Queres Criar um Blog? Descobre os 7 Maiores Erros que Deves Evitar para Garantires o Sucesso
Queres criar um blog - descobre os 7 erros cometidos por bloggers iniciantes

Queres Criar um Blog? Descobre os 7 Maiores Erros que Deves Evitar para Garantires o Sucesso

Neste vídeo vais descobrir quais são os 7 principais erros cometidos por bloggers iniciantes que não lhes permitem atingir os seus objetivos e, consequentemente, os fazem desistir prematuramente.

Quero muito que evites que isso aconteça e, ao aprenderes quais são esses erros, vais evitá-los no futuro quando criares o teu blog ou, se já o criaste, vais evitá-los de todo e vais garantir que te posicionas para atingires os grandes objetivos.

Vais estar no caminho certo para começares a obter o retorno que desejas, o tráfego que desejas, e depois conseguires criar um negócio à volta da audiência que tu criaste.

Se preferires ver este artigo em formato vídeo ou ouvir em formato podcast, escolhe uma das opções abaixo:

Erro #1: Não Focar no Conteúdo do Blog

O primeiro erro que tenho observado mais é as pessoas focarem-se demasiado no nome, no domínio, no design do site e no tema que têm de escolher antes sequer de arrancarem e de criarem o primeiro artigo para o o seu blog.

É importante pensares nestas coisas, mas não ao início. Ao início, o teu grande foco deve estar puramente na criação de conteúdo

Eu sugiro que cries o teu primeiro desafio de 90 dias, "feches as cortinas", e que te dediques a 100% a criar conteúdo e a responder às perguntas que as pessoas já estão a fazer ativamente no Google.

A primeira razão é porque demora 6 a 12 meses de criação de conteúdo consistente e constante para te posicionares como um parceiro do Google. Demora entre 6 a 12 meses até o Google começar a confiar em ti. Nos primeiros artigos, as pessoas que vão ler vão ser apenas os teus familiares e os teus amigos...

E sabes que mais? Quase ninguém vai ver a tua homepage. Aquela que demoraste séculos a tentar torná-la "bonita", "atraente" e com um design irrepreensível.

Quando as pessoas encontram o teu conteúdo no Google - por exemplo, um artigo que tu criaste sobre “como fazer uma gravata” - as pessoas vão entrar no artigo em si e, muitas das vezes, não vão ver sequer a tua homepage.

Portanto, não te preocupes de todo com o design, não fiques muito preso nesta fase de paralisia de análise, não sejas perfecionista.

Eu sei que há muita gente que tem essa ideia de que são perfecionistas, mas, no fundo, isso é algum tipo de insegurança e que só é ultrapassado através da "força bruta" de criação de conteúdo.

Aquilo que recomendo é: cria o teu blog rapidamente, com um tema simples e gratuito. Não te preocupes muito com o design e começa simplesmente a criar artigos e a responder a perguntas.

Erro #2: Não Fazer Pesquisa de Palavras-Chave

O erro número 2 é criar conteúdo sem te preocupares com a forma como as pessoas andam a pesquisar no Google sobre o tópico específico. Ou seja, é não fazeres a pesquisa de palavras-chave para escolheres tópicos.

Vais falar sobre um tópico específico, mas depois tens que descobrir como é que as pessoas estão a pesquisar sobre esse tema no Google, que palavras-chave é que estão a usar para fazerem as pesquisas específicas.

Por exemplo, se eu perguntar no Google “como fazer uma gravata?”, eu quero receber respostas exatamente à minha pergunta. É importante saberes quantas pessoas pesquisam por uma palavra-chave específica, de que maneira pesquisam por essa palavra específica e, depois, qual é o grau de dificuldade dessa palavra-chave.

Este último ponto é importante quando estás a começar: qual é a tua concorrência que apareceria na primeira página, qual é a autoridade do domínio dessas páginas para perceberes se facilmente conseguirias aparecer na primeira página ou não.

