com que perca potenciais clientes todos os dias

Num desses dias, resolvemos experimentar um restaurante novo.

Nunca nos tinha sido recomendado por amigos, mas ao pesquisar no Google reparei que um deles tinha a classificação de estrelas mais alta de todos os restaurantes coreanos...

E imensos comentários, todos falando maravilhas da comida, dos preços acessíveis, e do serviço atencioso.

Tínhamos que experimentar!

Decidimos enfrentar o vento e a chuva típica Irlandesa, e lá fomos.

No entanto, quando chegámos ao local indicado no Google Maps, deparámo-nos com um supermercado asiático.

Será que a morada estava errada no mapa?

Enquanto eu olhava à volta para tentar encontrar o restaurante, a Natasha resolve entrar no supermercado.

Pergunta à senhora da caixa se sabia onde ficava o restaurante, ao que ela responde, rindo:

"É ali atrás daquelas prateleiras".

E não é que era mesmo?

restaurante coreano

O restaurante ficava lá ao fundo, literalmente por trás das prateleiras do supermercado.

O espaço era minúsculo...

Cheirava a gordura, os pratos eram de plástico colorido, e as mesas não pareciam bem limpas.

No entanto, olhámos um para o outro, e decidimos dar uma hipótese e experimentar.

E... não é que os comentários eram verdade?

Adorámos a comida, o serviço foi 5 estrelas, e cada um dos nossos pratos ficou abaixo dos 10€ (o que em Dublin é raríssimo).

Agora imagine comigo:

Se eu e a Natasha não tivessemos visto os comentários no Google, muito provavelmente nunca passaríamos por aquele local.

Ou mesmo se por acaso entrássemos no supermercado, e vissemos que havia um restaurante por trás de umas prateleiras, sujo e a cheirar a gordura...

A probabilidade de nos sentarmos a comer seria muito baixa (ou mesmo zero).

Ora, este exemplo mostra o poder dos comentários e recomendações online.

Hoje em dia, as pessoas confiam nos comentários online tanto quanto as recomendações de amigos ou familiares...

Quer seja no processo de decisão de qual restaurante frequentar, que clínica fazer marcação, ou que contabilista escolher.

Focando agora no seu caso:

Como está a classificação no Google do seu negócio? E em outros sites de classificações, como o Facebook ou Yelp?

Quantos comentários tem?

Se não souber, ou se por outro lado, tiver classificações baixas ou poucos comentários...

Pode estar a perder oportunidades todos os dias.

Se tiver interesse em saber como está a sua reputação online atual, terei todo o gosto em partilhar consigo gratuitamente um relatório detalhado, assim como estratégias para refletir a reputação que já tem na vida real para o mundo digital.

(E, quem sabe, descubra comentários sobre o seu negócio em sites que nem sabia que existiam!)

Peça agora gratuitamente o seu relatório de reputação online detalhado, preenchendo o formulário abaixo:

Este poderá muito bem ser o alavanque que o seu negócio precisa para arrancar 2020 em força.

Um abraço,

Tiago "adora kimchi e bibimbap" Faria

como atrair clientes, como atrair clientes novos, como atrair clientes para loja, como atrair clientes para restaurante, como atrair clientes para um bar, como atrair clientes para salão, como atrair clientes online

Triplete Google: Como Atrair Clientes para o Seu Negócio Local em 2020

Se tem um negócio local como por exemplo uma loja, restaurante, bar, café, salão de beleza, cabeleireiro, agência ou oficina...

E quer atrair mais clientes agora e garantir que no futuro continua a gerar leads...

Este artigo é extremamente importante para si.

Estamos a passar por um período estável na economia mundial, em que o consumo de produtos/serviços não essenciais é ainda bastante alto.

como atrair clientes, como atrair clientes novos, como atrair clientes para loja, como atrair clientes para restaurante, como atrair clientes para um bar, como atrair clientes para salão, como atrair clientes online

No entanto, acredito que em breve entraremos num novo período de recessão, depois de mais de 10 anos de crescimento e fartura (após a crise financeira mundial de 2007-2008).

Fazer negócio nos próximos anos irá tornar-se cada vez mais difícil para as mais de 700 mil pequenas e médias empresas em Portugal

Por outro lado, acredito piamente que as pequenas e médias empresas podem mesmo assim crescer durante períodos de crise.

Como assim? Crescer?

Exatamente.

Aquelas empresas que apostarem na optimização para motores de busca (SEO) irão não só sobreviver, mas também prosperar!

A verdade é que hoje em dia, as pequenas e médias empresas que não aparecem no topo dos resultados de pesquisa do Google

Estão lentamente a morrer!

Quando as pessoas procuram por uma solução para o seu problema ou para uma necessidade específica (quer seja entretenimento, saúde, beleza, arranjos, apoio legal, etc), pegam no seu telemóvel…

E procuram por uma resposta no Google.

A empresa que aparecer no topo dos resultados de pesquisa, vai obter a maioria dos cliques e muito provavelmente atrair mais clientes para o espaço físico.

Ao invés, as empresas que não aparecem no topo dos resultados de pesquisa irão sofrer…

Principalmente as empresas locais, que servem uma cidade ou bairro específico.

Pense comigo:

Quando a recessão económica acontecer (que vai acontecer, mais cedo ou mais tarde…), já não existirá tanto “tráfego” diário a visitar o seu espaço físico.

As pessoas estarão mais em casa, o “passa-palavra” será cada vez menor, e tudo o que antes lhe trazia negócio deixará de funcionar.

No entanto, quando as pessoas realmente precisarem de algum produto ou serviço perto de si (quer sejam residentes, quer estejam apenas de passagem), o que irão fazer?

Exatamente. Pegar no seu telemóvel...

Pesquisar no Google, e escolher a empresa que aparece no topo das pesquisas.

Como tal, é essencial ter a sua presença totalmente optimizada para aparecer nos resultados de pesquisa Google sempre que alguém pesquisa por uma palavra ou frase relacionada com o seu negócio e local.

Neste artigo irá aprender exatamente como garantir que a sua presença está optimizada, para que possa atrair clientes de forma constante para o seu espaço físico ou negócio local.

Antes de mais, vejamos o espaço que tem disponível no Google:

O Triplete Google: Domine o Seu Espaço nos Resultados de Pesquisas Locais

resultados de pesquisa google

Repare na imagem acima.

Quando um utilizador pesquisa no seu telemóvel por “substituir vidro automovel lisboa”, ou simplesmente “substituir vidro automovel” estando localizado em Lisboa, isto é o que vai ver logo de início.

Neste tipo de pesquisas locais, a caixa do Google Maps aparece bem destacada no topo (número 2 na imagem acima), onde é mostrada uma lista de 3 empresas locais.

Por outro lado, abaixo da caixa do Google Maps, verá que aparecem os resultados de pesquisa “orgânicos” (número 3 na imagem acima), ou seja, páginas de websites específicos que incluem palavras-chave relacionadas com a pesquisa.

Estes dois tipos de resultados são os mais comuns, mas existe também a possibilidade de investir em anúncios Google Ads (número 1 na imagem acima). Esta é a maneira mais rápida de garantir o primeiro lugar nas palavras-chave mais importantes.

No exemplo acima, repare na presença que a empresa “NewGlass” tem nos resultados desta pesquisa:

Anúncio no topo da página (1 link), primeiro lugar na lista do Google Maps, com 2 possíveis links, e primeiro lugar nos resultados orgânicos com mais 1 link.

Ou seja, total de 4 links imediatamente visíveis para o utilizador.

Domínio completo nesta pesquisa, captando a vasta maioria do tráfego e, por consequência, as visitas ao seu espaço.

Este deverá ser o seu objetivo final!

Ou seja, atingir aquilo a que chamo de “O Triplete Google”: Anúncio Google Ads, Google Maps, e Resultados Orgânicos de uma só vez.

Se o conseguir, a vasta maioria dos utilizadores irão clicar nos seus links (para o seu website ou perfil de empresa Google), ou mesmo fazer uma chamada diretamente dos resultados da sua pesquisa!

Enquanto que a sua concorrência local permanecerá invisível sempre que alguém faz uma pesquisa relacionada com o seu negócio…

Ficando dependente do “passa-palavra”, ou de transeuntes que passem pelo seu espaço físico.

Mas então, como pode garantir que está presente em todas as pesquisas relevantes para o seu negócio local?

O que Faz a Diferença nos Resultados de Pesquisas Locais

Para que o seu negócio local obtenha sucesso no Google, existem 6 componentes necessárias.

Mas não se preocupe, não precisa de investir em todas as áreas ao mesmo tempo! Lembre-se que tudo o que falarei neste artigo será o cenário ideal.

Dependendo do seu estado atual, existirão oportunidades diferentes para começar a fazer a diferença no seu negócio.

Vejamos então as 6 componentes necessárias para dominar os resultados de pesquisa Google:

1) Website em WordPress Optimizado para SEO

2) Google My Business (GMB)

3) Citações de Nome, Morada, e Telefone (NMT)

4) Classificações e Gestão de Reputação

5) Anúncios Google Ads

6) Resultados Orgânicos

Vejamos detalhadamente cada uma das componentes, para que perceba a sua importância:

1) Website em WordPress Optimizado para SEO

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website, website optimizado para SEO, wordpress

Tal como o seu espaço físico é a sua base na vida real, é fulcral ter a sua base online.

E não, a sua base online não pode ser a sua página Facebook, ou TripAdvisor…

Você não tem qualquer controlo sobre essas plataformas. Estas podem fechar, mudar de termos e condições ou de algoritmos, pelo que estar 100% dependente destas é um erro crasso, que infelizmente é bastante comum.

Portanto, o primeiro sítio onde deve incluir corretamente o Nome, Morada e Telefone (mais à frente falaremos da importância deste aspeto) da sua empresa é no seu próprio website.

Repito: no seu “próprio” website.

Criar websites em plataformas gratuitas ou em plataformas tudo-em-um como o Wix, ou o Webnode é abdicar do controlo do seu website…

Tal como nas redes sociais, o conteúdo e todo o trabalho que tiver a criar um website nessas plataformas pode ir por água abaixo assim que essa plataforma fechar, mudar os termos e condições, ou simplesmente resolver banir a sua conta sem dar explicações.

Mas atenção:

Com isto não quero dizer que você não deve criar uma página Facebook, YouTube, Instagram ou qualquer outra plataforma onde a sua audiência congrega…

Essas plataformas serão essenciais para aumentar o seu alcance online, mas o conteúdo inserido deve sempre redirecionar o utilizador para a sua base online.

Neste artigo explico a importância de controlar a sua presença online.

Mas então qual deve ser a sua base online, que controla por completo?

Website em WordPress.

O WordPress é um gestor de conteúdo open source (código aberto), e é construído num servidor escolhido por si.

Com o WordPress você escolhe o seu domínio, constrói o seu website numa plataforma open source que controla, e escolhe um servidor próprio.

Terá controlo absoluto sobre todas estas componentes, mas mais importante que isso…

O Google adora o WordPress! Trata-se de uma plataforma totalmente formatada para obter rankings nos resultados de pesquisa.

Não é por acaso que 27% dos websites online são construídos em WordPress, e que sites como o Forbes, The New York Times, ou Sony são construídos na plataforma.

Se ainda não criou o seu website, ou se tem um website criado numa plataforma que não controla, não perca mais tempo...

Veja a fundo quais as razões pelas quais considero o WordPress a melhor plataforma para criar websites e blogs, saiba como escolher um servidor, veja como escolher um nome de domínio, e aprenda a criar um site/blog de raíz.

2) Google My Business (GMB)

google my business, google empresa

Assim que o seu website em WordPress está pronto, e inclui o Nome, Morada e Telefone da sua empresa em todas as páginas (repito, importantíssimo!)…

O Google My Business (GMB) é o próximo passo.

Na verdade, este é o passo mais importante para aumentar a probabilidade de o seu negócio aparecer nos resultados de pesquisa Google Maps para as palavras-chave mais relevantes.

O Google My Business é um sistema que lhe permite criar um perfil de empresa gratuitamente, para que a localização e informação do seu negócio local possa aparecer no Google Maps e nos resultados de pesquisa Google.

Vá agora a https://www.google.com/intl/pt-PT_pt/business/

Se ainda não o fez, primeiro tem que requisitar um postal que o Google lhe enviará, para que a morada do seu negócio seja confirmada (que pode demorar até 2 semanas).

Em alguns casos, pode também verificar o seu negócio através de telefone ou email.

O Google faz isto para verificar se são empresas verdadeiras e evitar perfis falsos.

Siga as instruções para criar o seu perfil de empresa, garantindo que o seu Nome, Morada e Telefone correspondem ao que definiu no seu website.

Dois passos importantes:

1) Se fornece serviços ou faz entregas fora do seu espaço físico, selecione a opção “Forneço bens e serviços aos meus clientes

google my business, morada google my business

Isto irá expandir o seu perfil no mapa Google, e incluirá a área que o seu negócio serve.

Insira os diferentes áreas que serve ou selecione uma distância em torno da localização da sua empresa.

2) Insira uma categoria principal, e depois de terminar a configuração inicial do seu perfil, insira mais categorias relevantes.

Nas “Informações” da sua página Google My Business, poderá indicar ao Google quais as várias categorias que definem o seu negócio:

google my business categorias

Pode escolher 9 categorias adicionais, pelo que é importante basear a sua escolha numa análise detalhada de palavras-chave.

Imagine que você tem um cabeleireiro…

Podia escrever “cabeleireiro” e ver as sugestões oferecidas pelo Google.

A primeira sugestão que aparece é “salão de cabeleireiro”, pelo que seria uma categoria relevante para o seu negócio.

Com base na análise de palavras-chave, podia preencher categorias adicionais e encontrar as mais relevantes para o seu negócio.

Não se limite a escolher apenas uma categoria genérica, uma vez que isso é o que a sua concorrência está a fazer…

Supere a sua concorrência, escolhendo categorias adicionais para a sua listagem no Google My Business.

3) Citações de Nome, Morada e Telefone (NMT)

yelp, tripadvisor, zomato

Assim que tem o seu perfil de empresa no Google My Business (GMB) criado e optimizado com a informação correta do seu negócio, seguem-se as citações.

Mas o que são as citações?

Como o nome indica, trata-se de “citações” sobre a sua empresa em websites terceiros.

É importante reforçar a informação que vem no seu site e no Google My Business com informação vinda de websites externos, tais como diretórios de empresas locais, websites de classificações de empresas, ou redes sociais.

O Google vai verificar a informação inserida no Google My Business, e comparar com a informação inserida nestes websites externos.

Quando toda a informação está perfeitamente alinhada, ou seja, quando o Nome, Morada, e Telefone condizem com o que vem no seu website, GMB e websites externos, o seu ranking no Google subirá.

Quer seja em websites como o TripAdvisor, Zomato, Facebook, ou qualquer outro website/diretório de classificações, você precisa obrigatoriamente de tomar controlo sobre listagem do seu negócio…

E reivindicar o seu negócio em cada um destes websites!

Lembre-se que muitas destas citações aparecem automaticamente, como resultado de agregação de dados e fluxo de informação entre diretórios…

O que faz com que seja absolutamente crucial que tome controlo sobre a precisão da informação, para que possa corrigir erros, prevenir perda de clientes, e prevenir que o seu ranking no Google seja prejudicado.

Repito de novo: é crucial que o Nome, a Morada e o Telefone (reparou nas vezes que estou a insistir nisto?) do seu negócio seja inserido de forma consistente em cada uma destas plataformas, e que seja igual ao que inseriu no seu website e Google My Business.

O Google vai verificar se a informação é consistente nas várias plataformas online (quantas mais e de melhor qualidade, melhor!), e quando assim é, vai confiar na validade da informação e aumentar as chances do seu negócio obter bons rankings nos resultados de pesquisa.

4) Classificações e Gestão de Reputação

classificações, comentários, reviews, gestão de reputação

Pergunta rápida para si:

Imagine que deseja fazer uma remodelação na sua casa em Lisboa.

Tem um orçamento de 6.000€ e está pronto para começar a receber orçamentos… a que empresas vai ligar?

Bom… se você for como a maioria dos proprietários, pega no seu telemóvel e pesquisa no Google por uma palavra-chave que acha que descreve melhor o serviço que deseja.

“empresas de remodelações Lisboa” seria uma das primeiras pesquisas…

Nos resultados da sua pesquisa, a primeira coisa que aparece são os resultados do Google Maps (imagem abaixo), listando 3 negócios locais…

Como utilizador, qual capta a sua atenção?

Para a maioria das pessoas, as classificações de “estrelas” captam a sua atenção e no seu subconsciente começam a comparar.

Veja a imagem abaixo com os resultados de pesquisa:

classificações google maps, google maps, comentários google maps

Um tem classificação de 1.0…

Outro tem classificação de 4.0…

E outro tem classificação de 5.0…

Para qual ligaria primeiro?

Fácil… a maioria das pessoas confiam na opção com a classificação mais alta.

E isto é especialmente importante para serviços caros, onde o utilizador quer absolutamente garantir que fez a escolha acertada.

As pessoas confiam nas classificações online, quer sejam na Amazon, Google, ou qualquer outro website.

Antigamente as empresas incluíam a sua informação nas Páginas Amarelas e as pessoas não faziam ideia de qual a experiência de clientes anteriores…

Mas hoje em dia a história é diferente: as classificações estão em todo o lado e é mais fácil que nunca avaliar uma empresa publicamente.

Nesse sentido, é absolutamente crucial controlar e coordenar a reputação do seu negócio online, por forma a aumentar as suas classificações positivas.

Para além disso, existe uma correlação forte entre o número de classificações de um negócio e o seu ranking no Google Maps!

De acordo com este estudo, os negócios locais que aparecem nos 3 primeiros lugares do Google Maps tem em média 47 classificações Google…

E ainda mais importante, de acordo com outro estudo da mesma fonte, 23% dos cliques nos resultados de pesquisa foram influenciados pelo número visível de classificações.

Portanto, como vê, é essencial aumentar a quantidade e qualidade das classificações que obtém…

Não só no Google, mas também em todos os outros websites que incluem classificações do seu negócio, como o Facebook, Zomato, ou TripAdvisor (que aparecem no Google como “Comentários da Web”).

Repare como a reputação online se tornou incrivelmente proeminente nos resultados de pesquisa Google:

reputação resultados google, resultados de pesquisa google

Mais de metade da página são resultados de reputação online, o que há uns anos atrás não era o caso.

E isto está a acontecer hoje em dia com a sua marca!

Bom, mas então como pode controlar e influenciar as classificações do seu negócio online?

1) Escolha as Suas Prioridades

Antes de mais, precisa de saber quais os websites de classificações que precisam de mais atenção.

Ou seja, quais os websites que são importantes para o seu negócio e que não têm classificações…

E quais os websites que têm mais classificações negativas. Aqui é essencial focar no Google e Facebook, que são os mais importantes e cujas classificações são mais proeminentes nos resultados de pesquisa.

Faça pesquisas online pelo nome da sua empresa, e entre em cada um desses sites.

Veja de onde vêm a maioria das classificações e comece a monitorizar e a responder ativamente.

2) Crie um Sistema

Pense comigo:

As pessoas normalmente queixam-se ou fazem críticas negativas quando se sentem frustradas.

Ou seja, quando compraram um produto ou serviço, e a sua empresa não resolveu os seus problemas ou necessidades específicas.

Ora, a melhor maneira de resolver este problema é ser proativo, e criar um sistema de pré-qualificação de comentários/classificações.

Assim que o comprador completa uma transação, é crucial pedir feedback imediatamente, para absorver qualquer tipo de comentário antecipadamente!

Pode por exemplo criar um classificador de 5 estrelas no seu próprio site, e encaminhar os compradores para essa página, pedindo que classifiquem a qualidade da experiência com a sua marca.

Se essa classificação for negativa, você terá a hipótese de resolver o problema rapidamente, satisfazer o cliente, e evitar comentários negativos em sites de classificações.

Se essa classificação for positiva, você terá a hipótese de pedir ao cliente para lhe deixar um comentário e classificação positiva num site de classificações como o Google Maps ou o Facebook.

Ora isto é possível através da automação de email e de autoresponders.

Crie uma lista de emails e estabeleça uma automação de email, para que sempre que haja uma transação, o cliente receba um email a pedir feedback.

Desta maneira garante que obtém feedback rapidamente, e encoraja comentários positivos.

Por outro lado, ajuda a responder a qualquer problema instantaneamente, em vez de deixar o cliente sentir-se cada vez mais frustrado.

E finalmente, este sistema permite-lhe direcionar os seus clientes satisfeitos para os sites onde mais precisa de classificações positivas.

Se quiser uma solução "feita para você", que automaticamente peça comentários 5 estrelas a clientes satisfeitos, e filtre comentários negativos, saiba mais sobre o meu sistema de gestão de reputação online aqui.

3) Responda a Todos os Comentários, Especialmente aos Negativos!

Antes de mais, desmistifiquemos os comentários negativos.

Os comentários negativos podem ser muito bons para o seu negócio, uma vez que lhe permitem ver que áreas deve melhorar, para servir melhor o seu mercado.

Por outro lado, não ter qualquer comentário negativo nem sempre é uma boa ideia.

Ter alguns comentários negativos faz com que a sua empresa pareça verdadeira.

A solução? Simplesmente responda a cada comentário, agradecendo o tempo despendido, e resolvendo a situação de imediato (quer seja através de um desconto futuro, devolução, ou outro tipo de solução de valor).

As suas respostas irão mostrar que você de facto se importa com os seus clientes, melhorando a sua reputação…

Isto para além de ajudar o seu negócio a melhorar os seus produtos/serviços, melhorar os seus processos de venda, e conteúdo de marketing!

4) Promova a Sua Reputação Online

E finalmente, assim que angaria uma vasta quantidade de comentários positivos, não se esqueça de os usar para promover a reputação seu negócio!

Monitorize todos os seus comentários, e use os comentários mais completos e atrativos (veja aqui como obter comentários que persuadem outros clientes) no seu website!

Crie uma página no seu website onde partilha os melhores comentários. Inclua comentários em páginas de conversão (quer seja a encorajar um telefonema, um formulário de contacto, ou geração de leads).

Partilhe os melhores comentários nas redes sociais e use-os como conteúdo.

Os testemunhos são uma maneira incrivelmente poderosa de obter validação de terceiros no seu website, fazendo com que outras pessoas promovam o seu negócio por si…

Aumentando a confiança na sua marca e facilitando a decisão de compra.

5) Anúncios Google Ads

anuncios google ads, google adwords

Se já tiver um website bem optimizado para conversões (ou seja, que converta facilmente tráfego em leads, e leads em clientes)...

Os anúncios Google Ads são uma oportunidade de crescer rapidamente!

Uma vez que assim que inicia uma campanha, estes anúncios aparecerão imediatamente! (em vez de esperar por indexação de resultados).

E melhor que isso: aparecerão exatamente no topo dos resultados de pesquisa (posição 1 do “Triplete Google”), e captarão a atenção da vasta maioria dos utilizadores.

No Google Ads, você tem a possibilidade de escolher as palavras-chave que são mais relevantes para o seu negócio (utilizando o “planeador de palavras-chave” para ver quais têm o maior volume de pesquisas e menor custo por clique)...

E criar anúncios específicos que respondam à pergunta do utilizador, e convidem a visitar o seu website para obter a solução!

A grande vantagem do Google Ads é que você pode mostrar os seus anúncios a milhares de pessoas, e apenas pagar cada vez que alguém clica nos seus anúncios! (custo por clique).

Por outro lado, existem maneiras de rastrear a performance das suas campanhas, e medir exatamente qual é o retorno do seu investimento.

Por exemplo, é possível criar campanhas de “apenas de chamadas”, em que os anúncios incluem um link para ligar diretamente para o seu contacto telefónico…

E assim calcular o custo por cada clique de chamada, e comparar com o retorno obtido como resultado das chamadas obtidas.

Ou mesmo medir o custo por cada clique para o seu website, comparando com o número de reservas ou leads obtidas.

Extremamente fácil de medir o retorno, e resultados imediatos!

Mas lembre-se: antes de começar a usar o Google Ads é essencial ter o seu website optimizado para a conversão, e processos que garantam que cada lead/contacto obtido converte em cliente de forma regular e previsível.

6) Resultados Orgânicos

resultados organicos google, seo

Uma dose de honestidade aqui:

Fazer com que o seu website obtenha rankings altos nos resultados de pesquisa orgânicos no Google (posição 3 do “Triplete Google”) não é algo que se atinja instantaneamente.

Para se obter resultados visíveis, é necessária uma estratégia de conteúdo regular, constante e consistente durante 3-6 meses.

Ao contrário dos outras componentes do “Triplete Google” (onde pode obter resultados instantaneamente ou no curto prazo), o tempo é o segredo do sucesso nos resultados orgânicos.

No entanto, o retorno que pode obter a longo termo é incrivelmente poderoso!

Os resultados do seu esforço durante esses 3-6 meses a criar conteúdo será recompensado com tráfego gratuito e constante para o seu website…

Durante anos e anos!

Aumentando ao mesmo tempo a autoridade da sua marca, e posicionando o seu negócio como a única solução viável para os problemas do seu público-alvo.

Mas então, o que é preciso para obter rankings altos nos resultados de pesquisa orgânicos?

1) Ganhe o Hábito de Fazer Pesquisa de Palavras-Chave

A pesquisa de palavras-chave será o seu guia para o crescimento do seu website tanto no curto prazo como no longo prazo.

Na verdade, este passo é aquele que fará a maior diferença no seu negócio!

Ganhar o hábito de analisar o tipo de palavras-chave que os utilizadores usam para pesquisar por tópicos relacionados com o seu negócio…

E criar conteúdo que responda a essas perguntas é meio caminho andado para obter mais visibilidade online, mais cliques, e mais visitas ao seu espaço físico.

Existem várias ferramentas de análise a palavras-chave no mercado, mas eu apenas recomendo que utilize uma: KW Finder.

Esta ferramenta tem uma versão gratuita que é mais do que suficiente para bater a sua concorrência, tendo 5 pesquisas gratuitas por dia.

Neste artigo explico como fazer análise de palavras-chave usando o KW Finder de maneira rápida e fácil.

Mas para exemplificar no caso de um negócio local, imagine que estamos a analisar um cabeleireiro em Lisboa, cujo website é www.cortesdotiago.pt.

As 4 páginas principais deste website (Página Inicial, Sobre Nós, Serviços, e Contactos) devem incluir a palavra-chave principal usada por quem pesquisa por cabeleireiros na sua zona.

Com base na nossa análise no KW Finder, verificamos que a palavra-chave “cabeleireiro lisboa” tem menos volume de pesquisas mensais do que a genérica “cabeleireiro”, mas tem também menos grau de dificuldade (dificuldade para atingir a 1ª página Google).

Como tal, será uma boa ideia incluirmos essa palavra-chave no nosso conteúdo principal, para aumentarmos a probabilidade de aparecer no topo dos resultados de pesquisa.

Na página inicial, incluíamos então a palavra-chave “cabeleireiro lisboa”.

Escrevíamos cerca de 300 palavras sobre a arte de cabeleireiros em geral, uma pequena história do nosso espaço, incluíamos umas fotos e um vídeo com a palavra “cabeleireiros lisboa” incluída nos títulos.

Como título da página escrevíamos “Cortes do Tiago - O Seu Cabeleireiro em Lisboa”.

Com o nosso Nome, Morada, e Telefone (de novo?) bem descrito no cabeçalho do website, estaríamos com meio caminho andado para começar a aparecer nos resultados de pesquisa orgânicos para “cabeleireiro em lisboa”.

Repetindo isto nas páginas de Sobre Nós, Serviços, e Contactos estaríamos lançados para uma presença relevante nas pesquisas locais.

No entanto, apenas isto não chega:

2) Crie um Plano de Marketing de Conteúdo

Aquilo que realmente nos distinguirá da concorrência local, e nos posicionará no Google para dominar por completo as pesquisas relacionadas com o nosso negócio é…

A criação de conteúdo original optimizado para SEO, que responda às perguntas mais frequentes da nossa audiência, e nos posicione como a autoridade no nosso nicho de mercado.

Com base na sua pesquisa de palavras-chave, identifique quais as perguntas mais frequentes dos utilizadores e faça um plano de marketing de conteúdo.

O objetivo deste plano será criar entre 2 a 8 artigos de blog por mês, e mostrar ao Google que o seu site é mais ativo e relevante que os da sua concorrência local.

Não se assuste, mas o seu grande objetivo deve ser chegar aos 50 artigos o mais rápido possível!

Pode criar você mesmo, ou pedir a um colaborador para criar por si.

Pode também contratar alguém para escrever um artigo por semana e chegar aos 50 artigos num ano, ou escrever um artigo por mês e chegar lá em dois anos.

De qualquer forma, estará a superar a sua concorrência, que na maior parte dos casos cria apenas as 4 páginas principais do seu site e nunca mais actualiza ou cria conteúdo.

Para além do mais, com este conteúdo criado você terá mais material de qualidade para partilhar nas redes sociais (para além de promoções e fotos), atraindo mais pessoas para o seu website, onde pode mais facilmente influenciar e persuadir as pessoas a visitarem o seu espaço.

Existe tanto potencial para crescer nas pesquisas locais, e muito poucos negócios estão ativamente a optimizar a sua presença…

Tudo o que você tem que fazer para obter sucesso é simplesmente ser melhor que a sua concorrência local!

Será que o nosso cabeleireiro vai bater sites como o timeout.pt para a palavra-chave “cabeleireiro”? Provavelmente não.

Por outro lado, não queremos estar presentes em pesquisas feitas na cidade do Porto, uma vez que estamos em Lisboa. Tudo o que precisamos de fazer é ser melhores que a concorrência em Lisboa, e ganhar a corrida do tráfego Google.

Conclusão

Como vê, dominar o “Triplete Google” não é uma tarefa fácil e requer bastante esforço, dedicação e rigor.

No entanto, o resultado desse esforço não tem preço:

Você irá captar a vasta maioria das pesquisas relevantes para o seu negócio feitas na sua área, cidade ou região.

Ou seja, centenas... ou mesmo milhares de pesquisas que diariamente são feitas no Google, de pessoas que estão literalmente à procura da solução que você tem para oferecer

Garantindo que o seu negócio é sustentável por muitos e longos anos, uma vez que estará presente onde as pessoas passam a maior parte do seu tempo hoje em dia:

Agarradas ao telemóvel, à procura de soluções para os seus problemas ou necessidades diárias.

Não perca mais tempo, garanta a sustentabilidade do seu negócio local e optimize a sua presença no Google!

Se tiver alguma pergunta ou dúvida, por favor deixe um comentário abaixo ou entre em contacto.

Terei o maior gosto em ajudar naquilo que for preciso.

Um abraço,

-Tiago “Triplete” Faria

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Como Criar um Site de Raiz: Guia Passo-a-Passo Parte 2

Até aqui, escolhemos um domínio, escolhemos alojamento para o nosso site, instalámos um sistema de gestão de conteúdo e até escolhemos um tema (se ainda não leu, veja agora a parte 1).

Para a maior parte das pessoas, é aqui que termina a construção de um website.

No entanto, estamos a focar-nos na construção de um website que realmente lhe traga resultados, versus um site tipo “montra” que após a sua criação nunca mais será alterado ou melhorado (não seja uma dessas pessoas, por favor).

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

FASE #2: Os Detalhes

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Tendo isto em conta e apesar de o que já foi feito até aqui ser suficiente para arrancar com um site, vamos levar o seu site a um patamar superior instalando funcionalidades adicionais.

Alcançaremos este patamar instalando plugins (extensões) e serviços em diferentes plataformas. Comecemos então:

Analytics

Plataformas de analytics (estatísticas de tráfego online) são a única maneira de realmente medir e rastrear o crescimento do seu website.

Se você realmente quer medir o impacto do seu website no seu negócio, este passo é crucial.

O que faz uma boa plataforma de analytics?

1) Tráfego

Analisa e separa o tráfego do seu website com base em diferentes filtros

2) Páginas

Fornece detalhes específicos de cada página e artigo do seu website

3) Tempo real

Visualiza e analisa dados do tráfego do seu website e performance de cada página em tempo real

4) Rastreamento (tracking)

Possibilita a criação e rastreamento de objectivos (goals) para qualquer variável (saber por exemplo quantos pedidos de contacto teve por visita)

Escolhi: Google Analytics

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

O Google Analytics é o rei do mundo de web analytics e o software gratuito permite-lhe medir praticamente tudo aquilo que precisa sobre o seu site.

Escolhi o Google Analytics porque:

# Oferece relatórios detalhados sobre o tráfego com base em qualquer vertente, desde a localização dos utilizadores, dados demográficos e até comportamento

# Permite-lhe saber quais os melhores (e piores) conteúdos com base em métricas como páginas visualizadas, tempo em página, e valor de cada página

# Fornece-lhe relatórios em tempo real, incluindo informação como origem do tráfego, palavra-chave utilizada para aterrar no seu site, localização do utilizador, etc

# Pode estabelecer rastreamento de objectivos (goal tracking) em métricas como destino de URL, duração de visita, ou mesmo “eventos” definidos por si

Segurança

Mesmo com um gestor de conteúdo CMS sólido como o WordPress e com um tema com bom código (como o Thrive Themes), o seu site poderá ainda estar sujeito a ataques de hackers mais avançados. Você pode no entanto reduzir as chances disso acontecer adicionando uma camada extra de protecção.

O que define um bom plugin (extensão) de segurança?

1) 2FA (Autenticação de dois factores)

2FA (Two factor authentication) significa apenas que uma segunda forma de verificação é necessária para entrar no seu gestor de conteúdo. Deste modo, mesmo que alguém descubra a sua password, não conseguirá entrar no seu CMS.

2) Firewall (parede de “fogo”)

Isto é utilizado para automaticamente bloquear tráfego ou actividade indesejado no seu website. Requer uma constante e cuidadosa actualização de uma base de dados de “ameaças”.

3) Scanner em tempo real

A possibilidade de examinar (e agendar exames recorrentes) ao seu website e todos os seus ficheiros é essencial no caso de pensar que o seu site foi atacado.

Escolhi: Wordfence

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

O Wordfence é um dos melhores plugins em termos de segurança em websites. Ao ser instalado no seu site WordPress, começa imediatamente a protegê-lo usando o seu abrangente protector de ameaças.

Escolhi o Wordfence porque:

# Permite accionar o 2FA (autenticação de dois factores) usando algo que conhece (a sua password) e algo que tem (ex. o seu telemóvel).

# Oferece uma firewall poderosa e regularmente actualizada para diminuir significativamente o risco do seu site ser atacado

# Permite analisar em tempo real os seus ficheiros principais, temas e plugins

# Compara os ficheiros do seu site com versões originais para identificar e reparar áreas afectadas

Optimização SEO

Todos os sites devem tirar vantagem do tráfego orgânico de motores de busca como a Google. Existem ferramentas que ajudam a optimizar as suas páginas para os motores de busca e muitas vezes fazem com que o seu site tenha um aumento significativo de visitas.

O que faz um bom plugin para optimização de SEO?

1) Análise a páginas

Análise automática aos seus artigos e páginas para assegurar que os standards de SEO (optimização para motores de busca) são alcançados

2) Snippet preview (pré-visualização de título e descrição)

Possibilidade de pré-visualizar os títulos e descrições tal qual aparecerão nos resultados de pesquisa e assegurar que os limites de caracteres estão de acordo com o ideal

3) SEO Técnico

Controlo total sobre aspectos técnicos de SEO. Por exemplo, possibilidade de facilmente prevenir o crawling (rastreamento) de motores de busca página por página

4) Suporte

Com potencialmente dezenas de factores de SEO a considerar, ter uma ferramenta que olhe para o seu site como um todo e sugerir melhorias é sempre bem-vindo.

Escolhi: Yoast SEO

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Apesar de o WordPress ser geralmente bem optimizado para SEO, o plugin Yoast SEO fornece opções extra que de outra forma só teria acesso através de código. É também, de longe, o plugin mais popular do WordPress.

Escolhi o Yoast SEO porque:

# Oferece análise a artigos e páginas em tempo real, incluindo apoio para construtores de conteúdo (importante para a próxima secção deste artigo)

# Você terá pré-visualização dos seus títulos e descrições em tempo real, que também são completamente editáveis

# Gere por si todos os aspectos mais técnicos (robots.txt, sitemaps, etc)

# Orienta-o para não se esquecer de aspectos importantes como fazer permalinks legíveis para os utilizadores

# Verifica se o seu conteúdo é “legível” tanto para os utilizadores como para os motores de busca

Construtor de Páginas (Page Builder)

Por defeito, o seu tema WordPress tratará da customização em termos de design mas, por mais customizável que o Thrive Themes seja, existem ferramentas que fazem com que o processo de design seja ainda mais fácil para partes específicas do seu website.

Os construtores de páginas (page builders) funcionam bem pois sobrepõem o editor que vem por defeito no WordPress, o qual é demasiadamente básico para design mais profissional.

Permitem-lhe também construir sites com bastante simplicidade e sem mexer em código, através de um sistema drag-and-drop (arrasta e larga) e visualização do resultado final em tempo real.

O que faz então um bom construtor de páginas?

1) Facilidade de utilização

O interface de utilização é provavelmente o aspecto de um construtor de páginas que mais influência tem na sua produtividade.

2) Elementos

Os elementos (ou módulos) são os blocos que você usará para o design da sua página. No geral, quantas mais variações de blocos tiver, mais conseguirá fazer em termos de design

3) Flexibilidade

Não só ser possível customizar elementos ao seu gosto, mas também controlar certos aspectos da página, incluindo coisas como responsiveness (capacidade de resposta) a diferentes contextos de visualização

4) Templates (páginas de exemplo)

A possibilidade de importar templates pré-feitos e guardar templates feitos por si para usar mais tarde são características que lhe vão salvar muito tempo.

5) Apoio ao cliente

Este factor é importante em quase tudo o que você adquire hoje em dia, mas os construtores de páginas têm tantas componentes que você de certeza precisará de ajuda a resolver problemas no futuro.

Escolhi: Thrive Architect

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

O Thrive Architect (da Thrive Themes) é um construtor de páginas para o WordPress orientado para o marketing. Contém uma variedade incrível de extras que fará do seu website uma máquina de conversão de visitantes em potenciais clientes.

No entanto, não foi só por isso que escolhemos o Thrive Architect. Foi também porque:

# É fácil de usar, especialmente em comparação com a maioria dos outros construtores de páginas que existem no mercado

# Tem uma forte selecção de elementos, particularmente elementos orientados para o marketing

# A capacidade de editar em tempo real faz com que construir conteúdos longos seja bastante fácil

# Tem uma biblioteca extensa e permite-lhe guardar e reutilizar secções individuais do seu conteúdo

# Apoio ao cliente próximo e eficaz

FASE #3: O De​sign

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Apesar de não haver uma maneira “correcta” de fazer o design do um website, há certas regras fundamentais que se devem seguir.

Neste artigo não vamos cobrir as melhores práticas de web design simplesmente porque esse tópico por si só poderia fazer um artigo novo.

Vamos em vez disso falar sobre o layout e design geral de um website usando um dos temas da Thrive Themes (neste caso o tema específico “Rise”).

Vamos também cobrir os princípios básicos de criação de uma página (neste caso a homepage) e de um artigo de blog.

Layout e Design

Vejamos então quais os passos necessários para personalizar o layout e design do seu website.

Lembre-se que antes de chegar a este ponto você já deverá ter comprado e instalado domínio, alojamento e tema para o seu site em WordPress.

Nesta fase vamos mudar o logotipo do seu site, e fazer aprender a personalizar as várias componentes visuais do tema escolhido (Rise).

Passos:

# Passo 1: Altere o logotipo para o da sua empresa em “Thrive Dashboard” > “Theme Options” > “Logo”

# Passo 2: Vá para “Apresentação” > “Personalizar”

# Passo 3: Edite o título e descrição do seu site clicando em “Identidade do Site” > “Título do Site” e “Descrição”

# Passo 4: Escolha o tipo de letra dos títulos e corpo de texto clicando em “Fonts”

# Passo 5: Crie um menu clicando em “Menu Principal”

Homepage (Página de Início)

O próximo passo será criar a sua primeira página. Neste caso, vamos criar um exemplo básico de homepage (página de início).

Neste artigo vamos cobrir a criação de páginas utilizando o construtor de páginas Thrive Architect, pelo que não mencionaremos a criação de páginas utilizando o editor do WordPress.

Avancemos então:

# Passo 1: No painel principal do seu WordPress, clique em “Páginas” > “Nova Página”

# Passo 2: Introduza o título da sua página, clique em “Guardar Rascunho” e de seguida seleccione o botão verde “Edit with Thrive Architect”

# Passo 3: Arraste a opção “Background Section” para a página, e clique em “Stretch to fit screen width”

# Passo 4: Vá para “Background Style”, carregue uma imagem e clique em “Apply”

# Passo 5: Vá para “Layout & Position” e aumente o padding interno superior e inferior para 150

# Passo 6: Arraste para o centro da imagem a opção “Heading” e escreva um título

# Passo 7: Arraste para baixo do título a opção “Button”, altere o texto do botão, aumente o tamanho de letra em “Font Size”, e em “Layout & Position” alinhe à esquerda

# Passo 8: Insira um novo “Background Section” abaixo da imagem, e clique em “Stretch to fit screen width”

# Passo 9: Arraste para essa secção a opção “Styled List”

# Passo 10: Arraste para a direita da lista a opção “Testimonial”

# Passo 11: Clique em “Save”, saia do Thrive Architect e clique em “Publicar”. A sua primeira página está feita!

Artigos

Por fim, vamos aprender a criar o nosso primeiro artigo de blogue. A criação e actualização constante de um blogue para o seu website é essencial para a optimização para motores de busca.

Sem artigos que respondam a perguntas frequentes dos seus potenciais clientes, será muito complicado obter tráfego orgânico dos motores de busca.

Vejamos então os passos para criar o seu primeiro artigo:

# Passo 1: Dê um nome ao seu artigo onde diz “Introduza o título aqui”, e clique em “Guardar Rascunho”

# Passo 2: Escreva o seu conteúdo na caixa de texto, utilizando Título 1, Título 2, e Título 3 para separar o conteúdo em parágrafos fáceis de ler

# Passo 3: Introduza a imagem de destaque para o seu artigo em “Imagem de destaque” > “Definir imagem de destaque”

# Passo 4: Clique em “Publicar” e aí está o seu primeiro artigo!

Conclusão

Aí está, a construção de um website de raiz, cobrindo todos os passos essenciais e básicos de um site optimizado para resultados.

Um sistema que lhe permite ter a completa propriedade do seu website (em vez de alugar um espaço que nunca será verdadeiramente seu) e ter um activo para toda a sua vida profissional (tal como o seu espaço físico).

A partir daqui você terá então que criar conteúdo relevante para a sua audiência, sempre com o pensamento em obter resultados de cada visitante. 

Deixe um comentário na caixa abaixo e diga-me o que achou do artigo, dê ideias para futuros artigos, ou simplesmente diga-me olá!

Um abraço,

-Tiago "foque-se na audiência" Faria

como criar um site, criar um site, fazer um site,

Como Fazer um Site de Raiz: Siga Estes 11 Simples Passos

Hoje em dia fazer um site para a sua empresa ou negócio já não é uma escolha - é uma necessidade.

Você provavelmente chegou aqui porque identificou a necessidade de criar um website, seja para promover os seus produtos, serviços ou conteúdo digital.

Sabe que é o alicerce base do seu negócio, tal qual o seu espaço físico.

No entanto, existem tantas opções para fazer um site por aí que se torna difícil saber por onde começar e quais são as melhores alternativas.

como criar um site, criar um site, fazer um site

Horas a fio a pesquisar na internet…

Vídeos sobre plataformas xpto que lhe prometem tudo num clique…

Tempo perdido que podia ser dedicado a outras tarefas importantes do seu negócio.

Foi com isso em pensamento (sim, porque sei que o seu tempo é o seu ativo mais importante) que criei este guia passo-a-passo.

Mas antes de começarmos, um lembrete: este artigo apenas cobrirá os aspectos técnicos de criação de websites e não incluirá coisas como criação de conteúdo, optimização para motores de busca, ou outros aspectos necessários para o sucesso de um website.

Mas, se procura por um guia passo-a-passo para começar, vamos a isto!

Quais são as opções para criar um site?

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Como dito acima, existem várias opções a diferentes preços e níveis de dificuldade.

Dependendo dos objectivos da sua empresa/negócio, você deverá já ter uma ideia do tipo de requisitos que o seu website terá em relação a: integrações necessárias, utilizadores, funcionalidade, conteúdo, design, escalabilidade, segurança, manutenção e custo.

A complexidade exigida para o seu site será um dos factores decisivos para a escolha da sua melhor opção.

Passemos então a referir quais são e quais as vantagens/desvantagens de cada uma:

Plataformas tudo-em-um de criação e edição de sites

Plataformas tudo-em-um de edição e criação de websites, que lhe permitem rapidamente criar páginas sem conhecimentos de HTML através de templates (exemplos de páginas) pré-criados.

Usando ferramentas drag-and-drop (arrasta e larga) e loja de aplicações, este tipo de websites permitem-lhe “montar” páginas com simples arrasto de conteúdo, assim como adicionar aplicações de terceiros (pagas e não pagas) para incluir opções avançadas.

Exemplos de plataformas populares deste género incluem:

Wix.com

Webnode.pt

Yola.com

Weebly.com

Vantagens:

  • Simplicidade e rapidez
  • Relativamente fácil de aprender
  • Variedade de templates para todo o tipo de negócios
  • Possibilidade de fazer sites grátis

Desvantagens:

  • Versões gratuitas são bastante limitadas e incluem publicidade das plataformas
  • Pouca liberdade para fazer alterações aos “templates”
  • Fraca escalabilidade
  • Plataformas closed source (código fechado)

Se bem que estas plataformas parecem ser uma boa solução a curto tempo, na minha opinião a maior desvantagem é mesmo o facto de serem closed source (código fechado).

Isto significa que o software e os servidores pertencem às empresas que gerem as plataformas e, como tal, você está completamente dependente dessas empresas.

É o mesmo que arrendar uma casa e estar limitado em termos de alterações e contratos, em vez de a comprar e ser dono e senhor da sua própria casa.

Se um dia a empresa em questão falir, ou se por alguma razão você deixar de pagar as mensalidades você vai perder o seu site para sempre.

No que se ganha em simplicidade perde-se em controlo.

Sites feitos à medida

Sites feitos à medida por empresas de web design/programação.

Estes profissionais vão construir um website completamente de raiz, com requisitos específicos e complexos.

Na maior parte dos casos estes sites são alojados em servidores próprios da empresa, e você não tem acesso ao gestor de conteúdo. Ou seja, sempre que quiser alguma alteração, terá que requisitar à empresa para o fazer por si.

Vantagens:

  • Grande flexibilidade e customização para websites complexos
  • Acompanhamento durante o processo de construção de um website que se adequa exactamente às suas necessidades
  • Segurança e manutenção 

Desvantagens:

  • Se o website for completamente feito de raiz, você fica dependente dessa empresa
  • Se um gestor de conteúdo não for construído, você terá que pedir à empresa sempre que precisar de fazer alterações ao conteúdo
  • Custos elevados
  • Inexistência de servidores dedicados

Se o seu projecto tiver de facto requisitos extremamente complexos e se você tiver um orçamento alto, então esta poderá ser uma boa opção para si.

No entanto, de novo, focamos no ponto que você nunca será de facto “dono e senhor” do seu website, uma vez que este estará alojado nos servidores da empresa de web design/programação e você terá pouca liberdade para fazer alterações você mesmo.

Sites em Gestor de Conteúdo "Open Source"

Os sistemas de gestão de conteúdo open source (código aberto) são gratuitos e permitem total liberdade de customização.

No entanto, para poder usufruir dos seus benefícios, você terá que obter alojamento em servidores terceiros e instalar um tema (pago ou gratuito) para visualizar o seu website.

Os sistemas de gestão de conteúdo open source mais conhecidos do mundo são o WordPress, o Joomla, e o Drupal.

O WordPress é o que tem mais utilizadores no mundo, sendo que cerca de 30% dos top 10 milhões de websites no mundo usam a sua tecnologia.

O seu funcionamento é baseado em plugins (extensões que lhe permitem adicionar funcionalidades ao seu site) e em temas (templates que lhe fornecem uma base de design e lhe permitem alterar o visual e funcionalidades do seu site sem necessitar de alterar o código).

Para além do mais, o WordPress é conhecido por ser amigo dos motores de busca como o Google ou o Bing, sendo uma vantagem para o seu site obter mais visibilidade nos mesmos.

Vejamos então as vantagens e desvantagens de escolher um sistema de gestão de conteúdo para construir o seu website:

Vantagens:

  • Flexibilidade para os utilizadores, funções e conteúdo
  • Variedade tremenda de temas para e plugins para todo o tipo de websites e requisitos de design
  • Baixo custo (dependendo do alojamento, temas e plugins escolhidos)
  • Comunidade open source que se baseia na entreajuda, partilha e abertura
  • Escalabilidade e possibilidade de fazer o que quiser do seu website

Desvantagens:

  • Exigem manutenção constante (actualização de plugins e temas)
  • Para projectos mais complexos você necessitará de ajuda de programadores/web designers
  • Se você não fizer alterações ao tema escolhido (principalmente se for gratuito), poderão haver muitos outros websites com o mesmo visual

Como já deve ter reparado, na minha opinião o WordPress é de facto a melhor opção para criar qualquer tipo de website.

Quer deseje fazer pelos seus próprios meios, quer peça ajuda a uma agência para fazer um website por si, não existe melhor opção.

Mesmo que deseje criar projectos extra complexos (será que precisa mesmo?), existirá sempre uma solução ou alternativa dentro do WordPress.

Mas como pode então criar um site em WordPress?

Quais os princípios de um website WordPress?

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

De forma a entender o processo de construção, vejamos então quais os princípios base de um website WordPress bem optimizado.

Um site WordPress deve:

1) Domínio

Ter um domínio próprio e único para o seu negócio, de preferência .pt (se apenas servir o mercado nacional) num agente de registos de domínios que tenha bom preço, segurança e bom apoio ao cliente.

2) Alojamento

Ser alojado num servidor estável, seguro e com excelente apoio ao cliente, que nos permita receber um número razoável de visitantes sem problemas e ter a possibilidade de fazer upgrade no futuro

3) Tema

Ter um tema visualmente apelativo, que seja “amigo” dos motores de busca e que forneça uma estrutura segura que seja compatível com o restante website, incluindo todos os aspectos funcionais e de design. O apoio ao cliente também é um factor a considerar.

4) Analytics

Ter acesso a uma plataforma avançada de estatísticas de tráfego e performance de cada página do website, para que possa tirar ilações úteis em relação ao conteúdo, origens de tráfego e estadia no seu website.

5) Segurança

Ser capaz de detectar e bloquear ataques cibernéticos, assim como identificar possíveis vulnerabilidades. Possibilidade de recuperar o seu site será também uma característica a considerar aqui.

6) Optimização SEO

Ser completamente optimizado para os motores de busca para que possa indexar o seu conteúdo e criar um fluxo constante de tráfego orgânico.

7) Construtor de Páginas (Page Builder)

Ter um construtor de páginas (page builder) fácil e rápido de utilizar, que exija o mínimo de interacção com código possível, e que construa websites bonitos, optimizados para a conversão e imediatamente preparados para computador e smartphone.

Quais são então as fases para criar um website em WordPress?

# Fase 1: Os Alicerces

# Fase 2: Os Detalhes

# Fase 3: O Design

Vejamos cada fase numa escala maior...

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Esta é portanto a visão geral daquilo que vamos cobrir neste artigo. Está na altura então de arregaçar mangas e começarmos a construir um website!

Está preparado?

Vamos a isto.

Fase #1: Os Alicerces

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Esta fase trata-se essencialmente de construir a fundação para o resto do seu website e incorpora apenas os elementos fundamentais da construção.

Qualquer que seja o tipo de website que você vá criar, estes 4 passos serão sempre necessários.

Domínio

O domínio é o primeiro passo de qualquer construção de website. Trata-se do “endereço” onde os utilizadores poderão encontrar o seu site e é o nome que terá na internet (quer os utilizadores procurem por si em motores de busca ou directamente no browser.

Quando escolher o nome para o seu domínio, considere os seguintes pontos:

1) O nome do seu domínio deve ser a sua marca

Se a sua empresa se chamar “Ginásio de Abrantes”, o seu domínio deverá ser relacionado o mais próximo possível desse mesmo nome, como por exemplo www.ginasiodeabrantes.pt.

Para além disso, não se esqueça que esse será também o nome que vai usar no seu website. Pode parecer algo de senso comum, mas encontramos vários casos em que o nome do domínio é diferente do nome que aparece no website, sendo que isto cria uma má experiência para os utilizadores.

2) Evite usar hífens no nome do seu domínio

Pela simples razão que torna mais difícil de memorizar o seu domínio, se incluir elementos estranhos e não óbvios.

Na maior parte dos casos, as pessoas escolhem incluir hífens porque o domínio que querem escolher já existe. Não caia nessa tentação, pense em alternativas como utilização de abreviaturas ou adicionando palavras como “online” (no entanto, não se esqueça de novo de utilizar o mesmo nome no seu website).

3) .PT ou .COM?

Quando tiver a escolher o seu domínio, vai ter que seleccionar o TLD (domínio de topo).

Se a sua empresa servir apenas o mercado nacional, o melhor é escolher um domínio “.pt”. Os utilizadores que virem o seu domínio vão ter a certeza que se trata de uma entidade local e, portanto, saberá o que esperar da sua empresa (vs não ter a certeza se é uma empresa estrangeira).

Se a sua empresa servir internacionalmente, poderá então escolher o domínio de topo “.com”. Trata-se do domínio mais popular do mundo e facilmente reconhecível.

Na nossa opinião você deve evitar domínios alternativos (e muitas vezes bastante baratos) como “.site”, “.store” ou “.online”

Qual agente de registo de domínio escolher?

Quando estiver à procura de um agente para registar o seu domínio, este agente deverá:

1) Possibilitar a transferência de domínio entre agentes (registrars)

Certifique-se que nos termos de serviço não existe nenhuma cláusula que impossibilite a transferência de domínio, ou que cobre uma taxa por transferência.

2) Contrato e Preço

Este será provavelmente o seu foco imediato. No seu processo de procura, vai deparar-se com uma variedade de opções de preços e descontos. Normalmente, pode escolher registar o seu domínio por períodos de um, três, cinco, ou mesmo dez anos.

Se é a primeira vez que está a registar o domínio, recomendamos que o registe por um período de um ano. Não se preocupe, pode alterar a periodicidade quando quiser e pode activar auto-renovação para não se esquecer de estender o contrato.

Certifique-se que explora bem os custos associados à transferência de domínios, custos de renovação e quaisquer taxas adicionais.

3) Apoio ao cliente

Vai querer que o apoio ao cliente seja amigável e esteja sempre do seu lado. O pior que pode acontecer é ter dificuldades em contactar o agente quando algo corre mal com o seu site. Certifique-se que o apoio ao cliente do agente que escolher é responsivo e prestável bem antes de o precisar.

Escolha: Dominios.pt

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

A dominios.pt é a empresa líder de registo de domínios em Portugal e é uma das mais respeitadas no país.

Escolhi a Dominios.pt porque:

# Variedade de métodos de pagamento

# Apoio ao cliente responsivo e disponível para resolver qualquer problema

# Possibilidade de transferir o domínio para outro agente (registrar) de imediato e sem custos

Alojamento

O segundo passo na construção de um site será alugar um servidor para alojar o seu website. Assim como é um dos primeiros passos, é também talvez um dos mais cruciais do seu negócio por várias razões.

O que é que um bom site de alojamento web deve ter?

1) Servidores

Se o servidor do seu website for submetido a períodos frequentes e longos de downtime (tempo em baixo), ou se a performance do seu servidor for medíocre, pode ter um impacto negativo tanto na experiência dos seus utilizadores, como em termos de SEO (optimização para motores de busca), resultando em menos tráfego e conversões.

2) Backups (Cópias de segurança)

Qualquer boa empresa de alojamento web fará cópias de segurança regulares ao seu website, normalmente entre 7-30 dias e muitas vezes mensalmente.

3) Interface

Uma vez que a sua conta de alojamento será o alicerce do seu website, domínio, emails, cópias de segurança e todos os seus ficheiros, é importante ter um interface que possibilite controlar todos esses aspectos do seu negócio online.

4) Apoio ao cliente

Quando as coisas correm mal - e de certeza que enfrentará um problema ou outro - o tempo que leva a resolver esses problemas vai depender inteiramente na qualidade do apoio ao cliente da empresa que trata do seu alojamento web. Acredite, isto é um ponto IMPORTANTÍSSIMO.

Escolha: A2Hosting.com

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Nem todos os serviços de alojamento são ideias. A maior parte das grandes empresas de alojamento web (como a Hostgator, Bluehost, etc) compradas por grandes empresas fornecem servidores partilhados com centenas (se não milhares) de outros utilizadores.

Estes podem ser baratos, mas expõem o cliente a spammers ou outro tipo de websites maliciosos (potencialmente afetando negativamente o website do cliente por ter IP muito próximo).

Para além disso, essas empresas apostam em cortar os custos ao máximo para maximizar proveitos, consequentemente cortando no apoio ao cliente (o que pode ser desastroso para o si).

Escolhi o A2Hosting por várias razões:

# Empresa independente, com total foco no cliente (e não em cortar custos)

# Servidores partilhados com poucos utilizadores

# WordPress instalado automaticamente, assim como plugins de segurança

# Apoio ao cliente de excelência 24 horas através de telefone, tickets, chat (já nos resolveram dezenas de problemas em tempo record)

# 99.9% de server uptime (tempo que o seu servidor estará ao vivo e não em baixo)

# Servidores em todo o mundo, incluíndo a Europa

# Variedade de soluções para qualquer tipo de cliente, incluíndo sites básicos

# Preços descontados a 50% para o primeiro ano

Gestor de Conteúdo

O gestor de conteúdo (CMS) é essencialmente o “esqueleto” do seu site, permitindo-lhe organizar e gerir virtualmente tudo, desde utilizadores, páginas, artigos e multimédia.

Oferece também uma variedade de maneiras de aumentar as funcionalidades do seu site com plugins (extensões) gratuitas e pagas.

O que faz então um bom CMS?

1) Experiência do utilizador

Uma vez que vai passar grande parte do seu tempo nos “bastidores” do seu website (backend), é importante ter um interface confortável, fácil de usar e eficiente.

2) Código

Um CMS com bom códio resultará uma performance geral melhor, maior velocidade e, mais importante, mais segurança.

3) Actualizações

Actualizações regulares ajudam a lutar contra novas ameaças cibernéticas e muitas vezes melhoram a funcionalidade do seu website

4) Extensibilidade

O potencial para instalar extensões que permitam alterar ou melhorar a funcionalidade de certas partes do seu site, não esquecendo o tamanho e a qualidade das extensões disponíveis no seu CMS

5) Longevidade

Construir o seu site num CMS desactualizado e sem manutenções contínuas é uma receita para o desastre, particularmente pelas razões referidas acima

Escolha: WordPress.org

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

O WordPress é um gestor de conteúdo (CMS) gratuito e open-source (código aberto) e estima-se que cerca de 30% dos websites mundiais sejam geridos em WordPress. Não admira que seja o CMS com mais suporte e versátil do mundo.

Escolhi o WordPress porque:

# Tem um interface fácil e intuitivo de se utilizar

# Excelente performance em termos de velocidade e segurança

# Actualizações constantes para manter o alto nível de segurança

# Permite adicionar mais níveis de segurança (mais à frente)

# Tem uma biblioteca de plugins (extensões) mais vasta e compreensiva do que qualquer outro CMS

# Optimizado de raíz para os motores de busca

Não poderia recomendar qualquer outra plataforma que não o WordPress. Este gestor de conteúdo já tem tudo o que precisa para construir um website para o seu negócio. Poderoso, fácil e completamente gratuito - simplesmente não existe melhor.

​Tema

É practicamente impossível construir um site em WordPress sem primeiro instalar e activar um tema. Basicamente, o seu tema vai “sentar-se” em cima do seu CMS (neste caso, no WordPress) e será responsável pelo design e funcionalidade do seu site.

O que é que um bom tema WordPress deve ter?

(Dica: os princípios básicos são os mesmos do seu CMS. No entanto terá maior ênfase nos aspectos de compatibilidade e design).

1) Código

Um tema com bom código resultará numa performance melhor, mais rapidez e, de novo, mais segurança

2) Actualizações

Actualizações regulares ajudam a lutar contra novas ameaças cibernéticas e muitas vezes melhoram a funcionalidade do seu website

3) Compatibilidade

Os plugins (extensões) são componentes cruciais em qualquer website WordPress. Estes permitem aumentar e melhorar a funcionalidade do site, portanto é importante que o tema escolhido seja compatível com essas extensões terceiras.

4) Design

A liberdade para fazer alterações ao layout e design sem ter que fazer alterações a código ou correr o risco de quebrar componentes do tema

5) Apoio ao cliente

O seu tema será um dos ingredientes-chave na construção do seu site e será também uma das fontes de problemas técnicos. Por essa razão, ter um apoio ao cliente fiável e responsivo é essencial

6) Longevidade

Construir o seu site num tema desactualizado e abandonado poderá expô-lo a eventuais vulnerabilidades e deixará o seu site sujeito a ataques no futuro.

Escolha: Thrive Themes

como criar um site, criar um site, fazer um site, Como criar um website

Os temas do Thrive Themes (assim como todos os seus plugins) são conhecidos por serem focados em tornar o seu website numa máquina de conversões.

Escolhi o Thrive Themes porque:

# O código é optimizado para rapidez e performance

# Manutenção constante assim como actualizações regulares com novas características

# Mínimo conflito com outros plugins

# Permite completa customização do layout e design

# O apoio ao cliente é de excelência

# Variedade de exemplos landing pages (páginas de destino) completamente optimizadas para a conversão

Com isto, chegámos ao fim das bases da criação de um site (os alicerces).

Na parte 2 de "Como Criar um Site de Raiz" iremos cobrir os detalhes essenciais, assim como o design.

Um abraço,

-Tiago "alicerces" Faria