Eu sugiro que tu te foques inicialmente nas palavras-chave que têm um volume de pesquisa interessante e um grau de dificuldade baixo, para começares a ganhar o teu ímpeto. 

Assim, vais ganhando primeiras páginas ou segundas páginas em várias palavras-chave e, aos poucos, vais aumentando a tua autoridade de domínio. Mais tarde, quando já tiveres maior autoridade de domínio, já podes atacar aquelas palavras-chave com um grau de concorrência mais elevado.

É mesmo muito importante que não cries conteúdo só por criar. O que é que te interessa criares uma peça de conteúdo se ninguém vai estar a consumir esse conteúdo e a receber o valor que tu tens para partilhar com o mundo?

Erro #3: Não Focar na Audiência

O erro número 3 é não te focares puramente na tua audiência. Em vez disso, muita gente foca-se no que é que quer obter com o blog e pensa: “eu quero criar uns conteúdos que é para levar as pessoas a entrarem em contacto comigo e para comprarem os meus produtos.”

Mas, ao início, não te podes preocupar de todo com isto porque tu tens de primeiro criar uma audiência de pessoas que começam a conhecer-te, a gostar de ti e a confiar em ti.

Ao ajudares as pessoas por antecipação através do teu conteúdo, sem pedir dinheiro em troca, estás a demonstrar que és realmente capaz de as ajudar a alcançar os seus objetivos ou ultrapassar os seus problemas.

Os teus primeiros 90 artigos de blog têm de ser simplesmente a responder às perguntas que as pessoas fazem no Google, a fornecer a melhor resposta possível que existe no Google para essa pergunta, mostrar a tua autoridade, mostrar a tua capacidade de ajudar as pessoas e ajudá-las verdadeiramente a resolver um problema específico.

Apenas assim será possível fazer com que as pessoas comecem a confiar muito em ti, e estejam mais predispostas a considerar os teus produtos ou serviços.

Portanto, quando começas o teu blog não deves pensar nas tuas necessidades e nos teus objetivos. Em vez de pensares “como é que eu vou sacar dinheiro deste conjunto de pessoas?”, vais ter de olhar para esse conjunto de pessoas e pensar:

“Como é que eu vou ajudá-las a alcançarem os seus objetivos mais rapidamente para fazer com que elas confiem em mim e, depois, possa sugerir produtos ou serviços?”

O teu grande foco deve estar na tua audiência, e deves focar-te 100% nas pessoas que vais servir.

Erro #4: Não Escolher um Nicho de Mercado Específico para o Teu Blog

O erro número 4 é não escolher um nicho de mercado específico, ou seja, quereres criar tópicos muito genéricos e, depois, espalhares-te ao comprido porque criaste um blog novo sem autoridade alguma e escolheste um nicho onde já existe muita concorrência.

Nesses nichos genéricos já existem demasiados sites com muita autoridade que podem criar conteúdo geral porque já têm uma autoridade de domínio muito forte e, portanto, não se importam com a concorrência.

Se quiseres começar o teu blog com um tópico muito geral é uma receita para o desastre.

O melhor é escolheres um avatar muito específico e escolheres servir esse conjunto de pessoas muito específico, como, por exemplo, “perder peso para mulheres com mais de 55 anos que entraram na menopausa”.

Esse grupo de pessoas vai identificar-se muito mais facilmente contigo do que com alguém que cria um site que tenha genericamente “como perder peso”. As pessoas vão-se sentir muito mais identificadas contigo.

Apesar de seres pequeno e teres muito pouco conteúdo ainda, vão começar a confiar em ti. Depois de já teres essa audiência bem engajada e a confiar em ti, podes, mais tarde, expandi-la um pouco mais.

O melhor é focares-te primeiro e depois, mais tarde, expandir quando começares a aumentar a tua autoridade de domínio.

Erro #5: Criar Títulos e Descrições Genéricos e Pouco Apelativos

O erro número 5 é esquecer a importância de criar um título e uma descrição apelativa

Os resultados de pesquisa no Google têm sempre um título e uma descrição, e tu podes manipular esse texto usando o plugin de WordPress "Yoast SEO".

O teu título não pode ser uma coisa muito geral - como, por exemplo, “fazer nó de gravata” – que não capta a atenção de ninguém, não há um benefício muito claro e não há um toque de curiosidade que leve a pessoa a clicar.

Pensa sempre neste aspeto: tens de fornecer um benefício muito grande à pessoa para ela saber o que é que vai ganhar ao ler o teu artigo e tens gerar um toque de curiosidade para fazer com que a pessoa queira saber mais. É importante diferenciares o teu título e a tua descrição de todos os outros que aparecem no Google.

Não te esqueças da importância de um título e de uma descrição apelativa, não deixes isto para depois. 

Se não os personalizares, o Google vai escolher uma parte aleatória do teu texto e pôr na descrição do teu resultado de pesquisa. Não deixes que isso aconteça, controla a maneira como o teu blogue é exposto.

Erro #6: Ignorar o SEO do Teu Blog

O erro número 6 é esquecer o SEO, a otimização do teu blogue para os motores de busca (ou seja, para o Google principalmente).

No fundo, tudo o que precisas é de organizar o conteúdo de acordo com aquilo que o Google exige para as primeiras páginas e facilitar a leitura dos spiders, aquelas "aranhas" do Google que entram no teu site para lerem todo o teu conteúdo e ver que links é que existem de um lado e do outro.

Tens de pensar não só no lado humano, no que é que o teu avatar deseja, mas também tens de te preocupar com esta parte de otimização para o Google.

O que é que o Google quer que tu mostres, o que é que o Google exige para a primeira página, como é que podes facilitar a leitura do teu site, como é que podes facilitar a leitura entre os links do teu site, e como é que podes criar o teu sitemap para mostrares ao Google qual é o mapa do teu site.

É muito simples, não precisas que complicar muito. O SEO não tem de ser um bicho de sete cabeças.

Vê neste artigo como fazer SEO de maneira simples e eficaz.

Erro #7: Não Usar o Melhor Site para Criar um Blog

Normalmente, os bloggers iniciantes escolhem plataformas  como o Wix, Blogspot, ou Webnode.

Esse tipo de plataformas de criação de blogs não são propriedade tua, ou seja, não és dono nem senhor do teu site, da tua casa.

Estás a pagar para alugar o espaço em sites que podem acabar. Por exemplo, se o Wix terminar ou se for à falência, tu perdes o teu site completamente.

Aconselho vivamente que escolhas o WordPress.org. É uma plataforma de código aberto e tudo o que criares lá é propriedade tua. Escolhes o teu próprio servidor em alojas lá o teu conteúdo.

O WordPress é melhor amigo do Google. A vasta maioria dos melhores sites do mundo são criados em WordPress, portanto, é uma plataforma de confiança do Google.

Defendo sempre que nós tenhamos ativos próprios como um site em WordPress.org e a nossa lista de emails.

Preocupa-te, então, em criar muito conteúdo, em criar uma audiência, e em gerar tráfego para o teu blog.

Só depois é que te deves preocupar com os passos seguintes: criar uma relação com a tua audiência (através do email marketing), e monetizar essa audiência (através dos teus produtos ou serviços).

Preparado para criar o teu blog?

Vê neste artigo como criar um blog passo-a-passo.

Um abraço,

Tiago "aprende com os erros" Faria

About the Author Tiago

O Tiago ajuda empreendedores a criar negócios bem sucedidos, sustentáveis e gratificantes para si, para as suas famílias e para as suas comunidades. Depois de 8 anos a trabalhar na Google em Dublin, este blog é o resultado de anos de experimentação e aprendizagem nas áreas de criação de conteúdo, SEO, copywriting, publicidade e conversões online.

follow me on:

Leave a Comment: